ColunistaFórmula EPost

Fim de semana conturbado para os brasileiros no ePrix de Valência

Os brasileiros tiveram que realizar uma corrida de recuperação. Sette Câmara abandonou a prova após um toque com Evans

O sábado em Valência não foi tão agradável para os brasileiros, durante os treinos livres Lucas Di Grassi e Sérgio Sette Câmara brigaram para ficar entre os dez, mas com os outros pilotos conseguindo melhorar as suas marcas, os brasileiros não conseguiam sustentar uma boa posição.

A classificação foi igualmente complicada, mas a prova poderia trazer um resultado melhor. A chuva foi proporcionou uma corrida interessante com vários pilotos extravasando os limites de pista e provocando a entrada do Safety Car.

Os brasileiros se aproveitaram da ativação do modo ataque para conquistar algumas posições, no entanto, Sette Câmara acabou abandonando a prova quando ocupava a 12ª posição, já que foi tocado por Mitch Evans.

Lucas Di Grassi permaneceu na pista, tentando escalar o grid. A duração da bateria foi um drama para vários pilotos ao final da prova e como muitos não completaram a corrida, o piloto da Audi assumiu a décima posição.

Com as punições aplicadas pós-corrida, o brasileiro assumiu a sétima posição no ePrix de Valência, mesmo com uma punição de 30 segundos. 

Classificação

A classificação foi realizada com temperaturas baixas 16°C no circuito com 14°C no ambiente. Os treinos livres mostraram que a sessão seria bem disputada.

Sérgio Sette Câmara e Lucas Di Grassi partiram para a pista com o terceiro grupo, seguindo a ordem do campeonato de pilotos. Stoffel Vandoorne, Antonio Félix da Costa, Nyck De Vries, Oliver Rowland, Pascal Wehrlein e Alexander Sims tinham tempo estabelecido para disputar a super pole.

Os brasileiros não conseguiram um bom resultado na classificação, repetindo a performance dos treinos livres. Do terceiro grupo apenas Güenter e Rowland tinham obtido tempo compatível para ficar entre os seis. Antes da entrada do quarto grupo, Sette Câmara era o décimo quarto colocado com 1m27s456, enquanto Lucas Di Grassi com a Audi obteve o décimo sexto lugar ao anotar 1m27s634.

LEIA MAIS: Brasileiros ficam ofuscados em treinos livres pré-ePrix de Valência

Com o encerramento da classificação ficou definido que o piloto da Dragon começaria a prova pelo 19º lugar, com Lucas Di Grassi da Audi do 22º lugar, os dois partindo para uma corrida de recuperação. Stoffel Vandoorne cravou a pole após anotar 1m26s494.

ePrix de Valência a 5ª etapa da temporada 2021

Antes da corrida começar, Vandoorne foi punido, perdendo a pole da etapa – a equipe utilizou um pneu que não estava registrado, desta forma o belga foi desclassificado, caindo para a última posição.

Por conta da chuva, a largada ocorreu com o Safety Car em pista, ele saiu após a primeira volta, restando 42 minutos, mais uma volta. Lucas Di Grassi foi punido pouco depois da prova começar, o piloto que trucou o câmbio entre a classificação e a corrida – e recebeu um Stop/Go de 10 segundos.

A colisão de André Lotterer e Sébastien Buemi na segunda volta provocou a entrada do Safety Car para a remoção do carro da Nissan que ficou atolado. Lucas Di Grassi teve a oportunidade de se reaproximar do pelotão, antes da relargada acontecer.

Restando 33 minutos mais uma volta para o encerramento da prova, Di Grassi já estava na vigésima primeira posição, enquanto Sette Câmara já era o décimo sexto com a Dragon. A chuva seguia pelo circuito.

O Safety Car foi ativo várias vezes durante a prova – Foto: reprodução Fórmula E

O brasileiro da Dragon foi o primeiro piloto a ativar o modo ataque quando passou pela curva oito, perdendo a posição apenas para Sam Bird.

Com os pilotos ativando o modo ataque no final do pelotão, as posições acabavam se alternando. Câmara passou a ocupar a 20ª posição.

Outro Safety Car foi ativo com cerca de 22 minutos restantes, acionado pelo abandono de Max Güenther que ficou atolado na brita. Sette Câmara assumiu a 14ª posição, com Di Grassi em 18º.

A relargada ocorreu cerca de dois minutos depois e os pilotos partiram mais uma vez para a disputa. Lucas Di Grassi recebeu o fanboost após votação popular.

Restando 15 minutos de prova, foi a vez de Sérgio Sette Câmara abandonar a corrida, após um toque com Mitch Evans da Jaguar. O brasileiro ficou atolado na brita e provocou a entrada do Safety Car. A Dragon estava conseguindo se aproximar do Top-10 após uma classificação difícil. Com o abandono de Evans, o piloto da Audi passou a ocupar a décima quarta posição.

A relargada ocorreu com cerca de 10 minutos para o final.

Como alguns pilotos ainda precisavam ativar o segundo modo ataque, Lucas Di Grassi foi avançando no grid e passou a ocupar a décima segunda posição.

Por conta do abandono do Lotterer após um toque com Mortara, o Safety Car entrou mais uma vez nos último cinco minutos de prova.

A prova terminou com vários pilotos abandonando, já que faltou bateria para o encerramento da corrida. Antonio Félix da Costa era o líder, mas foi por conta da bateria perdeu a ponta da corrida para De Vries.

LEIA MAIS: Nyck de Vries sobrevive ao caos e vence corrida que teve quatro entradas Safety Car

Após a correção de posições, Lucas Di Grassi assumiu a décima posição, já que vários pilotos acabaram com a bateria zerada. A última volta da corrida foi alucinante. 

O companheiro de equipe de Sérgio Sette Câmara, Nico Müller terminou a prova na segunda posição, após os ajustes realizados no pós-corrida. 

Após o encerramento da prova, Lucas Di Grassi foi punido por não ter utilizado o segundo modo ataque, a punição foi revertida em 30 segundos adicionados aos tempo final. Mesmo com ela, o brasileiro fechou a prova na sétima posição. 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados