ColunistaFórmula EPost

Saiba como foi a primeira etapa do Fórmula E: Accelerate vencida por Erhan Jajovski, piloto da equipe de Romain Grosjean

Dessa vez a competição simula também elementos reais da Fórmula E como o Modo Ataque e o gerenciamento de energia

Erhan Jajovski conquistou a vitória da primeira corrida do Fórmula E: Accelerate, o novo campeonato virtual da categoria. O macedônio de 24 anos representa a ROKiT Venturi Racing e é integrante da equipe de competições virtuais de Romain Grosjean, a R8G.

Manuel Biancolilla (Audi Sport ABT Schaeffler) terminou em segundo e Kevin Siggy (BMW i Andretti Motorsport) em terceiro, após uma penalidade pós-corrida para Graham Carroll viu o piloto da Envision Virgin Racing perder um pódio.

Jajovski venceu após largar da pole em uma sessão de treinos que separou os quatro primeiros colocados por apenas 0,034 segundos. A diferença do 1º para o 15º foi de apenas meio segundo. 

Biancolilla fez uma largada super agressiva quando as luzes se apagaram, perseguindo Jajovksi com força após uma tentativa fracassada de ultrapassagem na curva 2 onde Jajovski  ficou com a parte de fora e Biancolilla, com a linha interna. 

O piloto da ROKiT Venturi Racing se manteve firme e não olhou para trás quando abriu vantagem com Carroll, Siggy, Bono Huis (Mercedes-Benz EQ) e Risto Kappet (NIO 333) completando os seis primeiros.

A dupla principal foi a primeira a ativar o Modo Ataque na volta 3, na tentativa de se afastar do restante do grupo, eles também pareciam ter um controle sobre o gerenciamento de energia no início. 

Apesar da tentativa de Jajovski e Biancolilla através do circuito de ativação, a Envision Virgin Racing e-tron FE07 de Carroll não ficou tão distante dos dois. O italiano da Audi acabou perdendo posições para Siggy e Huis, além do próprio Carroll.

O vencedor do Home Challenge, Kevin Siggy, agora terceiro, pressionou o segundo colocado Carroll quase imediatamente. Com a ajuda extra do poder do Modo Ataque, o esloveno ultrapassou Carroll no Manhattan Hairpin na volta 7, em uma luta que estava longe de acabar.

Os papéis foram invertidos quando o relógio marcava a entrada do último quarto de hora, com a batalha pelo segundo lugar muito disputada na pista. Carroll conseguiu retribuir o favor na volta 10, por fora da Curva 11, embora Siggy tenha recuado e conseguido manter o segundo lugar. 

Tentando de todo jeito deixar Carroll para trás, o piloto da BMW i Andretti Motorsport tinha maior consumo de energia em relação aos outros, por isso Siggy só conseguiu segurar mais uma volta – com Carroll alcançando o segundo lugar na Curva 1 na Volta 13.

Lá na frente, Jajovski permanecia intocável.

Não só o campeão do BMW SIM Live de 2020 tinha cerca de quatro segundos sobre os demais, como também tinha 2% a mais de energia do que a dupla que o perseguia. Faltando poucos minutos para o fim, a corrida parecia ser dele.

Atrás, Huis, Biancollilla, Kappet, Marius Golombeck (TAG Heuer Porsche), Jarno Opmeer (Mercedes-Benz EQ), Jan von der Heyde (Nissan e.dams) e seu companheiro de equipe Marc Gassner completaram o top 10 e pareciam estar correndo em pares. 

Opmeer, que já fez parte da Academia Júnior da Renault, beliscou o sétimo lugar de Golombeck, graças a uma jogada limpa em cima do Porsche por dentro da Curva 1.

Com menos de cinco minutos de corrida, Huis, da Mercedes-Benz EQ, forçou para cima de Siggy, mais do que de olho na última vaga no pódio. O holandês usou seu segundo Modo Ataque para trás, passando pela zona nos três minutos finais, tendo a BMW de Siggy como alvo.

Huis deu o pulo do gato no lado de fora do iFE.21 do esloveno à esquerda da Curva 16, o que lhe permitiu esgueirar-se por dentro na Curva 17 – um movimento que Sam Bird, comentarista convidado, encheu de elogios.

Opmeer também progredia logo atrás, despachou Kappet para o sexto lugar e se juntou a Biancolilla na perseguição ao pódio com Siggy agora em quarto, logo atrás de Huis.

Incrivelmente, Biancolilla, que foi o último dos primeiros colocados a usar o segundo de seus impulsos adicionais de 35 kW e agora parecia melhor colocado para lucrar. 

Huis cometeu um erro que deixou a porta aberta para Siggy retomar brevemente o terceiro lugar, pois ele aceitou o convite para a Curva 1, com o Audi de Biancolilla o seguindo bem de perto. 

Com o Modo Ataque ainda ativo, o Biancolilla voou em cima de Siggy nas últimas curvas da última volta da corrida.

Executando seu plano de jogo com perfeição, Jajovski – apelidado na semana passada de GOAT (o maior de todos os tempos, em inglês) do rFactor 2 – foi imparável. Ele cruzou a linha de chegada cerca de sete segundos à frente de Carroll, segundo colocado na pista, mas uma penalidade pós-corrida adicionou 10 segundos ao seu tempo de corrida por ter se envolvido em um incidente com Kevin Siggy na volta 1. Com isso, o escocês foi rebaixado para o 13º lugar.

As manobras de Biancolilla no último suspiro foram suficientes para chegar na segunda colocação com Siggy completando o pódio.

Bono Huis chegou em quarto lugar com Marius Golombeck, Jarno Opmeer, Marc Gassner, Risto Kappet, Frederik Rasmussen e Jan von der Heyde completando as posições da zona de pontuação.

A 2ª rodada em Hong Kong será na próxima quinta-feira, às 16h (horário de Brasília) com transmissão nas redes sociais da Fórmula E.

Confira os melhores momentos da corrida.

Aproveite para conferir o Boletim Expresso desta semana: 

Mostrar mais

Cinthia Venâncio

Cearense que acompanha Fórmula 1 desde que se entende por gente. Faz aniversário no mesmo dia do Damon Hill.

Deixe uma resposta

Artigos relacionados