ColunistaFórmula EPost

Evans surpreende Vergne no final e vence o ePrix de Jacarta

Após superar o piloto da DS Techeetah, Mitch Evans conquistou a sua terceira vitória na temporada contando com uma estratégia forte da Jaguar

Neste sábado em Jacarta (04) a dupla da DS Techeetah conseguiu dominar a primeira fila para a largada, onde buscavam a primeira vitória da temporada, mas foi Mitch Evans que surpreendeu Jean-Éric Vergne ao final para prova, para conquistar a terceira vitória na temporada 2021/2022.

Vergne conseguiu manter a segunda posição, enquanto Edoardo Mortara que começou a prova do quarto lugar, tirou Antonio Felix da Costa das três primeiras posições, para ficar com o terceiro lugar. O piloto francês da DS Techeetah conseguiu conservar a sua regularidade em Jacarta e neste início da segunda metade do Campeonato ele começou obtendo os pontos da pole e do segundo lugar.

Com o resultado, Evans agora é o piloto com mais vitórias na temporada 2022. Stoffel Vandoorne ainda está na liderança do campeonato, somando 121 pontos, contra 109 obtidos por Evans que permanece na quarta posição.

Saiba como foi o ePrix de Jacarta

Antes da largada as temperaturas estavam bem elevadas, o que seria um problema para os pilotos que precisariam também ficar atentos as temperaturas das baterias para que o carro não entrasse em modo de segurança. Existia uma chance de chuva, mas quando a prova começou não vimos nenhum sinal dela.

Jean-Éric Vergne que conquistou a pole, tinha o direito de começar a corrida pela primeira posição. Outro detalhe é que o piloto francês se tornou um recordista na categoria, pois agora conta com 15 poles.

Com o apagar das luzes, a prova teve início, Vergne conseguiu manter a primeira posição, assim como Antonio Felix da Costa e Mitch Evans que também permaneceram com as suas posições conquistadas na classificação. A disputa no meio do pelotão estava acirrada, Stoffel Vandoorne realizou uma ultrapassagem em Buemi para assumir o sexto lugar. Mas uma volta depois a ação do Safety Car foi necessária, pois Oliver Rowland perdeu uma das rodas e ficou parado no meio do traçado.

O Safety Car deixou a pista duas voltas depois, na relargada parecia que as posições dos líderes seriam mantidas mais uma vez, mas instantes depois Evans surpreendeu Da Costa e ficou com o segundo lugar que era do piloto português.

Neste momento os dez primeiros eram: Vergne, Evans, Da Costa, Mortara, Dennis, Buemi, Vandoorne, Wehrlein, De Vries, De Vries e Lotterer. Wehrlein que tinha começado a corrida da décima primeira posição, já aparecia na oitava posição. Lucas di Grassi também aproveitou a proximidade do grid para atacar Lotterer e ficar com o décimo lugar. Logo quando o Modo Ataque foi liberado, Robin Frijns que começou a corrida do final do pelotão, usava a potência extra para tentar obter algumas posições.

No giro seguinte foi a vez de Cassidy e Giovinazzi usarem o Modo Ataque. O piloto italiano tinha rodado no começo da prova depois de uma batalha direta com Sergio Sette Câmara.

Dos líderes, Vergne e Da Costa foram os primeiros a ativar o Modo Ataque, o francês perdeu a liderança, enquanto o piloto português caiu para a quarta posição. Evans estava na ponta administrando a primeira posição, mas na volta seguinte foi a vez do neozelandês fazer o seu acionamento. Vergne retomou a liderança, com Mortara ficando com o segundo lugar, mas já tinha a ordem da equipe para também pegar o Modo Ataque e ficar atento com as disputas que aconteciam à sua frente, buscando uma forma de atacar. Sette Câmara estava na vigésima primeira posição, sem possibilidades de a Dragon brigar por uma posição melhor.

Quando restavam cerca de 28 minutos para o final da prova, Vandoorne fez o seu acionamento, saiu de lado, mas conseguiu conservar a sexta posição. O piloto da Mercedes começou a buscar Dennis, tentando reduzir a distância para o quinto colocado.

Da Costa foi o primeiro a usar a sua segunda ativação do Modo Ataque, o português caiu para o quinto lugar, dando a oportunidade para Mortara ser o segundo colocado, enquanto Evans estava na terceira posição. Na sequência, e nesta briga de estratégias, Mortara fez o seu acionamento com vinte e cinco minutos para o final, o piloto da Venturi conseguiu se manter à frente do piloto da DS Techeetah.

Dennis começou a ser pressionado por Vandoorne e com o uso da potência extra conseguiu superar o então quinto colocado. Neste momento da prova os dez primeiros eram: Evans, Vergne, Mortara, Da Costa, Vandoorne, Dennis, Wehrlein, Di Grassi, Lotterer e De Vries.

Evans foi resistindo os ataques dos adversários que estavam com o Modo Ataque ativo, o piloto da Jaguar foi aguardando mais tempo para conseguir usar a sua potência extra e surpreender Vergne que tinha recuperado a liderança.

Ganharam o fanboost: Vergne, Evans, Mortara, Da Costa Vandoorne e De Vries.

Sem as trocas de posição por conta dos acionamentos do Modo Ataque, não aconteciam ultrapassagens, mesmo com o traçado largo era difícil encontrar um espaço na pista para brigar. Contando mais uma vez com Modo Ataque, Vandoorne ultrapassou Wehrlein para ficar mais uma vez com o quinto lugar. Pouco depois foi a vez do piloto da Porsche também perder a posição para o piloto da Andretti.

Restando quinze minutos para o encerramento da prova, os dez primeiros eram: Vergne, Evans, Mortara, Da Costa, Vandoorne, Dennis, Wehrlein, Di Grassi, Lotterer e De Vries. Mortara aproveitou o seu segundo acionamento para pressionar Da Costa em busca de mais um pódio na temporada 2022.

Neste momento da corrida, Da Costa tentou usar o fanboost para se proteger das investidas de Mortara, mas o piloto da DS Techeetah, assim com os outros pilotos que receberam esse benefício só contavam um acionamento, portanto pouco depois o piloto da Venturi conseguiu realizar a ultrapassagem e ficar com a terceira posição. Evans também estava com o Modo Ataque ativo e partiu para caçar o líder da prova.

Com dez minutos para o encerramento da prova, Di Grassi conquistou a sétima posição e levou com ele Lotterer, pois tinha tocado no piloto da Porsche, Wehrlein tinha perdido mais duas posições. O final da prova ficou concentrado no duelo de Evans e Vergne.

Evans colocou o carro de lado e surpreendeu Vergne, para ficar com a ponta, rapidamente o piloto da Jaguar começou a abrir distância para o piloto que se tornou o segundo colocado. Mortara aproveitou a proximidade para incomodar Vergne até os instantes finais.

O final da prova seguiu desta forma a direção de prova liberou mais 1 minuto e 30 de corrida por conta do Safety Car do início, com Evans recebendo a bandeira quadriculada na primeira posição, enquanto Vergne era o segundo colocado e Mortara estava no terceiro lugar. Vandoorne perseguiu Da Costa pelo quarto lugar, mas não conseguiu derrotar o piloto da DS Techeetah.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados