ColunistaFórmula 1Post

A saída da Honda e as questões que ela provoca neste momento

Nesta sexta-feira (02) a Honda anunciou a sua saída da Fórmula 1, desta forma Red Bull e AlphaTauri vão precisar de uma nova fornecedora de motores para 2022

A decisão da Honda voltou a chocar a Fórmula 1, a fornecedora de motores da Red Bull e AlphaTauri optou por deixar a categoria ao final da temporada de 2021, mas algumas coisas precisam ser ditas.

Antes de tudo vale dizer que a Honda está direcionando os seus recursos corporativos para pesquisas voltadas a áreas de desenvolvimento em célula de combustível (FCV) e EV de baterias (BEV). Outro ponto é que a Honda está buscando a neutralidade de carbono e com estas novas visões sobre o seu futuro resolveu encerrar a sua parceria com a Fórmula 1.

Red Bull, AlphaTauri e a Honda

A Honda retornou para a Fórmula 1 em um em 2015, em uma espécie de nostalgia provocada pela parceria McLaren-Honda. Um projeto que foi bem complicado, mas os fornecedores japoneses encontraram uma nova casa, a AlphaTauri foi utilizada durante a temporada de 2018 para o aperfeiçoamento do motor e no ano seguinte a unidade de potência da Honda passou a ser utilizada pela Red Bull.

O contrato com estas duas equipes era até 2021, mas a Honda parecia confiante para permanecer após este prazo. No entanto, como muitos já sabem, a pandemia provocada pelo Covid-19 provocou uma série de reavalizações em diversas empresas que optaram por uma nova visão para o futuro. Desta forma a Honda canalizou os seus esforços para outras áreas dentro do automobilismo. A decisão foi tomada no final de setembro e a Red Bull pode avaliar a sua situação até o dia do anúncio – 2 de outubro.

GP dos 70 Anos com vitória de Max Verstappen – Foto: Red Bull Racing

Atualmente a fornecedora japonesa conta com cinco vitórias e Takahiro Hachigo, presidente, CEO e diretor representante da Honda quer continuar vencendo pelo restante desta temporada e mantendo a competitividade para o próximo ano. De fato, garra eles têm, pois desde o seu retorno para a F1, eles estavam em busca do sucesso.

E quem pode equipar estes dois times?

Com as regras atuais, a Renault seria obrigada a fornecer o motor, afinal após a temporada de 2020, os franceses não vão ter nenhum cliente no grid, desta forma estão em desvantagem. E claro que que para a imagem da Renault é muito melhor estar vendendo o motor e não só equipando o seu carro, mas a relação entre estes times azedou mediante as críticas durante os últimos anos.

Renault – GP da Rússia – Foto: Renault F1

E pelo simples fato de não ter escolha este parece ser realmente o caminho. Mas a Red Bull ainda pode persuadir Mercedes ou Ferrari para equipar o seu carro com uma destas unidades de potência.

Alguns falam sobre a possibilidade da Aston Martin que chega na próxima temporada, passar a ser uma fornecedora de motores, mas está ainda não é uma carta boa para avaliações, ainda que seja possível fazer algumas combinações.

Estão colocando na mesa a possibilidade de a Red Bull desenvolver o seu projeto de motor ou convencer outro fabricante a produzir as suas unidades de potência. Mas com todas estas opções acontecendo é necessário lembrar que os motores só vão ser revisados em 2026, o que coloca um novo fornecedor em um grande problema.

Pilotos

Na base o nome de Yuki Tsunoda anda muito cotado, o piloto da Fórmula 2 está tendo uma boa performance na categoria. Ele também é um forte candidato a ocupar um lugar na AlphaTauri se conseguir a superlicença. Tsunoda vai realizar testes com a AlphaTauri em Abu Dhabi, mas ele tem apoio da Honda e com a saída da fornecedora ainda é difícil saber se o apoio continuará.

E agora Max Verstappen. O holandês tem contrato até 2023, mas um possível rompimento não realmente o problema, pois sem um motor competitivo após uma mudança tão brusca assim o piloto poderia buscar outra equipe. No entanto, Verstappen terá que esperar um pouco mais para saber quais vagas podem ser atrativas para ele caso a sua equipe não solucione este problema de uma forma plausível.

Vitória de Max Verstappen no GP de 70 Anos – Foto: Red Bull Racing
Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados