AutomobilismoColunistaPost

Confira tudo o que rolou na coletiva “Lights Out: The Return of Motorsport Confirmation”

O retorno e o futuro do automobilismo foram debatidos por nomes de expressão no esporte como Mark Webber, Mark Preston, Zarah Al-Kudcy e David Richards.

Nesta Segunda-Feira, 06, às 09hs (Horário de Brasília), a apresentadora Suzi Perry se juntou à agência de Marketing Esportivo CSM uma teleconferência. A coletiva debateu o retorno da F1 com os portões fechados, e como a indústria em geral está respondendo à pandemia de Covid-19, além de comentar o motivo de 2021 poder ser um ano de referência para várias categorias de automobilismo .

Entre os palestrantes estavam Mark Webber, ex-piloto de Fórmula 1; a chefe de desenvolvimento de parcerias comerciais da F1, Zarah Al-Kudcy; presidente da Prodrive, David Richards; chefe de equipe de Formula E DS Techeetah, Mark Preston; além do diretor de estratégia e ideias da CSM, Aled Rees.

Alan Rees comentou sobre os “novos” modelos de parceria para o automobilismo. Na pauta, falou sobre as empresas, organizações e equipes firmarem verdadeiras parcerias e ir além de um adesivo. “O modelo antigo acabou, não se trata mais de adesivos nos carros, agora é parceria”, comentou. O diretor também abordou a adaptação do esporte a motor se tornar “anacrônico” a apontou para a necessidade de se “adaptar aos novos tempos”. “É preciso se adaptar a esses cenários”, concluiu.

As corridas virtuais não ficaram de fora da discussão. A pauta foi puxada por David Richards. Mark Preston, chefe de equipe da DS Techeetah acompanhou as corridas virtuais de perto e aprendeu muito com as novas plataformas (Twitch, Discord). “O público mais jovem da FE facilitou a aceitação”, declarou. Mark foi mais longe e falou sobre as montadores. Ele acredita que estas continuarão investindo do esporte neste período de crise. A chefe de desenvolvimento de parcerias comerciais da F1, Zarah Al-Kudcy, complementou falando sobre os fãs que não podem frequentar os autódromos e alegou que talvez seja cedo para começar a debater alternativas como o Paddock Club, por exemplo.

As iniciativas como “Race as One”, que nascera graças a voz de Lewis Hamilton, estiveram nas declarações de Zara: “Ele é uma peça importante e a principal mudança. É a mudança prática e real”.

Os projetos 0 Carbono em 2030 foram comentados por Mark Webber, ex F-1, que disse ser a favor das mudanças apresentadas pela FIA. É preciso ver que tecnologia existirá daqui a 10 anos para pensar em uma Fórmula 1 elétrica, mas acredita-se que a princípio, isto não é viável.

Etiquetas
Mostrar mais

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Fechar