ColunistaFórmula 1Post

Carta de Chase Carey provoca mobilização para que área de Mata Atlântica não seja desmatada

O autodromo de Deodoro no Rio de Janeiro é uma grande novela e com o conflito de direiros Rio x São Paulo, as coisas estão mais conturbadas

A história sobre o autódromo no Rio de Janeiro é uma grande novela, em 2018 foi apresentado um projeto para o autódromo de Deodoro e desde então várias coisas aconteceram. O traçado desenhado pelo arquiteto alemão Hermann Tilke tem a extensão de 5,3 km e estima que o investimento para a sua construção é de R$ 850 milhões.

O assunto segue sendo muito comentado, a cada desenrolar desta história vemos as mais diversas opiniões sobre o assunto, mas de fato nesta semana parece que os comentários dentro da comunidade estão se alinhando.

Nesta semana uma carta enviada por Chase Carey ao governador do Rio de Janeiro veio à tona, na carta o CEO da Fórmula 1 fala sobre os acordos finalizados com a Rio Motosports LLC informando que a empresa irá promover, organizar e sediar os eventos da categoria no Rio de Janeiro. No entanto, Carey aproveita para cobrar as licenças necessárias para a construção do autódromo.

Foto: Reprodução

A comunidade da Fórmula 1 no twitter que é bem forte, aproveitou para impulsionar a hastag #BrazilSaysNoToDeforestation, mostrando para os outros fãs que estão em outros lugares que a população não quer aceitar a construção do autódromo por justamente ele abrigar uma área de Mata Atlântica.

Na live que foi ao ar nesta terça-feira (06), falamos sobre as nossas opiniões sobre está construção que não parece nada viável e até mesmo pouco confiável. Além disso sabemos que São Paulo tem o autódromo de Interlagos, não é como se o nosso país estivesse carente de uma instalação pare receber o evento.

Vale lembrar que nos últimos dois anos este assunto vem tomando mais corpo, mas o Rio de Janeiro tinha o Autódromo Nelson Piquet, em Jacarepaguá, que em 2004 foi destruído para a construção das instalações dos jogos Pan-Americanos de 2007, o autódromo foi fechado para obras do Parque Olímpico dos jogos realizados em 2016.

E nesta história cheia de nuances sabemos que desmatar uma área de mata, não é correto. Por enquanto seguimos acompanhando os próximos passos, mas o que assusta é realmente a categoria dizer que está buscando tomar medidas ambientais ao mesmo tempo que se envolve com um projeto assim.

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados