ColunistaFórmula 1PostSérie Circuitos da Fórmula 1

SÉRIE CIRCUITOS DA F1: Magny-Cours

Um prefeito inspirado deu vida ao que viria ser Magny-Cours, palco de um recorde de Schumacher

Ficha técnica

Nome do circuito: Circuit Nevers Magny-Cours
Comprimento da pista: 4,411 km
Número de voltas: 70
Distância total: 308,586 km
Recorde da pista: 1:15.377, Michael Schumacher (2004)
Primeira corrida na F1: 1991

O circuito de Magny-Cours nasceu da ideia de Jean Bernigaud, prefeito da cidade. Em 1954, ele foi assistir ao GP da França em 1954, em Reims e vendo a possibilidade de realizar corridas nas ruas, como estavam fazendo outros circuitos, se empolgou com a ideia. 

Jean Bernigaud (à esquerda) era prefeito de Magny-Cours e empolgado depois de assistir à uma corrida em Reims, quis levar a ideia para a cidade. – Foto: reprodução

Ao pesquisar sobre o assunto, Bernigaud viu que ficaria muito caro transformar as ruas da cidade em pista e convencer as autoridades a interditarem os trechos a cada corrida, sendo mais fácil construir um local específico para isso. Porém, seus sonhos foram adiados pelo desastre de Le Mans, em 1955, que pausou todas as competições e mudou a regulamentação para que um circuito pudesse receber corridas. 

LEIA MAIS: SÉRIE CIRCUITOS DA F1: Reims

Sem desistir do projeto, Bernigaud começou devagar. Em 1959, a ideia era construir um espaço multiuso, que atrairia visitantes e poderia ser usado para fins educativos. Na época, o kart estava se popularizando no país e o Nivernais Karting Club estava crescendo e ganhando sócios a cada dia, atraindo um grande número de pessoas a cada evento. Foi aí que Bernigaud foi convencido a construir uma pista de kart. Em um terreno do lado de sua fazenda, ele inaugurou no dia 7 de agosto de 1960, o circuito Jean Behra, nome dado em homenagem ao piloto francês falecido um ano antes.

Vista aérea da pista de kart em 1960. – Foto: reprodução

Cerca de 2.500 espectadores compareceram para prestigiar a competição de kart que envolveu 48 pilotos de oito clubes, em uma corrida de duas horas pela pista de 510 metros. Animados com o sucesso, o entorno da pista de kart virou uma pista de corrida. Na área também foram construídas uma pista de motocross e arquibancadas. A nova pista, de 2 km, foi inaugurada no dia 12 de março de 1961 diante de um público de 5 mil pessoas. 

Empolgado com o sucesso da pista de kart, uma pista de motocross e outra de corrida foram construídas no local. – Foto: reprodução
Traçado original, usado entre 1961 e 1970. – Foto: reprodução

Em 1963, foi lançada a Winfield Racing School, que revelou boa parte dos vencedores franceses das décadas de 1970 e 1980, como François Cevert, Patrick Tambay, Jacques Laffite, René Arnoux e Alain Prost. Vendo todo o sucesso que a pista e a escola estavam fazendo, Bernigaud traçou um plano para o desenvolvimento do circuito nos próximos seis anos. A primeira alteração veio logo em 1966, com uma ponte sendo construída em apenas oito dias, dando um fácil acesso ao interior do circuito.

Ponte construída em apenas oito dias, para facilitar o acesso com o lado interno da pista. – Foto: reprodução

No ano seguinte, o circuito ganhou uma torre de controle e um novo prédio para a escola Winfield. 

A escola de pilotos Winfield, que lançou alguns dos principais pilotos franceses, recebe a última pintura, em 1969. – Foto: reprodução

Nos anos seguintes, foi a vez do traçado passar por alterações, com a pista sendo alargada de 7 para 9 metros. Um novo loop juntou duas partes da pista, que agora contava com uma extensão de 3,850 km, capaz de receber até 30 carros ou 40 motos de uma vez. Cinco arquibancadas também foram erguidas no circuito. Ainda foram construídas novas salas para a imprensa, um estacionamento maior e o paddock foi asfaltado. A nova pista foi inaugurada no dia 2 de maio de 1971.

Vista aérea da nova extensão do traçado de Magny-Cours, que foi inaugurada em 1971. – Foto: reprodução

Só que em 1986, o Conseil Départemental de la Nièvre se interessou pelo circuito e tinha interesse em ter uma pista que pudesse roubar o GP da França das mãos de Paul Ricard. Bernigaud vendeu a propriedade e em 1988, o circuito Jean Behra deixou de existir. Em seu lugar, nasceu o Circuito de Nevers Magny-Cour. Com muito espaço em volta, foi criada uma área para acomodar as equipes, com a fábrica da Martini e da Ligier se instalando por lá.

O novo circuito foi inaugurado em 1989, pegando ainda um pouco de inspiração no traçado antigo e incorporando curvas novas, ficando com 4,271 km de extensão.

Traçado usado na primeira corrida da F1 no circuito, em 1991. – Foto: reprodução

O plano deu certo e no dia 7 de julho de 1991, o GP da França foi disputado pela primeira vez em Magny-Cours. A festa da torcida francesa, no entanto, foi estragada por Nigel Mansell, que venceu a corrida depois de uma disputa acirrada com Prost, que terminou em segundo. 

Nigel Mansell (nº5) disputa com Alain Prost (nº27) a vitória na primeira corrida em Magny Cours. O piloto britânico venceu a prova, estragando a festa da torcida francesa. – Foto: reprodução

Para a segunda corrida, o traçado foi alterado, com a chicane que vinha logo a seguir do hairpin Adelaide sendo retirada. 

As antigas curvas 6 e 7, logo após a Adelaide, foram retiradas para a corrida de 1992. – Foto: reprodução

Depois de 2001, novas modificações foram feitas. A saída dos boxes foi trocada de lugar, com os pilotos se juntando à pista na entrada na curva Estoril. Em 2003, as últimas curvas foram ampliadas, para dar mais oportunidades de ultrapassagens.

Alterações na última parte do traçado foram feitas em 2003, mudando a Chateaux d’Eau e a Lycée. – Foto: reprodução

Mesmo com todas as mudanças, as equipes nunca gostaram do circuito. Além da localização, ficando em uma área rural no centro do país enquanto que Paul Ricard fica no litoral sul, o pit lane apertado também não agradava. Quando os promotores começaram a enfrentar problemas para pagar as crescentes taxas exigidas pela F1, a categoria deixou de fazer suas corridas no circuito, com a derradeira corrida acontecendo em 2008. Com isso, o GP da França deixou de ser disputado por 10 anos, até voltar para Paul Ricard em 2018. 

LEIA MAIS: SÉRIE CIRCUITOS DA F1: Paul Ricard

Se tem um piloto que dominou a pista de Magny-Cours foi Michael Schumacher. O piloto alemão venceu 8 vezes, conseguindo o recorde de mais vitórias em uma mesma pista em 2006. Esse recorde só seria igualado em 2020, com Lewis Hamilton vencendo a 8ª corrida na Hungria. O segundo lugar em número de vitórias é de Nigel Mansell, com duas. Schumacher também conquistou 11 pódios, com Damon Hill, Kimi Raikkonen e Rubens Barrichello tendo quatro. 

Michael Schumacher é o piloto com mais bem sucedido em Magny-Cours, com 8 vitórias e 11 pódios. – Foto: reprodução

A família Schumacher também foi representada por Ralf, que conquistou dois pódios na pista francesa. E do grid de 2021, Fernando Alonso e Kimi Raikkonen não só correram, mas também venceram no circuito francês, com Hamilton conseguindo também um pódio.

Dos pilotos do grid de 2021, Fernando Alonso e Kimi Raikkonen já venceram no circuito, com Alonso vencendo a corrida de 2005 (foto) e Raikkonen a de 2007. – Foto: reprodução

Entre os pilotos da casa, doze já correram no circuito, com Prost sendo o mais bem sucedido, conseguindo um pódio na primeira corrida, em 1991, e uma vitória, em 1993. Essas foram as duas únicas corridas disputadas pelo tetracampeão. Em compensação, Jean Alesi e Olivier Panis foram os pilotos que mais vezes disputaram corridas em Magny-Cours, com Alesi alinhando no grid em 11 corridas (e conseguindo um pódio) e Panis em nove delas. E se a corrida inaugural contou com seis pilotos franceses no grid, esse número foi diminuindo durante os anos, sendo que em 2005 e 2007, nenhum francês representou o país na corrida, com Sebastian Bourdais sendo o único piloto da casa na derradeira corrida, em 2008. 

Jean Alesi (à direita), é o piloto francês com mais participações em corridas no circuito, com 11, conseguindo um pódio na corrida de 1996. – Foto: reprodução

Já entre os brasileiros, 16 pilotos já correram em Magny-Cours, com Rubens Barrichello participando de 16 das 18 corridas disputadas no circuito. Ou quase. Na edição de 2002, a Ferrari esqueceu o carro do piloto no cavalete e Barrichello não conseguiu largar, depois de se classificar em 3º. 

Ferrari esquece de retirar o cavalete dianteiro e Rubens Barrichello tem que abandonar a corrida de 2002 na volta de apresentação. – Foto: reprodução

Apesar do número de corridas, o piloto conseguiu apenas quatro pódios, com Senna também saindo do circuito com um pódio. O único brasileiro a vencer nessa pista foi Felipe Massa, que conquistou três pódios no total. 

Rubens Barrichello é o piloto brasileiro com mais corridas disputadas no circuito, mas foi Felipe Massa o único a conseguir uma vitória no circuito francês, na última corrida de F1 disputada em Magny-Cours em 2008. – Foto: reprodução

LEIA MAIS: Série Circuitos da F1: Dijon

Rouen

Reims

Paul Ricard

Reims

Indianápolis

Baku

Jerez de la Frontera

Mostrar mais

Denise Vilche

Uma revista antiga sobre carros fez nascer uma paixão: a F1. Uma menina curiosa de oito anos queria saber quem eram aqueles tais de Senna, Piquet, Mansell e cia. que a revista mostrava em gráficos coloridos. E mais de 30 anos depois, essa menina, agora jornalista, continua mais apaixonada pela F1 do que nunca.

Deixe uma resposta

Artigos relacionados