Marrakesh ePrix: vencedor, Antonio Felix da Costa domina o sábado da Fórmula E após quali marcado por erro da Jaguar

Sharing is caring!

Após o treino livre realizado na manhã deste sábado liderado por Mitch Evans, os carros voltaram para as ruas de Marraquesh para o treino classificatório. O Quali tem a Super Pole formada por um piloto do grupo 1 (da Costa), quatro do grupo 2 (Guenther, Lotterer, de Vries e Mortara) e um do 3 (Buemi). A fase de grupos teria ocorrido sem grandes problemas, apenas com Robin Frijns dando um leve toque no muro e largou do 14º lugar, se a Jaguar não tivesse protagonizado o momento mais bizarro do fim de semana: Mitch Evans foi liberado tardiamente pela equipe e não conseguiu passar pela linha de largada antes do fim da sessão. Sem conseguir marcar tempo, o neozelandês largou da última posição. 

A pole ficou com Antonio Félix da Costa e o super tempo de 1:17.158. Lucas di Grassi largou em 13º e Felipe Massa em 22º. De volta ao carro, mas ainda se recuperando da enxaqueca de sexta-feira, Jean-Eric Vergne largou do 11º lugar. 

lll Confira os melhores momentos da corrida

Da Costa e Guenther conseguiram manter suas posições e abriram uma leve vantagem para os demais pilotos, a partir do 3º colocado é que as disputas foram mais acirradas, de Vries ganhou a posição de Lotterer e D’Ambrosio partiu para cima de Mortara. 

Lucas di Grassi ganhou a posição de Alexander Sims logo na primeira volta e da Costa passou a sofrer ataques de Guenther. Um pouco mais atrás, Vergne começava sua escalada no grid rumo às primeiras posições. 

Nyck de Vries passou a ser investigado por usar mais energia no regen do que o permitido, ele acabou sendo punido com um drive through. Lá atrás, Mitch Evans ia aos poucos recuperando posições, naquele momento, o piloto Jaguar perdia sua liderança do campeonato. Massa chegou à 18ª posição e di Grassi travava fortes disputas com Sims. 

Com 10 minutos de prova, os 10 primeiros eram da Costa, Guenther, de Vries, Lotterer, Mortara, Buemi, Rowland, Vergne (volta mais rápida), Calado e D’Ambrosio. O belga, aliás, foi o primeiro a ativar o Modo Ataque. 

Nyck de Vries cumpriu sua punição e voltou para a pista apenas em 23º terceiro lugar. 

A corrida estava pouco movimentada até então, enquanto os líderes mantinham suas posições, os pilotos do meio do grid realizavam algumas ultrapassagens, como Wehrlein passando Vandoorne para ganhar a 13ª posição. 

Com o Modo Ataque ativado, Vergne chegou ao 4º lugar após ultrapassar Mortara. Lá atrás, Ma Quinghua foi punido com um drive through por queimar a largada, o chinês já era o último e estava a cerca de sete segundos para o 23º colocado, seu companheiro, Oliver Turvey. 

Turvey e Muller foram punidos também com um drive through por infrações técnicas. 

Na frente, Lotterer recuperou seu terceiro lugar com o auxílio do Modo Ataque. Com o mesmo auxílio, Lucas di Grassi chegou à 9ª posição ao fazer uma ultrapassagem dupla em cima de Calado e D’Ambrosio.

Ganharam o Fanboost di Grassi, D’Ambrosio, da Costa, Wehrlein e Vandoorne.

Faltando 23 minutos para o fim da prova, Max Guenther aproveitou um pequeno vacilo dado por da Costa e tomou a primeira posição do português. A disputa durou quase uma volta, da Costa deu sinais de que resistiria aos ataques do alemão, mas no fim, foi Guenther quem se deu melhor. Tentando recuperar seu lugar de origem, da Costa fez a melhor volta da corrida e partiu para o ataque em cima de Guenther. 

Wehrlein usou o combo Modo Ataque + Fanboost para ultrapassar Sam Bird e ganhar a 12ª posição. 

Se as investidas de da Costa em Guenther eram pesadas, seu companheiro, Vergne, não fazia diferente em cima de Lotterer. A diferença entre o primeiro e o quarto era de apenas 1.5 segundos, mesmo assim, da Costa conseguiu ativar seu Modo Ataque sem perder a posição para o piloto da Porsche. 

Logo após ativar o Modo Ataque, da Costa conseguiu ultrapassar Guenther e abriu tudo o que podia para abrir distância para o piloto da BMW que passou pela zona de ativação na volta seguinte. Quem também aproveitou o embalo foi Vergne, que conseguiu ultrapassar Lotterer mesmo sem o Modo Ataque. 

Além de Vergne, Mitch Evans também vinha em corrida de recuperação e já estava em 12º após meia hora de prova. Enquanto isso, da Costa fazia sucessivas voltas rápidas para se distanciar de Guenther. Lucas di Grassi brigou bastante para ganhar a 8ª posição de Rowland e Felipe Massa ocupava o 16º lugar. 

Ao ativar o segundo Modo Ataque, Vergne diminuiu os 4.5 segundos que tinha de desvantagem para Max Guenther e faltando nove minutos para o fim da corrida, o francês conseguiu chegar ao 2º lugar. Mitch Evans chegou à zona de pontuação ganhar a 10ª posição de D’Ambrosio. O piloto da Jaguar utilizou o Modo Ataque para tirar a diferença para Lucas di Grassi e conquistar o 9º nono lugar do brasileiro. Nesse meio tempo, ele ainda marcou a melhor volta da prova até então, 1:20.737, e chegou à 8ª posição após passar por Rowland. 

Buemi fez uma corrida discreta, conseguindo se manter em sua 6ª posição durante boa parte da corrida com eventuais disputas com Mortara e Lotterer. Enquanto isso, Max Guenther tentava ultrapassar Vergne a todo custo. O alemão teve sucesso apenas na última volta, o piloto da BMW realizou a manobra da prova ao direcionar o carro para o lado direito e jogar o carro para a esquerda bem perto da freada no melhor estilo “drible da vaca”. Um belo momento! 

Mitch Evans continuava sua incrível corrida de recuperação, chegando ao 6º lugar após ultrapassar Alexander Sims. O piloto da BMW teve problemas no carro logo após a manobra e acabou não completando a prova, o único abandono da corrida. Pascal Wherlein fez a real volta mais rápida da corrida 1:20.345, mas não ficou com o ponto, já que ele só é dado caso o piloto mais rápido esteja entre os 10 primeiros.

Bandeira quadriculada e vitória de Antonio Felix da Costa, a primeira do português na nova equipe. Além disso, da Costa também conquistou a liderança do campeonato. Guenther e Vergne completaram o pódio. Lucas di Grassi chegou em 7º e Felipe Massa em 17º após mais uma corrida difícil. 

Devido aos seus problemas de saúde, Vergne foi autorizado a não ir ao pódio, mas optou por participar da cerimônia, o francês foi liberado das entrevistas pós-corridas, assim como o seu companheiro de equipe. 

A próxima etapa da Fórmula E está marcada para o dia 4 de abril em Roma, mas existe o risco de alteração nessa prova por causa do coronavirus. 

Cinthia Maria

Cinthia Venâncio comenta zoeiramente a Fórmula 1 desde os sete anos de idade e nas horas vagas é profissional de marketing, fotógrafa, doceira, redatora e revisora. Como todo bom cearense, nunca diz não a um baião de dois com queijo coalho e carne de sol. Aprecia rock do bom, não tem vergonha de dizer que não é fã do Tarantino e sempre é a motorista da rodada. Geralmente esquece o que não deveria

shares
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com