ColunistaFórmula EPost

Brasileiros enfrentam dificuldades em treino liderado por Oliver Rowland

Em uma pista virgem os pilotos demoraram a buscar as voltas rápidas, Rowland liderou bem

Um treino livre duro para os brasileiros, porém foi da mesma forma para aspirantes ao título, Vergne e Da Costa, porém quem brilhou com a volta mais rápida foi Oliver Rowland com 1:07.832, Rowland era o menos cotado a liderar, a pergunta que fica, será assim durante as três etapas?

Oliver Rowland liderou facilmente a fase final do primeiro treino livre da Fórmula E em Berlim. O britânico no Nissan foi mais rápido em dois décimos do segundo que Sam Bird no 2.º lugar.

Jean-Eric Vergne, Nico Müller e Jerome d’Ambrosio completaram o top 5. No entanto, a sessão foi encerrada prematuramente por causa da quebra do carro da Jaguar conduzido por James Calado, que vinha parado nos boxes desde o início da sessão, infelizmente não foi possível a remoção do carro e os últimos dez minutos do treino foram perdidos.

Início movimentado

Andre Lotterer da equipe Porsche foi o primeiro a abrir volta com 1.29.015, já no segundo giro perdeu a ponta para logo de perto Nico Müller da Geox Dragon e companheiro de equipe de Sérgio Sette Câmara. Câmara aproveitou as primeiras voltar para sentir o carro e assim a pista e desvendar assim os seus segredos.

Após dois minutos e meio, os diretores de prova impetraram o exercício obrigatório de “Full Course Yellow” para o percurso completo.

Após o terceiro minuto do treino, os 23 pilotos foram liberados para seguirem no traçado do Aeroporto de Tempelhof sob bandeira verde, em exceção a James Calado ainda estava nos boxes com o seu carro todo desmontado com problemas não informados pela equipe.

Lucas di Grassi e Antonio Felix da Costa seguiam mais tímidos e não buscavam o topo da tabela.

Após 3 voltas a dupla da Venturi liderava com Mortara a frente de Massa!

Em sua primeira tentativa de volta rápida no 4º giro, Sérgio Sette Câmara ficou em oitavo lugar tendo a sua frente em sétimo Lucas Di Grassi, ambos com desempenho bem parecidos.

Os pilotos melhoravam décimos por décimos nas primeiras voltas.

Na ponta Oliver Rowland na Nissan liderava com 1:09.713, seguido pelo companheiro de equipe Sebastien Buemi, os dois pilotos da Virgin e Eduardo Mortara também estavam entre os líderes nos primeiros 15 minutos do treino.

Enquanto isso o carro do James seguia desmontado nos boxes, o piloto seguia calado e não comentava sobre!

Daniel Abt seguia em último, nem parecendo aquele piloto rápido dos simuladores… não pera!!!

Porém Abt consegue pular para 17ª posição com, caindo vertiginosamente para 19ª após respirar na curva 01!

Então a Jaguar que seguia calada informou que havia um “pequeno problema de software” no carro de James, de modo que a equipe teve que “substituir” todo o trem de força “por precaução”, o que levaria a um possível abandono prematura de James, uma vez que essa troca leva entre 30 e 40 minutos.

Uma pausa para ajustes

Antes de uma parada coletiva nos boxes, Da Costa assumia com 1:09.101.

Apesar da melhora da pista pois os pilotos abaixo do 8º colocado trocavam de posições e os 7 primeiros seguiam quase inalterados.

A próxima volta notável se seguiu após pouco menos de 20 minutos: Mitch Evans ficou em segundo lugar sem definir melhor o setor. O estreante da Audi, Rene Rast, estava em 13º lugar na época. Nyck de Vries, no entanto, reclamou da subviragem. Pouco antes da sessão, a Mercedes teve que trocar a bateria do carro do atual campeão da Fórmula 2. Alguns minutos depois, De Vries alcançou o terceiro lugar com uma volta rápida.

Sérgio Sette Câmara seguia em modesto 21º a 1.037, os demais brasileiros estavam com dificuldades em avançar, Lucas di Grassi seguia em 18º e Felipe Massa em 19º.

Os tempos começavam a melhorar faltando 20 minutos para o término do treino. O líder do campeonato, Antonio Felix da Costa, assumiu a liderança, seguido pelos dois pilotos da BMW, Alexander Sims e Maximilian Günther. Andre Lotterer no Porsche avançou para quinto colocaro.

O estreante Rast continuou a melhorar seu ritmo e tocou levemente a traseira esquerda do muro na saída da curva 5, mas sem danificar o seu carro, por sorte até, pois alcançou ao terceiro lugar na mesma volta.

17 minutos antes do final, de Vries marcou o primeiro tempo na casa dos 1:08.

Enquanto isso, Daniel Abt colocou o seu modesto Nio na sexta posição após colher e usar o modo de ataque.

Bird estabeleceu assumiu a ponta até Vergne surgir logo atrás seguido por Müller que ficou em terceiro lugar, todos utilizaram o modo ataque.

Rowland novamente quem deixou todo mundo para trás uma volta voadora de 1:07.832, volta esta que seria a mais rápida do treino, Rowland assumia ali a liderança, seguido de Bird, Vergne e por sua vez da Costa em 11º, Di Grassi em 20º, Massa em 21º e Sette Câmara em 22º.

James Calado que seguia quieto aguardando o conserto do seu carro partiu para uma tentativa com dez minutos para o final do treino.

No entanto, seu Jaguar parou no setor 1. Primeiro, os diretores da prova agitaram as bandeiras amarelas, para menos de um minuto depois a primeira bandeira vermelha em Berlim. Como o carro ainda estava ativo e não poderia ser removido, o treino foi finalizado faltando 8 minutos para o final.

Oliver Rowland terminou a sessão de abertura como o mais rápido à frente de Sam Bird e Jean-Eric Vergne.

Brasileiros enfrentam dificuldades em treino liderado por Oliver Rowland
Oliver Rowland lidera FP1 em Berlim – Fórmula E
Mostrar mais

Rubens Gomes Passos Netto

Editor-chefe do BP, host do BPCast e colunista.

Deixe uma resposta

Artigos relacionados