ColunistaFórmula 1Post

Verstappen ataca Ferrari, supera Leclerc no início da prova e vence primeiro GP de Miami

Verstappen largou da terceira posição, mas conseguiu um ritmo melhor para surpreender a dupla da Ferrari e vencer pela terceira vez na temporada

O primeiro GP de Miami aconteceu neste domingo (08) de Dia das Mães. A chuva não atrapalhou a prova ou bagunçou o grid, mesmo sendo esperada para o final da prova. Vimos ultrapassagens, mas a corrida não foi tão agitada como era esperado, na realidade os pilotos foram bem conservadores na largada e em vários momentos da corrida, quebrando um pouco a dinâmica das disputas.

Max Verstappen colocou o seu nome na história, por ser o primeiro vencedor do GP de Miami. A Red Bull obliterou mais uma vez os carros da Ferrari em desempenho. Max Verstappen que largou da terceira posição, atacou Carlos Sainz depois que as luzes se apagaram e foi buscar a liderança atacando Charles Leclerc.

No décimo giro, a vantagem que Leclerc tinha acabou, assim como os seus pneus. O holandês que fora alertado pelo rádio encontrou o que era necessário para buscar a ponta. Nem mesmo o Safety Car que ocorreu na volta 40, foi capaz de auxiliar a Ferrari nesta disputa. Verstappen foi administrando e recebeu a bandeirada na liderança.

Charles Leclerc que conquistou a pole e tinha um carro muito veloz no sábado, não conseguiu reverter esse resultado em vitória, precisando se contentar com a segunda posição. Carlos Sainz resistiu bravamente os ataques de Sergio Pérez, pois o piloto da Red Bull aproveitou o Safety Car para instalar pneus médios. O espanhol se defendeu de todas as investidas, mas também se aproveitou de um erro do mexicano, para estabelecer novamente uma distância para o rival.

Pérez conseguiu encerrar a prova no quarto lugar, mesmo enfrentando problemas de perda de potência algumas voltas após o início da corrida.

A Mercedes colocou os seus pilotos em Miami mais uma vez em uma situação difícil. George Russell que largou com os pneus duros, foi permanecendo na pista para conquistar algumas posições, conforme os adversários realizavam as suas paradas. Russell aproveitou o Safety Car para substituir os pneus e retornar com os médios para a pista. O piloto do carro #63 foi devolvido atrás de Hamilton – o heptacampeão mundial ficou sem reação pois a equipe demorou muito para tomar uma decisão, assim, quando a relargada foi dada, Russell pressionou Hamilton e fez a ultrapassagem.

Valtteri Bottas tinha permanecido por grande parte da prova na quinta posição, mas cometeu um erro e viu a dupla da Mercedes ultrapassá-lo. Esteban Ocon ganhou o oitavo lugar ao ultrapassar Fernando Alonso na última volta. O top-10 contou ainda com Alexander Albon que conquistou mais um ponto para a Williams, pois Mick Schumacher e Sebastian Vettel se tocaram.

A Fórmula 1 realiza mais uma breve pausa, antes de disputar o GP de Barcelona.

Saiba como foi o GP de Miami

A noite foi chuvosa em Miami, lavando a pista e afetando diretamente a aderência. Depois que a corrida da W Series foi encerrada, a chuva caiu mais algumas vezes pelo traçado, mas como estava tão quente em Miami, o asfalto secou rapidamente. O fato é que a pista estava sem nenhum emborrachamento, portanto mais suscetível a erros e problemas.

A Pirelli aposta que os times vão realizar duas paradas nesta prova, provavelmente os compostos vão degradar bastante neste fase inicial da prova, sendo consumidos para formar o emborrachamento. A atuação do Safety Car também é bem esperada, por ser um circuito veloz e com algumas curvas bem complicadas, com pontos de frenagem bem exigentes.

Optaram pelos pneus duros: Stroll, Russell, Vettel, Latifi e Ocon, todos os outros pilotos largando com os compostos médios.

Os carros da Aston Martin não foram enviados para a pista, o time identificou um problema com a temperatura do combustível no carro de Sebastian Vettel e Lance Stroll, portanto os pilotos vão começar a prova largando do pit-lane.

A temperatura na pista estava na casa dos 38°C, com 30°C no ambiente.

A dupla da Ferrari tinha conquistado a primeira fila. Ao apagar das luzes, a largada foi dada, Leclerc largou bem, com Sainz defendendo a sua posição, mas o holandês conseguiu ultrapassar o espanhol ficando com a segunda posição. Hamilton tinha largado bem, mas como foi fechado por Pérez, o britânico acabou ultrapassado por Pierre Gasly e Fernando Alonso. O espanhol da Alpine ainda tocou no W13. Russell também começou a despencar no grid, caindo para a décima quinta posição. Os carros da Aston Martin estavam no final do pelotão, tentando se aproximar de Latifi.

A largada fora limpa, sem incidentes, portanto a prova seguiu. Hamilton atacava Alonso, buscando recuperar a sétima posição, enquanto Russell atacava Zhou, mas também era pressionado por Albon. Alonso tinha cometido um erro na terceira volta, isso ajudou Hamilton que se aproximou do espanhol e concluiu a ultrapassagem.

O DRS fora liberado na terceira volta. Hamilton tinha a oportunidade de usa-lo para atacar Pierre Gasly, portanto na sexta volta o inglês retomou a sexta posição. Leclerc tinha 1s7 de vantagem para Verstappen, enquanto o holandês já tinha aberto mais de dois segundos para Sainz. Mick Schumacher atacou Yuki Tsunoda e assim entrou na zona de pontuação, ficando com o décimo lugar.

Guanyu Zhou começou a perder desempenho na sétima volta, desta forma a equipe teve que recolher o carro.

O pneu de Leclerc já estava mais desgastado, portanto foi possível ver uma aproximação de Verstappen no monegasco. A diferença entre eles tinha caído para menos de um segundo na oitava volta, portanto o holandês começou a usar o DRS para atacar o piloto da Ferrari. Na nona volta Verstappen colocou o carro de lado na reta principal, para assumir a liderança da prova. Como o holandês não tomou distância, Leclerc tinha a oportunidade de usar o DRS para atacar.

Na décima volta os dez primeiros eram: Verstappen, Leclerc, Sainz, Pérez, Bottas, Hamilton, Gasly, Alonso, Norris e Schumacher. Duas voltas depois foi o momento que Magnussen ultrapassou Schumacher, para ficar na décima posição. Riccardo tinha ultrapassado Tsunoda para ser o décimo segundo colocado.

Dentro da janela de paradas prevista pela Pirelli, Tsunoda foi chamado pela AlphaTauri para instalar os jogos de pneus duros – o piloto foi devolvido na décima nona posição. Neste instante Leclerc perdeu a frente do carro na curva 17, travando o pneu do lado direito – assim a distância entre ele e Verstappen aumentou.

Magnussen também realizou a sua troca de compostos, chamado aos para os boxes na décima terceira volta. Era o segundo competidor a optar pelos pneus duros. Duas voltas depois foi a vez de Schumacher ser chamado aos boxes. Desta forma Russell assumiu a décima posição, acompanhado por Daniel Ricciardo.

Verstappen tinha a melhor volta no giro dezesseis, anotando 1m33s510. Alonso parou e instalou pneus duros usados, mas a equipe teve problemas para substituir o pneu traseiro direito. O espanhol foi devolvido para a pista em um duelo com Lance Stroll. Vettel atacou Latifi e ganhou a décima quinta posição.

A corrida tinha ficado menos movimentada, mesmo com as paradas sendo realizadas. A única disputa neste momento era de Pérez atacando Sainz, pois o piloto da Red Bull reduziu a distância para menos de um segundo, portanto usava o DRS para atacar. Entretanto, a briga durou pouco tempo, pois Pérez na décima nona volta, Sainz abriu mais de três segundos para o mexicano. Norris parou, mas foi devolvido no décimo quinta posição, entre os dois carros da Haas.

Pérez começou a informar que estava com falta de potência, o carro da Red Bull não trabalha bem em pista quente. O mexicano não estava conseguindo guiar o carro, ficando separado por mais de sete segundos de Sainz.

No vigésimo primeiro giro, Magnussen atacou Vettel, mas o alemão não facilitou a disputa e evitou a ultrapassagem. Hamilton parou na volta 23, retornando atrás de Russell que era o sexto colocado e tinha avançado no grid por conta das paradas de outros competidores.

Leclerc parou na volta 25, instalou os pneus duros, mas a parada não foi tão boa, portanto o piloto da Ferrari foi devolvido na quarta posição, atrás de Pérez. A Red Bull não arriscou, portanto respondeu a parada do time italiano na sequência. Sainz assumiu a liderança e Leclerc ainda estava tentando se aproximar de Pérez. No giro 27 Bottas parou.

A parada de Sainz foi muito ruim, passando dos cinco segundos, toda a vantagem que o espanhol ganhou na pista foi perdida com essa troca de pneus. Pérez também parou junto ao espanhol, mas conseguiu manter a quarta posição.

Com 30 voltas, os dez primeiros eram: Verstappen, Leclerc, Sainz, Pérez, Russell, Bottas, Hamilton, Ricciardo, Ocon e Gasly. Entre eles, apenas Russell, Ricciardo e Ocon não tinham realizado as suas paradas obrigatórias ainda – com o britânico e o francês tinham largado com os compostos duros. Stroll, Vettel, Magnussen e Schumacher duelavam pela décima primeira posição.

Na volta 32, Vettel tinha caído para a décima quarta posição, depois de ser atacado por Schumacher. Norris tinha se aproximado dessa batalha, pois todos podiam se beneficiar do vácuo e também do uso do DRS.

Leclerc tentava se aproximar de Verstappen, o monegasco neste momento tinha a volta mais rápida da prova, depois de anotar 1m32s366. Com o erro de Magnussen na volta 35, Schumacher que pedia a inversão de posições entre os companheiros de equipe, conseguiu o décimo segundo lugar. O piloto da Haas começou a sua caça, buscando piloto da Aston Martin. Vettel também errou, então Norris conseguiu a décima quarta posição.

Durante a volta 39, Alonso tocou em Gasly e conseguiu a nona posição. Stroll também aproveitou o momento para ficar com a décima posição. Na volta 41, Gasly tocou no pneu dianteiro dele no traseiro de Norris, fazendo o piloto da McLaren rodar e ficar parado na pista, pois o seu pneu traseiro direto foi arrancado. O carro de Gasly estava inguiável, o piloto escapou da pista e voltou de forma insegura para a pista.  O virtual Safety Car foi ativo, antes do Safety Car real entrar na pista. A Mercedes conseguiu parar Russell, devolvendo o seu piloto na sétima posição.

Pararam também Pérez, Ocon, Stroll, Ricciardo, Gasly e Tsunoda. O piloto da Alpine, assim como o australiano da McLaren e a dupla da AlphaTauri instalaram os pneus macios. Os dez primeiros eram: Verstappen, Leclerc, Sainz, Pérez, Bottas, Hamilton, Russell, Alonso, Schumacher e Ocon.

Gasly seguiu para os boxes para abandonar a prova na volta 46. O Safety Car deixou a pista e a relargada foi dada na volta 47, Verstappen era o líder, Pérez com os pneus mais novos atacou Sainz, mas o espanhol defendeu a sua posição. Bottas também rentou atacar, mas permaneceu em quinto. Ocon estava pressionando Schumacher para obter a nona posição, uma fila tinha se formado atrás do piloto da Haas.

O incidente entre Stroll e Magnussen pós-relargada passou a ser investigado.

Leclerc estava andando a mais de meio segundo atrás de Verstappen, aproveitando a proximidade dada pelo Safety Car.

No giro 50, Russell atacou Hamilton, Bottas que estava perto e os dois carros da Mercedes passaram. A disputa interna continuou, portanto Russell ganhou a posição de Hamilton. Sainz seguia se defendendo de Pérez. Verstappen cometeu o erro e mais uma vez Leclerc se aproximou do então líder da prova.

Duas voltas depois, Pérez foi para o tudo ou nada, fritou os pneus e Sainz conseguiu completar a curva, pois Pérez perdeu controle do carro. O espanhol conservou mais uma vez a terceira posição. Leclerc seguia forçando o carro para cima de Verstappen.

No giro 54, Vettel ultrapassou Schumacher, mas o piloto da Haas usou o DRS e acertou o piloto da Aston Martin, os dois carros começaram a perder posições, pois ficaram danificados. Schumacher seguiu para os boxes para trocar a asa dianteira enquanto Vettel abandonava a corrida. O carro da Aston Martin e Haas estavam para pontuar mais uma vez nesta temporada. Russell e Hamilton estavam invertendo posições, na briga pelo quinto lugar.


Verstappen recebeu a bandeira quadriculada na liderança, conquistando a terceira vitória da temporada 2022. Leclerc e Sainz completaram o pódio. Pérez não conseguiu usar os pneus mais novos para ganhar as posições dos pilotos da Ferrari. Russell ficou com o quinto lugar, seguido por Hamilton. Bottas obteve a sétima posição depois do erro. Ocon ultrapassou Alonso antes da linha de chegada. Albon pontuou mais uma vez com a Williams.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados