ColunistaFórmula 1Post

Pierre Gasly fecha primeiro dia de testes no Bahrein na liderança e supera Ferrari

Focados nas quilometragem e nos diversos testes de peças, Pierre Gasly ainda encontrou uma brecha para colocar o carro da AlphaTauri na liderança

Pierre Gasly colocou a AlphaTauri na primeira posição, encerrando o primeiro dia de testes no Bahrein na liderança. Está é a segunda fase dos testes coletivos, onde os times estão verificando os seus novos equipamentos.

O francês anotou 1m33s902, com os pneus C5, fechando o dia com 102 voltas. Acredito que se a Ferrari tivesse um pouco mais de tempo, talvez tivesse se esforçado mais para liderar também a atividade da tarde, Carlos Sainz ficou com o segundo lugar, seguido por Charles Leclerc. Com as voltas dos dois pilotos da Ferrari somadas, eles fecharam o dia acumulando 116 voltas.

A sessão encerrou alguns minutos antes do esperado pois Sergio Pérez provocou uma bandeira vermelha, o Virtual Safety Car não foi o suficiente para garantir o reestabelecimento da sessão.

Os testes da F1 no Bahrein tem duração de mais dois dias, com sexta-feira e sábado de atividades no Circuito do Sakhir.

Manhã de testes no Bahrein – Leclerc detém o melhor tempo 

Participaram dos testes pela manhã: Leclerc, Pérez, Vettel, Norris, Albon, Ocon e Zhou e Hamilton. Apenas a Haas não conseguiu mandar nenhum piloto para a pista pela manhã, já que com o atraso para a chegada de sua carga ao circuito, tomou tempo de montagem e seu cronograma ficou comprometido.

Desde Barcelona os times estão tentando compreender os seus dados e realizar mudanças nos novos carros. Aquelas equipes que não conseguiram atingir o peso mínimo vão usar os testes no Bahrein para compreender melhor os seus carros e realizar as mudanças necessária antes da primeira batalha ocorrer no mesmo circuito.

Foi uma semana de grandes novidades, uma delas ligada à saída de Nikita Mazepin da Haas e o retorno de Kevin Magnussen ao time americano. Em Barcelona, durante o último dia de atividades, a Haas entrou na pista sem o patrocínio e as cores da UralKali.

Outra novidade será ver Kevin Magnussen trabalhando com o VF-22, o piloto dinamarquês está marcando o seu retorno à F1. A Haas foi para a pista no Bahrein apresentando um novo layout de sua pintura, agora eles estão com uma faixa vermelha que envolve todo o contorno que dá movimento ao carro.

Pierre Gasly foi o primeiro a deixar os boxes, acompanhado por Lewis Hamilton, os dois pilotos foram enviados para a pista com aquelas grades de aferição que identificam a passagem do ar, ajudando a equipe a compreender se atingiram o trabalho esperado. A Mercedes estava com um carro redesenhado, mas o time alemão havia informado que o carro do Bahrein seria completamente diferente do de Barcelona.

A Mercedes alterou os sidepods, o carro parece até mesmo menor do que o usado em Barcelona – Foto: reprodução Daimler/Mercedes

A Pirelli liberou o uso de todos os pneus para o Bahrein, para que os times possam avaliar os compostos e o comportamento deles em seus carros. Assim como Barcelona, os times receberam 30 jogos de pneus para usar durante os três dias de atividade.

LEIA MAIS: Pirelli fornece seis tipos de pneus para os testes de pré-temporada no Bahrein

Os primeiros tempos do dia foram estabelecidos na casa de 1m45s, mas melhoraram para 1m35s953, mas os times estavam focados em outras avaliações neste início dos testes.

Com imagens da F1 TV era possível perceber que os pilotos cometiam alguns erros, extravasavam os limites de pista e danificavam os seus pneus quando travavam os freios.

Alguns carros como Aston Martin e Mercedes pareciam mais difíceis para fazer algumas curvas, mas poderia estar envolvido com questões de configuração, tanque mais cheio ou até mesmo com a direção dos ventos no Bahrein.

As equipes ainda estão tentando lidar com o ‘proposing’, algo que não será tão simples de resolver como muitos esperavam, os carros ainda estão quicando na reta. Muitos fizeram modificações nos assoalhos, mas também planejaram atualizações nas laterais do carro para tentar melhorar a questão.

Nota-se que os times fizeram várias modificações nos carros e estão mais uma vez verificando a confiabilidade dos seus equipamentos. Charles Leclerc completou 64 voltas, enquanto Sergio Pérez com a Red Bull fez 70 voltas, assim como Lewis Hamilton e a Mercedes que tinham completado 62 giros.

Charles Leclerc foi o líder da atividade, a Ferrari parece que está se esforçando para ficar nas primeiras posições, assim como fez nos dois primeiros dias em Barcelona. O monegasco anotou 1m37s430, tempo realizado com o pneu C3 (faixa amarela – médio), o piloto da Ferrari foi seguido por Alexander Albon que anotou 1m35s070.

A McLaren sofreu alguns problemas pela manhã, enquanto atestava a confiabilidade do seu carro, mas o MCL36 estava sendo preparado para retornar à pista na sessão vespertina, depois de corrigir a questão com o freio.

Tabela de tempos obtidos na manhã de testes – Foto: reprodução

Tarde – Pierre Gasly assume a liderança anotando 1m33s902

Para a atividade vespertina, Bottas, Sainz, Alonso, Russell, Stroll, assumiram o carro dos seus respectivos times para seguir o cronograma de testes.

Pietro Fittipaldi levou o VF-22 para as primeiras voltas no Bahrein. O cronograma da Haas não foi muito extenso, mas a equipe foi realizando algumas voltas durante toda a atividade. O time americano ganhou mais quatro horas na manhã de domingo para realizar testes no Bahrein, já que a carga do seu carro chegou atrasada, após o avião quebrar na Turquia.  As horas extras não têm relação com as quebras, se não seria injusto com a Alfa Romeo que perdeu muito tempo no Bahrein.

Na primeira hora da tarde tivemos uma paralisação, ela foi provocada por Stroll após uma pequena grade de aferição aerodinâmica se soltar do seu carro. A atividade foi retomada rapidamente após a limpeza da pista, não afetando o cronograma dos times, ainda que todos os carros tenham seguido para os boxes.

A McLaren corrigiu o carro, mas não foi um dia tão agitado para a equipe, já que o número de voltas da McLaren correspondia praticamente à apenas meio período com o carro – semelhante a atividade da Haas. Norris foi escalado para participar do primeiro dia de atividades no Bahrein, pois Daniel Ricciardo não estava se sentindo bem pela manhã. Próximo do encerramento da sessão, era possível ver Norris com muita dificuldade para controlar o carro.

As faíscas não foram afetadas, na verdade quando a noite caiu no Bahrein, era possível ver elas de forma mais nítida atuando quando o assoalho tocava o chão.

Os tempos demoraram para mudar na sessão vespertina, foi apenas na última hora que vimos Pierre Gasly superando o tempo estabelecido por Charles Leclerc pela manhã, anotado 1m34s010 com o pneu C4. O francês ainda conseguiu melhorar mais anotando 1m33s902. Carlos Sainz também mostrou um bom trabalho com a Ferrari, assumindo o terceiro lugar depois de anotar 1m34s713 com os pneus C3 (um dos pneus médios da gama), enquanto Lance Stroll estava no quarto lugar e cravou 1m34s736.

Ao longo do dia foi possível ver os pilotos andando mais rápido em apenas um dos setores do circuito, mas não concluindo de fato uma grande volta rápida. Alexander Albon conseguiu permanecer grande parte do dia na segunda posição, perdendo um pouco de terreno apenas a tarde quando foram acometidos por um problema hidráulico.

A Red Bull foi vista fazendo vários testes aerodinâmicos, usando principalmente o flow-vis na parte inferior do seu carro.

Com as imagens também foi possível observar alguns times aproveitando para andar próximos dos outros carros, até para simular o uso do DRS em uma ultrapassagem.

Apenas Sergio Pérez, Pierre Gasly e Alexander Albon conseguiram passar das 100 voltas, mas com as voltas obtidas pela manhã e tarde com a sua dupla de pilotos, vários times conseguiram uma quilometragem respeitável.

Próximo dos últimos dez minutos, Sainz anotou 1m34s359, para assumir a segunda posição, o piloto espanhol estava tentando deixar a Ferrari melhor posicionada na tabela de tempos.

Sergio Pérez provocou a última bandeira vermelha do dia, o mexicano perdeu a traseira do carro, ficando atolado na brita. O que era apenas um aleta de virtual Safety Car, provocou o encerramento da sessão.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados