ColunistasDestaquesFórmula 1

Testes 4: Somente o atual campeão para tirar Vandoorne da ponta

Depois de um dia de testes atrapalhado pelo mau tempo em Barcelona, hoje (01/03) os carros conseguiram voltar para a pista imprimindo um ritmo mais forte, mas no início da manhã a pista estava tomada por uma neblina, fato que não foi suficiente para afastar os pilotos que já haviam ficado presos nos boxes no dia anterior.

A briga pela ponta ocorreu, mas Vandoorne foi o que ficou mais tempo na liderança, o piloto da McLaren completou 110 voltas ao final do dia, com Alonso completando 50 giros. Lewis Hamilton acabou desbanco o belga quando registrou 1:19:333.

Os testes de pré-temporada retornarão no dia 6/03 indo até 9/03.

lll Saiba como foi o quarto dia de testes

Marcus Ericsson não perdeu tempo e foi o primeiro a deixar os boxes da equipe para uma volta de instalação, pouco depois foi seguido por Hulkenberg, Gasly, Vandoorne, Sirotkin, Vettel e Magnussen, todos utilizando os pneus de chuva extrema.

Os tempos começaram a melhorar assim que na pista se formou um trilho com áreas secas. Stoffel Vandoorne era o piloto que liderava a sessão e também o que mais tinha voltas registradas na primeira hora do dia. O belga seguiu realizando o seu trabalho para a McLaren e mesmo com os tempos ainda muito altos, Vandoorne buscava ir melhorando os resultados aos poucos.

A primeira bandeira vermelha do dia foi causada por Marcus Ericsson da Sauber que acabou perdendo o controle do carro na curva 2, sendo removido por um guincho, mas assim que a pista fora limpa não demorou muito para atividade ser retomada e novamente Vandoorne era visto dando mais algumas voltas, seguido por Pierre Gasly da Toro Rosso.

Vandoorne liderava o treino e registrava 1:43:443, com Sirotkin ocupando o terceiro lugar, o belga perdeu a primeira posição momentaneamente quando acabou se encaminhando para os boxes e o piloto da Williams atingia a marca de 1:40 dando sinais de que a pista estava realmente melhor. Sebastian Vettel retornou para a pista com os pneus intermediários marcando um novo momento da pista. Apenas Pérez da Force India e Max Verstappen da Red Bull seguiam nos boxes.

Com os compostos intermediários Vettel acabou virando 1:39:791 e Bottas, utilizando o mesmo tipo de pneu, rondava o segundo lugar. O finlandês seguia a sua atividade, passando a assumir a ponta e sobrando para o segundo colocado onde a sua melhor marca nesse stint foi 1:33:774.

A ponta da tabela ficou disputada e deu até mesmo Kevin Magnussen da Haas com os pneus intermediários marcando 1:33:514, mas pouco depois era a vez de Nico Hulkenberg marcar 1:33:059 e finalmente Max Verstappen era visto na pista. Outras mudanças ocorreram nas posições na tabela com Gasly figurando voltas rápidas com um motor Honda, que parece mais resistente. Foi nesse momento também que as equipes passaram a investir nos pneus de pista seca e Bottas voltou a assumir a liderança da tabela com 1:25:945, melhorando até atingir 1:22:789, quase meia hora depois.

Se a impressão era a de que Bottas era o mais veloz, o Nico Hulkenberg conseguiu bater o tempo do finlandês com 1:22:507 e logo depois o Belga da McLaren entrava na briga utilizando os pneus hipermacios e obtendo 1:20:899. Vettel era o quarto colocado com os pneus médios e Ericsson era o quinto lugar com os pneus supermacios e registrando 1:23:825.

Ficou decidido que não haveria pausa para o almoço e que a pista continuaria aberta para que as equipes pudessem continuar os trabalhos, na tentativa de amenizar as perdas do dia anterior.

lll Tarde

Hamilton acabou assumindo o lugar de Bottas na Mercedes, assim como Charles Leclerc no lugar de Ericsson na Sauber, Stroll no lugar de Sirotkin pela Williams.

Vandoorne foi o primeiro piloto a quebrar a barreira das 100 voltas e retornar para a liderança com 1:19:854 com um novo jogo de pneus hipermacios. Vettel aparecia em segundo e Magnussen voltou a figurar na terceira posição com 1:21:241.

A troca entre Nico Hulkenberg e Carlos Sainz acabou ocorrendo no período da tarde e a pista voltou a ficar movimentada com os pilotos que não haviam participado dos testes da manhã.

Mais uma bandeira vermelha foi acionada, quando Max Verstappen ficou preso na brita. Após a remoção do holandês, novamente os pilotos não perderam tempo para ocupar a pista.

Já avançando para as horas finais do treino, Lewis Hamilton, que vinha mostrando um grande avanço, passava a liderar os testes até atingir a marca de 1:19:333. Alonso também mostrava um bom desempenho e passava a ocupar a quinta posição ficando na frente de Sainz e Stroll. Magnussen seguia imprimindo um bom ritmo e era o quarto colocado com 1:20:317.

A última meia hora ditou o acúmulo de quilometragem com Alonso completando 50 voltas. Gasly, Vandoorne e Magnussen foram os que mais completaram voltas ao final do dia.

https://twitter.com/F1/status/969262122654928896

Mostrar mais

Debora Almeida

Jornalista, escrevo sobre automobilismo desde 2012. Como fotógrafa gosto de fazer fotos de corridas e explorar os detalhes deste mundo, dando uma outra abordagem nas minhas fotografias. Livros são a minha grande paixão, sempre estou com uma leitura em andamento. Devoro séries seja relacionada a velocidade ou ficção cientifica.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
%d