AutomobilismoColunistaFórmula EPost

Quali de Mônaco: Félix da Costa garante a sua segunda pole position da temporada

Duas Techeetah na Superpole, Sette Câmara no muro e Rowland com volta deletada marcaram a sessão

Antonio Félix da Costa levou a Techeetah à pole position em Mônaco. O português superou todos os adversários e vai largar na posição de honra em Monte Carlo, é a segunda pole do piloto na temporada, sua primeira em Mônaco na Fórmula E.

O companheiro de da Costa, Jean-Eric Vergne, também foi para a Superpole, mas vai largar da quarta posição. Ao seu lado estará Mitch Evans, que liderou o TL1 e foi o segundo mais rápido no TL2. Robin Frijns ficou com a P2. 

O quinto colocado seria Oliver Rowland, mas um erro da equipe fez com que sua volta da Superpole fosse deletada. Max Guenther é quem larga do 5º lugar.

A manhã de sol em Mônaco começou complicada para Sérgio Sette Câmara, de powertrain novo, o carro do brasileiro apagou na Rascasse na metade do primeiro treino livre, causando uma bandeira vermelha de mais de 10 minutos. Diversos fiscais tiveram que empurrar o Dragon de Sette Câmara para os boxes. Ele voltou à pista no decorrer do TL2. 

GRUPO 1 – de Vries | Vandoorne | Bird | Frijns | Evans | Rast

O grupo 1 foi para a pista com pouco mais de dois minutos restantes. Evans reclamou que de Vries estava atrapalhando a volta de preparação ao realizar brake tests na frente de Sam Bird.

Robin Frijns fez o melhor tempo do grupo, 1:32.638, ele ainda informou no rádio que tocou algum dos muros. Mitch Evans foi o segundo mais rápido com o tempo de 1.31.772, seguido por René Rast (1:32.125). 

Vandoorne marcou 1:32.277 e Bird fez 1:33.070. A tática de de Vries não funcionou tanto, pois ele foi apenas o último (1:33.070).

GRUPO 2 – Vergne | Dennis | Mortara | Wehrlein | Müller | Rowland

Vergne puxou a fila do grupo 2, seguido por Dennis e Müller, mas foi Mortara o primeiro a marcar tempo, 1:32.329, ficando apenas com o 10º lugar temporário. Ele deu um leve toque no muro da curva da Tabacaria. Vergne andou bem e ficou com a 3ª posição ao fazer 1:31.839.

Oliver Rowland ficou logo atrás do piloto da Techeetah e Wehrlein veio a seguir. Os três se colocaram entre os seis primeiros. Jake Dennis ficou com a 7ª posição e Müller, com a 11ª.

GRUPO 3 – Sims | da Costa | Lynn | Lotterer | Cassidy | Turvey

Antonio Félix da Costa foi para a pista seguido pela dupla da Mahindra com Sims à frente. O português tirou a 3º posição do companheiro de equipe com o tempo de 1:31.832. Cassidy foi o outro piloto desse grupo a se colocar entre os seis primeiros, ele conseguiu o 6º lugar ao fazer 1:31.853.

Alex Lynn conseguiu o 8º lugar com 1:21.952, duas posições à frente do companheiro de equipe, Alexander Sims. Andre Lotterer ficou apenas em 15º (1:32.339) e Oliver Turvey em 17º (1:33.070).

GRUPO 4 – di Grassi | Sette Câmara | Guenther | Buemi | Nato | Blomqvist 

Norman Nato foi punido com a perda de duas posições no grid por ignorar as bandeiras de advertência e dar um leve toque no carro de Sette Câmara durante o incidente no TL1.

Max Guenther anotou 1:31.817 e se colocou na 3ª posição. Nato ficou com o 10º lugar e di Grassi, com o 16º (1:32.303).

Buemi segurou um pouco o ritmo e abortou a volta rápida para tentar um tempo melhor na segunda volta que tinha direito. Sérgio Sette Câmara bateu na última curva e causou uma breve bandeira vermelha. Como Buemi e Blomqvist não conseguiram marcar tempo por causa da batida de Sette Câmara, os dois foram autorizados a fazer uma volta lançada.

As tentativas não surtiram muito efeito, Buemi fez 1:32.209 e ficou com o 13º lugar, enquanto a Blomqvist, restou a 21ª posição (1:32.630).

SUPERPOLE – Frijns | Evans | Guenther | da Costa | Vergne | Rowland

Rowland – o piloto da Nissan cometeu alguns erros durante a sua volta, mesmo assim conseguiu um ótimo tempo, 1:31.547, bem mais baixo que o tempo de Frijns na fase de grupos. Infelizmente para Rowland, sua volta foi cancelada por sair dos boxes com a luz vermelha acesa. A equipe o liberou tarde demais para iniciar sua volta e ele não teria mais autorização para iniciar sua volta.

Vergne – antes do cancelamento da volta de Rowland ser confirmado, Vergne garantiu um tempo melhor para si. O francês marcou 1:31.376 e assumiu a pole provisória. 

Da Costa – o companheiro de Vergne conseguiu uma marca ainda melhor. O português superou o carro 25 da Techeetah por apenas 0.059. Os dois perderam um pouco de tempo no terceiro setor.

Guenther – apesar de fazer uma volta limpa, Guenther não conseguiu superar a dupla da Techeetah e ficou com terceiro lugar ao marcar 1:32.039.

Evans – algumas deslizadas na pista não tiraram tanto o brilho da volta de Evans, o neozelandês tirou a segunda posição de Vergne ao fazer um tempo 0.008 mais baixo que o do piloto da Techeetah. 

Frijns – com parciais mais altas que as de da Costa, Frijns tentou ao máximo conseguiu um honroso segundo lugar com apenas 0.012 de diferença para da Costa. O piloto da Virgin superou o Mitch Evans e ficou com o outro lugar na primeira fila ao marcar 1:31.329.

Mostrar mais

Cinthia Venâncio

Cearense que acompanha Fórmula 1 desde que se entende por gente. Faz aniversário no mesmo dia do Damon Hill.

Deixe uma resposta

Artigos relacionados