ColunistaDestaquesFórmula 1Post

Na casa da Ferrari, McLaren brilha com dobradinha liderada por Daniel Ricciardo

A corrida foi grande, Daniel Ricciardo se aproveitou de uma boa largada para vencer. Enquanto Hamilton e Verstappen abandonaram a corrida

O GP da Itália registra mais uma grande corrida para a sua história, assim como a prova que foi disputada em 2020. Um dia para marcar na memória, afinal, já tinha muito tempo que tanto a McLaren, quanto Daniel Ricciardo não tinham vitórias.

A última vitória da McLaren ocorreu em 2012 durante o GP do Brasil com Jenson Button, enquanto a última vitória de Daniel Ricciardo foi no GP de Mônaco de 2018. E se ainda quiser colocar na história mais um registro, a última dobradinha da McLaren foi conquistada por Lewis Hamilton e Jenson Button no GP do Canadá de 2010.

Daniel Ricciardo realizou uma grande prova, assumiu a liderança da corrida depois que atacou Max Verstappen na largada. O australiano fez uma corrida consistente, contou com um ótimo pit-stop e pode comemorar esse feito na casa da Ferrari. Lando Norris ajudou a completar a festa do time de Woking, pois conquistou a segunda posição.

Norris também fez uma grande corrida, travou uma disputa intensa com Charles Leclerc da Ferrari durante a relargada. O britânico desejava o P1, ainda tentou fazer a equipe realizar uma inversão de posição, mas a vitória ficou com o Sr. Sorriso da F1.

Valtteri Bottas completou o pódio depois de escalar o pelotão quando largou lá do fim do grid cumprindo uma punição, mas para estar no terceiro lugar também contou com a punição dada para Sergio Pérez que caiu para o quinto lugar.

A dupla da Ferrari também foi um destaque da corrida, Charles Leclerc ficou com o quarto lugar, enquanto Carlos Sainz terminou a corrida em sexto. No início da prova o espanhol da Ferrari teve uma batida com Antonio Giovinazzi, mas conseguiu seguir a sua corrida.

Lance Stroll representou a Aston Martin na sétima posição, enquanto Fernando Alonso foi o oitavo colocado. A Williams já está fingindo costume na zona de pontuação pois George Russell conquistou o nono lugar, enquanto Esteban Ocon completou o Top-10.

A disputa pela quinta posição do Campeonato de Construtores se intensifica, pois a dupla da AlphaTauri não participou da corrida.

Verstappen x Hamilton

E se você está estranhando o motivo de não ter Lewis Hamilton ou Max Verstappen entre os dez, é porque os pilotos abandonaram a corrida. O inglês e o holandês se encontraram na pista, bateram e ficaram parados na brita.

Tudo começou com o fato da parada de Verstappen ser ruim, mas a de Hamilton também não foi boa. 

Max Verstappen e Lewis Hamilton bateram – Foto: reprodução

A batida deles só não gerou uma tragédia, justamente pela utilização do halo. O carro de Max passou por cima da Mercedes de Hamilton e o pneu pegou diretamente no halo.

Desta forma os líderes do campeonato terminaram o GP da Itália zerados.

Agora a F1 realiza uma pausa de quinze dias, retornando para o GP da Rússia.

Saiba como foi o GP da Itália

A Sprint Qualifying realizada no sábado definiu o grid de largada deste domingo. Valtteri Bottas está cumprindo uma punição por troca dos componentes do motor e o finlandês começou da última posição.

Depois da batida que ocorreu durante a Sprint, a AlphaTauri realizou a troca da unidade de potência de Pierre Gasly, além de um componente que era de especificação diferente, além disso a equipe também fez a troca do câmbio, desta forma o francês foi forçado a começar a corrida do pit-lane.

O grid de largada ficou definido desta forma: 

Nos últimos dez minutos antes da largada, a AlphaTauri retirou o carro de Yuki Tsunoda, retornando com ele para os boxes. Ainda não havia confirmação se Gasly teria condições de largar, pois enfrentava problema nos freios.

Com a possibilidade de escolher os pneus para a largada, começaram com os compostos duros apenas Hamilton, Kubica, Bottas e Gasly. Todos os outros estavam com os pneus médios.

Largada

Verstappen foi atacado por Daniel Ricciardo que assumiu a liderança da corrida, enquanto Norris e Hamilton se enfrentavam, mas até o final da primeira volta o piloto da McLaren assumiu a terceira posição. Uma bandeira amarela localizada ocorreu por conta da batida entre Carlos Sainz e Antonio Giovinazzi, o piloto da Alfa Romeo tinha ultrapassado o da Ferrari, depois de ter escapado da pista, mas o espanhol acabou tocando da traseira do carro do italiano pouco depois.

A largada de Sebastian Vettel não foi muito boa, o alemão ainda foi espremido pelo companheiro de equipe e caiu para a décima terceira posição.

A pista foi liberada, Giovinazzi foi para os boxes tendo que trocar a asa dianteira pois ficou danificada. O italiano retornou no final do grid.

Na 5ª volta, os dez primeiros eram: Ricciardo, Verstappen, Norris, Hamilton, Leclerc, Sainz, Pérez, Stroll, Alonso e Ocon. Gasly abandonou a corrida depois de se dirigir para os boxes. A distância entre Ricciardo e Verstappen era de menos de um segundo e o piloto da Red Bull tentava buscar a ponta.

Valtteri Bottas tentava escalar o grid e na 7ª volta já era o décimo terceiro colocado. No giro seguinte Antonio Giovinazzi recebeu uma punição de cinco segundos por ter retornado de forma perigosa.

Durante a 9ª volta, Pérez atacava Carlos Sainz, pouco depois conseguiu a ultrapassagem assumindo a sexta posição.

Foi na 12ª volta que a briga entre Hamilton e Norris ficou mais uma vez intensa, já que o inglês não estava conseguindo permanecer por muito tempo atrás do piloto da McLaren. Norris jogava duro e não deixava espaço para que o inglês se conclui a ultrapassagem.

Bottas chegou a décima posição depois de ultrapassar Latifi durante a décima terceira volta.

Vettel foi tocado por Ocon quando o piloto da Alpine fechou o rival da Aston Martin no 15º giro. O lance passou a ser investigado pela direção de prova.

Ricciardo permanecia na liderança da corrida, mas estava reclamando da durabilidade dos pneus traseiros. No entanto, Max Verstappen também estava enfrentando o mesmo problema quando a corrida se aproximava da 20ª volta.

Portanto, durante o 20º giro os dez primeiros eram: Ricciardo, Verstappen, Norris, Hamilton, Leclerc, Pérez, Sainz, Stroll, Bottas e Alonso.

Esteban Ocon recebeu uma punição de cinco segundos pelo incidente com Sebastian Vettel na volta seguinte.

Durante a 22ª volta, começou a janela de paradas, Daniel Ricciardo foi o primeiro a realizar a troca dos pneus e instalou os pneus duros. Sebastian Vettel também foi chamado para fazer a sua parada. Max Verstappen assumiu a primeira posição, mas não pode resistir por muito tempo e para completar o problema a parada de Verstappen foi péssima, o holandês retornou na décima posição.

Durante a 24ª volta Hamilton assume a liderança da corrida, depois de ultrapassar Norris. E no giro seguinte a McLaren fez a troca do britânico que retornou na oitava posição à frente de Verstappen.

A Mercedes optou por retirar os pneus duros de Hamilton e instalar os compostos médios. E na volta 26 a parada de Hamilton não foi tão boa, o piloto retornou no bolo, junto com Verstappen. O inglês e o holandês se tocaram e foram juntos para a brita, abandonando a corrida simultaneamente pois os carros ficaram grudados já que Verstappen passou por cima do carro de Hamilton.

A Red Bull tocou a parte superior da Mercedes, Hamilton também foi levemente atingido, mas o halo salvou o inglês.

O Safety Car foi ativo, os pilotos que não tinham parado ainda se dirigiram para os boxes. Os dez primeiros eram: Ricciardo, Leclerc, Norris, Pérez, Sainz, Bottas, Stroll, Alonso, Russell e Latifi.

A relargada ocorreu na volta 31, Ricciardo aqueceu os pneus e dominou a ponta, tentando evitar o ataque de Charles Leclerc que estava com os pneus mais novos.  Na primeira curva Norris e Leclerc se tocaram, mas eles seguiram, metros depois o piloto da McLaren assumiu a segunda posição.

E na volta 32, Bottas realizou a ultrapassagem em Sainz, assumindo o quinto lugar. Enquanto Pérez era o terceiro colocado, depois que cortou uma parte da pista. Bottas também tentou uma ultrapassagem em Leclerc, mas devolveu a posição.

Para completar o duelo, Mick Schumacher e Nikita Mazepin se encontraram, o russo fez o companheiro de equipe rodar.

Na volta 36 a McLaren começou a viver um dilema, pois Norris estava andando em um ritmo muito mais forte que o australiano. Pérez tinha se aproximado do piloto da McLaren, enquanto Bottas também estava perto daquela disputa.

No giro 38, Pérez foi punido por ter tido vantagem duradoura depois de ultrapassar Leclerc. O mexicano estava na terceira posição, mas não tinha cinco segundos de vantagem para Bottas.

Durante a volta 40, os dez primeiros eram: Ricciardo, Norris, Pérez, Bottas, Leclerc, Sainz, Stroll, Alonso, Russell e Ocon. Quatro pilotos tinham saído da prova. O australiano tinha aberto 1s2 de vantagem para Norris.

Três voltas depois, Bottas fez o possível para conseguir a terceira posição, mas Pérez aplicou o x’s e retomou a terceira posição.

Restando 10 voltas para o final, Mazepin abandonou a corrida depois de enfrentar problemas, provocando um virtual Safety Car só para remover o carro do russo.

Se aproximando do final da corrida, a distância entre os pilotos era de cerca de 1s2. Bottas só precisava estar a menos de cinco segundos para Pérez, pois ficaria com a terceira posição, o mesmo acontecia entre Latifi e Ocon, pois o piloto da Alpine também foi penalizado.

Daniel Ricciardo recebeu a bandeirada, para conquistar a oitava vitória da carreira. Desde 2018 que o australiano na vencia uma corrida. Lando Norris ficou com a segunda posição, enquanto Valtteri Bottas completou o pódio. Pérez caiu para a quinta posição.

E para completar o feito, Ricciardo anotou 1m24s812, ficando com a volta mais rápida da corrida.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados