ColunistaFórmula 1Post

Em disputa entre Red Bull e Ferrari, Leclerc crava a pole para o GP da Austrália

Entre bandeiras vermelhas, Charles Leclerc supera Max Verstappen e crava segunda pole da temporada 2022, com o cronômetro zerado em Melbourne

A classificação em Melbourne não conseguiu fugir de incidentes, neste sábado (09) vimos mais uma vez a bandeira vermelha ser necessária após batidas entre pilotos e problemas que surgiram nos carros. Outra coisa que vimos foi mais uma pole de Charles Leclerc, a 11ª em sua carreira. O monegasco duelou mais uma vez contra a dupla da Red Bull na busca por obter a pole da terceira etapa.

Na última oportunidade de volta rápida, Verstappen não foi tão bem nos dois primeiros setores da pista, mas anotou 1m18s154. Leclerc que estava fechando a sua volta, registrou 1m17s868, para superar o holandês por 0s286. Sergio Pérez que andou muito bem nesta classificação e esteve bem próximo do companheiro de equipe, ficou com o terceiro lugar, anotando 1m18s240. Infelizmente Sainz não conseguiu repetir o bom ritmo dos treinos livres e do início da classificação, o espanhol obteve apenas a nona posição.

Desta forma, sobrou um espaço para a McLaren. Realmente o desempenho da equipe na pista não era fogo de palha, Lando Norris obteve a quarta posição, com Daniel Ricciardo na sétima posição. E mesmo com todas as dificuldades enfrentadas, Lewis Hamilton foi o quinto colocado, enquanto George Russell obteve o sexto lugar.

Esteban Ocon representou a Alpine na oitava posição, o piloto francês não teve o mesmo ritmo forte de Fernando Alonso. A Alpine deveria estar nas primeiras posições nesta classificação, mas Fernando Alonso bateu durante o Q3, danificando o carro e prejudicando a sua volta rápida.

A Fórmula 1 retorna no início da madrugada de domingo, às 2h pelo horário de Brasília, para disputar o GP da Austrália.

Saiba como foi a Classificação para o GP da Austrália 

Antes do início das atividades de sexta-feira a FIA retirou a quarta zona de DRS, para assegurar a segurança dos pilotos.

A temperatura da pista estava na casa dos 32°C, com 24°C no ambiente. A Pirelli ofereceu para o GP da Austrália os pneus: C2 (duro – faixa branca), C3 (médio – faixa amarela) e C5 (macio – faixa vermelha).

Q1

A Aston Martin estava tentando recuperar os carros dos seus pilotos para que eles participassem da classificação. Tanto Sebastian Vettel quanto Lance Stroll bateram durante a realização do TL3.

Rapidamente os pilotos passaram a ocupar a pista, todos tinham os pneus macios instalados. Albon registrou 1m21s152, acompanhado por Magnussen que anotou 1m21s243. Instantes depois Leclerc liderava a atividade anotando 1m19s391, enquanto Norris ocupava a segunda posição, separado por apenas 0s373 do líder. A disputa durante o Q1 já era intensa, para começar a mostrar quem tinham o melhor equipamento.

Carlos Sainz que estava mostrando muito ritmo desde o início do fim de semana, saltou para a ponta, anotando 1m19s179, acompanhado por Pérez que roubou a segunda posição, com 1m19s307. Latifi cometeu um erro, perdendo o carro na curva 11, mas conseguiu retornar ao traçado regular.

Quando restavam dez minutos para o encerramento da atividade, era possível ver, dois carros da Ferrari, dois da Red Bull e dois da McLaren. Leclerc saltou mais uma vez para a ponta, estabelecendo o tempo de 1m18s881, com Verstappen em segundo (1m18s925). Os tempos mudavam rapidamente, com alguns pilotos permanecendo mais tempo no circuito para estabelecer o melhor tempo durante a quarta volta do pneu macio.

Fernando Alonso chamava a atenção, tentando ficar próximo dos carros da Ferrari e Red Bull. O piloto espanhol estava andando muito bem em Melbourne. Alonso apareceu na quarta posição depois de anotar 1m19s192.

Nos últimos cinco minutos de Q1, os dez primeiros eram: Verstappen, Pérez, Leclerc, Sainz, Alonso, Bottas, Norris, Ocon, Ricciardo e Russell. Na zona de eliminação estavam: Magnussen, Zhou, Tsunoda, Latifi, Stroll e Vettel. A Aston Martin conseguiu liberar Stroll para a pista, enquanto o carro de Vettel ainda passava por reparos nos boxes.

Restando dois minutos para o encerramento da atividade, o regime de bandeira vermelha foi instaurado. Lance Stroll e Nicholas Latifi bateram. O pneu dianteiro direito de Stroll, bateu no pneu traseiro do carro de Latifi, depois de jogar o carro para cima do adversário. O piloto da Williams rodou e bateu no muro de contenção, ficando com o carro bem danificado após o toque. A suspensão traseira do FW44 ficou completamente destruída. Os comissários investigariam a colisão depois do encerramento da classificação.

O carro de Stroll precisaria passar por um novo reparo. E por conta da da paralisação da sessão, a Aston Marin ganhou um pouco mais de tempo para recuperar o carro de Vettel.

Antes da atividade ser reestabelecida, vários pilotos aguardavam na saída do pit-lane. Vettel acompanhava os outros competidores para tentar um giro rápido no Q1. Existia muito trânsito na pista, por conta da liberação de dez, dos 20 pilotos. Os pilotos não melhoraram os seus tempos, pois a pista tinha esfriado. Vettel ficou com a décima oitava posição, depois de anotar 1m21s149. Alexander Albon ficou parado na pista, após ordens da equipe que identificou um problema no carro.

Eliminados

16) Alexander Albon – 1m20s135
17) Kevin Magnussen – 1m20s254
18) Sebastian Vettel – 1m21s149
19) Nicholas Latifi – 1m21s372 – Bateu
20) Lance Stroll – 1m31s372

Q2

O Q2 começou com atraso, para que a remoção do carro de Alexander Albon fosse realizada.

Os pilotos foram deixando os boxes com os pneus macios instalados, pois eram a melhor opção, pois aqueciam mais rápido e também são compostos mais velozes que os médios disponibilizados para a etapa. Verstappen anotou 1m18s611, enquanto Alonso conseguiu ficar na segunda posição depois de anotar 1m18s815. Pérez era o terceiro colocado. Nesta primeira volta rápida, Leclerc era o quarto colocado, Norris e Ricciardo apareciam na quinta e sexta posição, enquanto Sainz era o sétimo colocado. Hamilton fez o melhor primeiro setor, saltando para a oitava posição.

Em sua segunda volta rápida, a quarta do pneu macio, Pérez assumiu a primeira posição registrando 1m18s340. Hamilton teve a sua volta um pouco atrapalhada, pois Vestappen que estava próximo da linha rápida do traçado, não saiu quando o inglês estava passando.

Restando cinco minutos para o encerramento da atividade, os dez primeiros eram: Pérez, Verstappen, Alonso, Leclerc, Norris, Russell, Ricciardo, Sainz, Hamilton e Gasly. Alguns pilotos aguardavam nos boxes para uma segunda saída. Tsunoda e Zhou teriam apenas um jogo de pneus para buscar um bom tempo.

Zhou apareceu na décima terceira posição, anotando 1m20s438, enquanto Tsunoda tinha 1m37s188, aparecendo apenas na décima quinta posição, pois estava ainda aquecendo os pneus. Leclerc melhorou o seu tempo e assumiu a segunda posição com 1m18s606.

Com o cronômetro zerado Sainz saltou para a segunda posição. Hamilton melhorou o seu tempo, saltando para a oitava posição, ficando atrás de Russell. Tsunoda ficou com a décima terceira posição, depois de ter cometido um erro na sua volta ao extravasar os limites de pista, o piloto da AlphaTauri era seguido por Zhou.

Vettel foi multado por €600 uma segunda vez no fim de semana, agora por ter excedido a velocidade no pit-lane.

Eliminados

11) Pierre Gasly – 1m19s226
12) Valtteri Bottas – 1ms19s410
13) Yuki Tsunoda – 1m19s424
14) Guanyu Zhou – 1m20s155
15) Mick Schumacher – 1m20s465

Q3

O Q3 começou de forma bem agitada, com nove dos dez pilotos deixando o pit-lane para tentar obter a sua melhor volta. Todos utilizavam mais uma vez os pneus macios. Pérez detinha a melhor volta anotando 1m18s398, após superar Verstappen por apenas 0s001. Ricciardo apareceu na terceira posição momentaneamente, com 1m19s032. A dupla da Ferrari, assim como a Mercedes estavam em volta de aquecimento dos pneus.

O regime de bandeira vermelha foi instaurado, Fernando Alonso perdeu o controle do carro na curva 11, depois que o motor apresentou um problema hidráulico e não permitiu que ele reduzisse a velocidade, o espanhol não tinha aferido tempo ainda, pois bateu durante o seu giro rápido. Era uma pena, principalmente após Alonso mostrar durante todo o fim de semana que tinha chances de estar próximo dos primeiros colocados.

Alonso tinha o terceiro motor instalado no seu carro, após a Alpine identificar falhas nos outras duas unidades de potência.

Leclerc era o líder da atividade depois de anotar 1m18s239, mas o tempo de Sainz foi deletado, por conta do regime de bandeira vermelha ter sido instaurado instantes antes dele cruzar a linha de chegada. O cronômetro foi paralisado quando restavam 06 minutos e 58 segundos.

A pista foi liberada mais uma vez, Hamilton e Russell foram deixaram os boxes juntos. Os pilotos da Mercedes completaram duas voltas de aquecimento para preparar os compostos desta segunda volta rápida. Russell saltou para a quarta posição, registrando 1m19s004, enquanto Hamilton era o sexto colocado, com 1m19s046. Leclerc assumiu a liderança, anotando 1m18s239, superando Pérez por 0s001, a proximidade era muito grande. A disputa entre Ferrari e Red Bull era intensa.

Verstappen passou pela linha de chegada anotando 1m18s154, com Leclerc saltando para a primeira posição instantes depois, assim que registrou 1m17s868. O tempo de Sainz foi bem ruim, desta forma o piloto espanhol ficou com a nona posição. Hamilton teve tempo hábil para registrar o quinto melhor tempo, depois de superar o companheiro de equipe.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados