ColunistaFórmula 1Post

Em dia de glória, Verstappen vence GP da Emilia-Romagna e acirra disputa com Hamilton

Verstappen conquistou a vitória, superando Hamilton. O inglês ainda realizou uma corrida de recuperação e foi o 2º colocado em Ímola

Neste domingo (18) em Ímola, os pilotos se alinharam no grid para a realização da segunda prova do campeonato, o GP da Emília-Romagna. Tivemos a oportunidade de ver uma grande disputa entre Max Verstappen e Lewis Hamilton no início da prova, mas também na luta do campeonato. O holandês levou a melhor e conquistou a 11ª vitória da carreira. 

A corrida contou até com bandeira vermelha – provocada por uma batida entre Valtteri Bottas e George Russell. Entre vários pilotos que rodaram, Hamilton esteve na lista e acabou danificando a asa dianteira, precisando realizar uma parada nos boxes. O inglês da Mercedes teve sorte, mas também demonstrou muito controle, já que permaneceu na prova e terminou a corrida na segunda posição, realizando uma prova de recuperação. 

Lando Norris completou o pódio com a terceira posição, em uma grande oportunidade para a McLaren. 

A corrida em detalhes

Como a corrida começa antes das luzes vermelhas, a AlphaTauri confirmou a troca de vários componentes do motor, além do motor e câmbio do carro de Yuki Tsunoda, pois o piloto bateu durante a classificação. Como o time precisou recuperar a traseira do seu carro, aproveitaram o momento para fornecer ao japonês uma nova unidade de potência completa.

LEIA MAIS: AlphaTauri troca motor e câmbio do carro de Yuki Tsunoda

Cerca de uma hora antes do início da prova a chuva que era prevista para o domingo começou a cair em Ímola. Os pilotos se direcionaram para o grid utilizando o pneu de chuva. A baixa aderência provocada pela chuva fez uma vítima, Fernando Alonso bateu na Tosa e precisou seguir para os boxes para que o time fizesse a troca da asa dianteira do piloto.

Antes da largada, a temperatura da pista estava na casa dos 18°C, com 9°C no ambiente.

Apenas Ocon (9º), Mick Schumacher (18º) e Nikita Mazepin (19º) largaram com os pneus de chuva extrema. Sebastian Vettel que deveria largar da 13ª posição, começou a corrida pelo pit-lane. Enquanto Lance Stroll que começou a corrida pelo grid regular tinha problemas nos freios traseiros (mais drama para o time na Itália).

Início da corrida

Charles Leclerc acabou rodando durante a volta de alinhamento para o início da corrida, mas sem mais problemas o monegasco que começou a corrida pela 4ª posição, conseguiu alinhar no grid normalmente.

A briga direta era entre Mercedes e Red Bull, então existia muita expectativa para este início de prova. Hamilton largou bem, mas os carros da Red Bull pressionaram o piloto e Verstappen assumiu a primeira posição, com uma parte da asa dianteira de Hamilton sendo danificada. Pérez ficou com a terceira posição. A largada de Valtteri Bottas foi bem ruim, e o piloto da Mercedes acabou caindo para a décima posição.

Durante a segunda volta o Safety Car foi ativo, pois Nicholas Latifi bateu na Variante Alta, após um toque com Nikita Mazepin, o piloto da Haas tocou a roda traseira direita do carro da Williams. O piloto da Williams havia rodado e depois eles se encontraram na pista. Ocon caiu para a 19ª posição.

Com a entrada do Safety Car, os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Leclerc, Pérez, Ricciardo, Gasly, Stroll, Sainz, Norris e Bottas. Destaque para Russell que estava ocupando a 11ª posição.

Já na terceira volta, a chuva começou a ficar mais apertada e tinha previsão para mais chuva durante a prova.

Na quarta volta, mais drama, Mick Schumacher bateu na saída do pit-lane, o piloto estava aquecendo os pneus, quando perdeu a traseira do carro. Os boxes foram fechados e o piloto da Haas permaneceu na pista com a asa dianteira danificada, esperando para entrar nos boxes e realizar a troca da peça.

Apenas na sexta volta Schumacher foi liberado para trocar a peça. A relargada aconteceu no giro seguinte e Verstappen seguiu com a ponta, enquanto Hamilton estava atacando o holandês. Leclerc permaneceu na terceira posição, atacando o inglês. Enquanto Pérez tentava se manter na quarta posição, abrindo um espaço entre eles.

Gasly e Sainz estavam duelando pela sexta posição constantemente. Mas a briga era muito maior, já que Gasly, Norris, Sainz e Stroll estavam envolvidos. O piloto da McLaren teve uma boa leitura para a ultrapassagem, viu a briga de Gasly com Sainz, colocou o carro por fora e ultrapassou os dois, para pegar o sexto lugar. O piloto da AlphaTauri não queria deixar barato e ainda deu o troco.

Foi apenas na nona volta que algo se resolveu, Norris conseguiu a sexta posição, enquanto Gasly começou a perder rendimento; o piloto da AlphaTauri era o único deste bolo com os pneus para chuva extrema (faixa azul).

Era realmente uma pena ver Gasly com baixo rendimento, já que o piloto apresentou um bom desempenho durante todo o fim de semana.

Durante a 11 volta, Hamilton cravou 1m30s100, a volta mais rápida da prova até aquele momento, mesmo com o inglês lidando com problemas no carro. Sainz escapou da pista. Em alguns trechos a pista já estava mais seca, mas em outros ela tinha trechos bem molhados, não possibilitando ainda os pilotos instalarem pneus para pista seca.

Pouco depois Pérez recebeu uma penalidade de Stop/Go – durante o Safety Car o piloto perdeu algumas posições por ter extravasado os limites de pista, como ele retomou elas, os comissários puniram o mexicano, justamente por este ato não ser permitido.

Na volta 13 Gasly realmente virou uma chicane ambulante, vários pilotos foram ultrapassando o piloto da AlphaTauri que de nono colocado, caiu para o 15º lugar – o pneu de chuva não estava mais rendendo.

Com quinze voltas, os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Leclerc, Pérez, Ricciardo, Norris, Sainz, Stroll, Bottas e Russell. Gasly foi para os boxes realizar a parada e instalar os pneus para chuva intermediária (faixa verde). Tsunoda que largou de P20 estava se aproveitando dos problemas que aconteceram a sua frente para ocupar a 13ª posição.

Lando Norris pediu pista livre para tentar buscar a posição de Pérez (que ainda não tinha cumprido a punição), desta forma a McLaren pediu para Ricciardo inverter a posição com o companheiro de equipe; a troca ocorreu na 17ª volta e de fato Norris abriu vantagem para o companheiro de equipe, separados por mais de 3s7 no giro seguinte – com a vantagem ampliando cada vez mais.

Sebastian Vettel foi para os boxes na volta 22 e instalou os pneus médios, mas enfrentava a baixa aderência em alguns trechos do circuito. E a vida do piloto da Aston Martin que estava complicada, piorou ainda mais, o alemão recebeu um Stop/Go por não estar com os pneus instalados cinco minutos antes do início da prova – vale lembrar que Vettel largou do pit-lane. O alemão cumpriu a punição na volta 24. 

Na disputa pela ponta, Verstappen tinha apenas 3s1 de vantagem para Lewis Hamilton, os pilotos começaram a pegar um trecho com retardatários pela pista, mas o tempo real de diferença entre os dois primeiros era de apenas 2s5, com Hamilton melhorando a sua performance.

O segundo piloto com pneus para a pista seca foi Yuki Tsunoda que adotou os compostos médios.

Max Verstappen parou na volta 28, mesmo com dúvidas sobre se este era o momento para colocar os pneus de pista seca. O piloto da Red Bull também adotou os pneus médios. Hamilton assumiu a ponta, com Leclerc na segunda posição, o holandês era apenas o terceiro colocado. Neste mesmo instante vários pilotos realizaram suas paradas, também apostando nos pneus médios, assim como o líder.

Na disputa pela vitória, Verstappen conseguiu retomar a liderança da prova na volta 29, já que Hamilton realizou a sua parada e também apostou nos pneus médios. No entanto o drama do outro lado dos boxes da Red Bull parecia aumentar, o mexicano partiu para realizar a sua parada e cumprir a punição, mas aproveitou para trocar o volante antes dos dez segundos, podendo ser punido mais uma vez, já que o carro não pode sofrer alterações antes dos dez segundos.

Com 30 voltas os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Leclerc, Norris, Pérez, Sainz, Ricciardo, Bottas, Stroll e Russell. Detalhe, o oitavo colocado já havia tomado volta do líder, desta forma o finlandês da Mercedes também tomou volta do companheiro de equipe.

Reviravoltas!

Quando Hamilton foi ultrapassar Russell que era retardatário acabou rodando e bateu no muro de contenção, ficando com a asa dianteira danificada. Era a volta 33; instantes depois Bottas e Russell acabaram batendo, o piloto da Mercedes escapou da pista e ao voltar para o circuito os dois se tocaram, os carros ficaram bem danificados. Russell que tinha chance de pontuar com a Williams após um bom fim de semana, acabou perdendo tudo depois deste incidente.

Bottas não estava tendo um bom desempenho na prova, mas com as imagens do incidente parecia que a culpa era mais de Russell do que do Bottas, já que o piloto da Williams colocou os pneus na grama e acertou o W12 de bico quando retornou para a pista.

Hamilton foi para os boxes, trocou a asa dianteira e retornou na nona posição. 

Na volta 34 a sequência de posições era: Verstappen, Leclerc, Norris, Pérez, Sainz, Ricciardo, Stroll, Raikkonen, Hamilton, Tsunoda, Giovinazzi, Alonso, Ocon, Gasly, Vettel, Schumacher e Mazepin.

Pós Bandeira Vermelha

Kimi Raikkonen estava com o carro da Alfa Romeo nos pontos, uma boa conquista após uma classificação complicada para o time. Antonio Giovinazzi era o décimo primeiro colocado.

Os pilotos que tinham tomado uma volta do líder, do 7º ao 17º primeiro colocado, incluindo o Lewis Hamilton teriam direito de dar uma volta no circuito para retomar a posição.

A largada foi em movimento, com o Safety Car apenas auxiliando na saída dos boxes.

Raikkonen caiu para a décima posição, após a volta de realinhamento dos boxes por ter rodado; Hamilton assumiu o oitavo lugar, acompanhado por Tsunoda.

Verstappen quase perdeu a ponta por rodar, mas conseguiu ficar com a ponta, após Leclerc segurar o pelotão. Na relargada Norris assumiu a segunda posição, com Pérez permanecendo no quarto lugar. Tsunoda rodou e caiu para a décima quinta posição. Enquanto os dois carros da Alfa Romeo estavam nos pontos, com Raikkonen e Giovinazzi em nono e décimo, respectivamente.

Apostando nos pneus macios tínhamos: Norris, Pérez, Ricciardo e Tsunoda, enquanto todos os outros estavam de pneus médios.

Na volta 38 os dez primeiros eram: Verstappen, Norris, Leclerc, Sainz, Ricciardo, Stroll, Hamilton, Raikkonen, Giovinazzi e Alonso. Pérez rodou e de quarto colocado, caiu para a 14ª posição.

Hamilton seguia imprimindo um bom desempenho com a pista mais seca e já era o sexto colocado na volta 39, depois de ultrapassar Stroll, além disso o piloto da Mercedes conquistou mais uma posição depois da rodada de Pérez.

Na volta 41 Giovinazzi apresentou um problema na entra do duto de freios da roda traseira direita, o piloto italiano foi para os boxes e retornou na décima quinta posição – saindo da zona de pontuação.

Hamilton seguia realizando ultrapassagens, escalando o grid em uma prova de recuperação. Aquela vantagem que a Red Bull teve no início da corrida e com o incidente de Hamilton e depois o de Bottas foi zerado, já que os times rivais tinham apenas dois pilotos performando bem na prova: Verstappen na 1ª posição e Hamilton em 5º.

Pérez estava precisando negociar com Vettel a ultrapassagem para obter a décima segunda posição. Os pilotos se tocaram, Pérez saiu da pista e até passou por uma das lombadas que foram instaladas depois dos limites de pista. A guerra prosseguiu, Vettel segou o mexicano até a décima segunda volta, quando o mexicano conseguiu a ultrapassagem.

Um pouco mais a frente do grid, Hamilton tinha que lutar para ganhar a 4ª posição de Sainz e só obteve ela na volta 50.

No giro 51 os dez primeiros eram: Verstappen, Norris, Leclerc, Hamilton, Sainz, Ricciardo, Stroll, Gasly, Raikkonen e Ocon. A distância entre os pilotos estava ampliando, mas a maior dispariedade era entre Sainz e Ricciardo, o piloto da McLaren estava separado por mais de 13 segundos da Ferrari.

Hamilton chegou no pódio na volta 55, após ultrapassar Leclerc e sobrar na pista. Tsunoda que já havia recebido um alerta sobre extravasar os limites de pista foi punido com cinco segundos.

Verstappen estava administrando a corrida na ponta, já que tinha mais de 18 segundos de vantagem para Lando Norris. No entanto o piloto da McLaren estava precisando lidar com Hamilton no final das voltas e optava por um traçado diferente para evitar a ultrapassagem.

E finalmente na volta 60 Hamilton assumiu a segunda posição. Norris era o terceiro colocado e Leclerc estava separado do piloto da McLaren por 1s7.

Hamilton que estava separado por mais de 20 segundos, anotou 1m16s702 com a volta mais rápida. Mazepin rodou na pista.

Na penúltima volta Vettel abandonou a corrida após mensagem dos boxes.

Verstappen cruzou a linha de chegada na primeira posição, conquistando a 11ª vitória da carreira, após terminar a temporada de 2020 também com uma vitória. Hamilton ficou com a volta mais rápida da corrida e decidiu a ponta do campeonato com ela.

Norris foi para o pódio com o terceiro lugar conquistado, enquanto a dupla da Ferrari fechou em quarto e quinto, com Leclerc e Sainz respectivamente. Vale dizer que o espanhol da Ferrari saiu várias vezes da pista e ainda teve um bom resultado. Ricciardo fechou em sexto com uma performance bem diferente da apresentada pelo companheiro de equipe.

O top-10 ainda contou com Lance Stroll na sétima posição, acompanhado por Pierre Gasly, Kimi Raikkonen e Esteban Ocon.

 

 

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados