ColunistaDestaquesPostStock Car

Camilo vence Corrida 1 em Cascavel, enquanto Abreu segura Zonta para obter a vitória na segunda prova

Camilo venceu a primeira corrida, enquanto Abreu cruzou a linha de chegada na primeira posição da segunda prova

O autódromo de Cascavel foi palco de duas grandes disputas valendo pela 5ª etapa da temporada 2021. Thiago Camilo largou da pole-position para dominar a ponta e vencer a primeira Corrida. O piloto fez uma ótima largada, depois controlou a distância para o companheiro de equipe por toda a prova. A Ipiranga garantiu uma dobradinha, já que Cesar Ramos ficou com a segunda posição. Gabriel Casagrande apareceu no pódio, conquistando a terceira posição.

A segunda prova, disputada pouco depois da primeira, contou com a vitória de Átila Abreu, o piloto começou da quarta posição, foi beneficiado pelas paradas e conseguiu a liderança da corrida, acompanhado por Ricardo Zonta. A vitória de Abreu marca a primeira grande conquista da equipe chefiada por Joselmo Barcik, o ‘Polenta’. Gabriel Casagrande obteve o segundo pódio em Cascavel, somando mais pontos com a equipe Vogel.

O destaque da primeira corrida fica sem dúvidas fica para Gabriel Frigotto, que terminou a primeira prova na décima segunda posição. Mas não teve a mesma sorte na segunda corrida já que por conta do pit-stop lento perdeu diversas posições.

Dudu Barrichello também deve ser mencionado, em seu fim de semana de estreia, proporcionou para quem estava assistindo a corrida boas disputas, principalmente a travada com Guilherme Salas.

Daniel Serra é o líder agora com 160 pontos, acompanhado por Casagrande com 156 e Cesar Ramos soma 143 pontos. Ricardo Zonta é o quarto colocado com 141 pontos, seguido por Diego Nunes com 128.  Thiago Camilo depois da vitória fica com a oitava posição somando 115 pontos.

Saiba como foi a Corrida 1 da Stock Car em Cascavel

Depois de cravar a pole Thiago Camilo domina primeira prova em Cascavel – Foto: reprodução Stock Car
Ganharam o Fan Push: Dudu Barrichello, Lucas Foresti, Ricardo Zonta, Tuca Antoniazi, Rafael Suzuki e Marcos Gomes.

Os dez primeiros eram: Camilo, Ramos, Campos, Serra, Lapenna, Maurício, Casagrande, Di Mauro, Barrichello e Abreu. Nelsinho Piquet não largou, pois, a equipe identificou um vazamento de combustível, desta forma o seu carro seria arrumado para a segunda prova do domingo.

A Ipiranga comandou a ponta para a largada com os seus dois pilotos na primeira fila. Camilo manteve a dianteira, acompanhado por Ramos e Campos, eles conseguiram segurar as primeiras posições. As disputas estavam ocorrendo mais intensamente no meio e no final de pelotão, com vários pilotos realizando as curvas lado a lado.

Com a conclusão da primeira volta, Barrichello já era o oitavo posição, depois de ultrapassar Di Mauro. O piloto da KTF perdeu a posição também para Allam Khodair.

Dudu Barrichello que estava realizando a sua estreia na Stock Car, caiu para a vigésima nona posição. Tentando se recuperar na pista.

Na quarta volta foi possível ver Casagrande ultrapassando Lapenna. Com a proximidade, outros pilotos invertiam as posições, principalmente com o acionamento do push ocorrendo. Durante o sexto giro os dez primeiros eram: Camilo, Ramos, Campos, Maurício, Serra, Casagrande, Barrichello, Lapenna, Abreu e Di Mauro.

Na liderança, Camilo já tinha aberto mais de 1s4 para o companheiro de equipe. Enquanto Barrichello segurava Lapenna, mesmo com o piloto da Hot Car acionando o push. Ocorria uma disputa pela décima sétima posição entre Felipe Massa e Diego Nunes. Jimenez abandonou a prova com problemas.

Destaque para Ricardo Maurício que largou da sexta posição e estava no quarto lugar, depois de superar o companheiro de equipe. Gustavo Frigotto que estava participando da etapa depois de realizar uma vaquinha era o vigésimo terceiro colocado na décima volta.

O Box foi aberto na décima segunda volta, antes das paradas os dez primeiros eram: Camilo, Ramos, Campos, Maurício, Serra, Casagrande, Barrichello, Lapenna, Abreu e Khodair. Nos boxes as coisas começavam a ficar agitadas, com os pilotos disputando espaço na realização das suas trocas.

Campos não hesitou e foi logo realizar a sua parada, mas acabou abandonando com um problema no câmbio. Camilo tentava ganhar tempo, mas estava enfrentando os retardatários.

Na Ipiranga, Camilo realizou a sua parada antes de Cesar Ramos. O dono do carro #21 foi liberado dos boxes em pista livre.

Depois de todas as paradas realizadas, na décima sétima volta, os dez primeiros eram: Camilo, Ramos, Casagrande, Serra, Maurício, Barrichello, Khodair, Abreu, Suzuki e Baptista. Casagrande ganhou a posição da dupla da Eurofarma. Galid Osman estava com o pneu traseiro direito furado depois de um estouro e com a porta traseira danificada, precisando retornar para os boxes.

Foi na volta 18 que Denis Navarro foi punido, por conta de excesso de velocidade nos boxes, desta forma o piloto teve que pagar um Drive Through, antes de dar continuidade na sua corrida.

Por outro lado, Camilo dominava a prova, com mais de 3 segundos de vantagem para o companheiro de equipe. Lapenna perdeu espaço, alternando posições com Baptista.

Durante a volta 21, Dudu Barrichello realizou uma ultrapassagem em Guilherme Salas, mas sem a utilização do botão de ultrapassagem, ele negociou o espaço com Salas, para completar a manobra por dentro – algo que foi espetacular.

Frigotto era destaque na prova, o piloto da RKL Competições era o décimo sexto colocado na vigésima terceira volta. Alguns pilotos começavam a se preparar para a segunda prova, realizando a troca de pneus.

Ricardo Maurício abandonou a prova, na vigésima quinta volta, enfrentando um problema na bomba de combustível. Muita confusão nos boxes, Campos se atrapalhou durante a troca de Dudu Barrichello – os boxes ficaram movimentados por conta dos pilotos que estavam focados na próxima corrida, já deixando os pilotos preparados para a próxima disputa.

Com o abandono de Maurício, os dez primeiros eram: Camilo, Ramos, Casagrande, Serra, Barrichello, Khodair, Abreu, Suzuki, Lapenna e Baptista. Frigotto era o décimo segundo colocado, seu melhor resultado no ano de estreia da Stock Car.

Thiago Camilo venceu a prova, acompanhado por Ramos e Casagrande. Dobradinha para a equipe Ipiranga.

Foto: reprodução Stock Car
Foto: reprodução Stock Car

Corrida 2

Abreu comanda a liderança da prova depois das paradas – Foto: Duda Bairros/Vicar

Com a inversão do grid, os dez primeiros eram: Baptista, Lapenna, Suzuki, Abreu, Khodair, Barrichello, Serra, Casagrande, Ramos e Camilo.

Depois das voltas para o posicionamento dos pilotos, a corrida 2 teve início. Baptista segurava a ponta, enquanto Lapenna foi tocado por Suzuki e depois de sair da pista, voltou no final do pelotão. Boa largada para Barrichello que já era o terceiro colocado. Enquanto Frigotto terminou a primeira volta na décima posição, enfrentando Daniel Serra.

Enquanto Guga Lima estava fazendo a última volta do circuito, o pneu traseiro direito do seu carro se soltou. O piloto foi direto para a barreira de contenção, o Safety Car foi acionado. O pneu quase acertou o carro de Camilo e de outros pilotos, por conta da aproximação das primeiras voltas.

Com o SC em pista, os dez primeiros eram: Baptista, Suzuki, Abreu, Barrichello, Khodair, Zonta, Casagrande, Monteiro, Serra e Frigotto.

A relargada ocorreu na sexta volta, Baptista logo tentou se distanciar de Suzuki, mas o piloto da Full Time poderia ser punido pelo incidente do início da prova. Frigotto era pressionado por Gomes, que buscava a décima posição, enquanto Serra se distanciava do piloto da RKL Competições.

Na ponta, os cinco primeiros acionavam o botão de ultrapassagem juntos. Beto Monteiro abandonava a corrida, depois de apresentar problemas. Na oitava volta, Suzuki foi punido com um Drive Through pelo incidente com o carro #110. Gomes realizou a ultrapassagem em Frigotto, assumindo o nono lugar. Camilo tinha caído para a décima primeira posição.

Quando Suzuki foi cumprir a sua punição, Bapitista seguia na primeira posição, acompanhado por Abreu e Barrichello. Mas na décima primeira volta, Abreu conseguiu realizar a manobra para assumir a primeira posição com o acionamento do botão de ultrapassagem.

Com o início das paradas na décima segunda volta, Baptista foi logo para os boxes, precisou de combustível e pneus. Frigotto era o sexto colocado com os pits ocorrendo, o dono do carro #86 conseguiu segurar alguns pilotos nesta entrada.

Cardoso extravasou os limites de pista, acabou pegando uma placa de isopor e sujando toda a pista.

Depois das paradas, os dez primeiros eram: Abreu, Zonta, Casagrande, Bapstista, Gomes, Navarro, Nunes, Di Mauro, Serra e Salas. Frigotto caiu para a vigésima sexta posição, depois de estar disputado o Top-10, mas o piloto teve uma parada ruim.

Abreu passou a se defender dos ataques de Zonta, separados por 0s5.

Na disputa pela oitava posição, Baptista segurava as investidas de Navarro. Enquanto Dudu Barrichello perdeu o controle do carro e escorregou na pista, naquele momento ele era o vigésimo terceiro colocado, caindo para a vigésima sétima posição.

Se aproximando do final da prova, os pilotos seguiam no acionamento dos botões de ultrapassagem na tentativa de ganhar posições.

Abreu venceu a corrida, acompanhado por Zonta e Casagrande. Sendo a primeira vitória da equipe Shell V-Power. Camilo precisou encostar o carro na última volta, pois o seu carro estava destruído, depois que o piloto tocou Tuca Antoniazi que retornava lento para a pista. Frigotto terminou a corrida na vigésima terceira posição. Dudu Barrichello se recuperou, para ficar com o vigésimo quinto lugar.

Foto: reprodução Stock Car
Foto: reprodução Stock Car
Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados