ColunistaFórmula 1Post

Aston Martin faz aposta em novo visual para Barcelona, mas existem outras novidades pelo grid

Aproveitando que estão no campo de avaliações, alguns times apostaram na instalação de grandes pacotes de atualização

Neste fim de semana será disputado o GP da Espanha e os times estão se preparando para testar novas peças que podem auxiliar a melhor desempenho dos seus carros. Como mencionamos no Preview, a pista de Barcelona é extremamente valiosa para a coleta e análise dos times.

Limitados por um teto orçamentário e as horas no túnel de vento, aqueles times que enfrentam mais problemas não podem produzir muitas peças de forma descontrolada, pois precisam se manter dentro do teto estipulado para 2022.

LEIA MAIS: Em guerra de atualizações, Ferrari busca melhorar desempenho em Barcelona

A própria Ferrari se baseou nisso para questionar as atualizações realizadas pela Red Bull ao longo do início da temporada, e afirmar que os taurinos não vão manter o seu ritmo de desenvolvimento até o final da temporada. O time italiano se focou nas cinco primeiras etapas para avaliar o carro e deixou para promover uma mudança no F1-75 em Barcelona. O teto orçamentário tem limitado as equipes, que neste primeiro momento estão realizando apostas mais conservadoras.

A luta da Red Bull neste começo de temporada é voltada para a redução do peso da carro, além de solucionar de vez os problemas de confiabilidade – Foto: reprodução

O time austríaco enfrentou problemas de falta de confiabilidade, mas também estão lutando para reduzir o peso do carro. Em Ímola, durante a 4ª etapa, implementaram novas peças para reduzir o peso do RB18, mas ao seguir para Barcelona, estão novamente atentos neste processo e em Barcelona o carro chega 7 kg mais magro – informação do site Racing News 365.

“Traremos novas peças para a Espanha que nos aproximarão do nosso peso ideal. Até agora estamos bem acima do peso mínimo de 798 kg”, disse Helmut Marko.

Pelas imagens dessa quinta-feira, o carro da Aston Martin foi o que realmente mais mudou. O time passou a trabalhar em um novo carro depois da sua apresentação. Realmente, nos testes de pré-temporada o AMR22 não chamava muita atenção, um carro que aparentava ter nascido seguindo exatamente os regulamentos, sem inovar muito. Algo que foi uma surpresa, pois cada equipe partiu para um lado diferente de desenvolvimento e os carros ficaram bem diferentes.

Em Barcelona o carro ‘B’ foi visto pela primeira vez e ele tem muito do carro usado pela Red Bull – envelopado pelo verde britânico. Não é a primeira vez que a Aston Martin / Racing Point fica atenta ao desenvolvimento de carros do grid para realizar a fabricação das suas peças.

Os times costumam estudar outras equipes que estão indo bem no campeonato e tentam adaptar as peças para o seu projeto atual. É um pouco perigoso pois nem sempre elas conseguem manter o ritmo de desenvolvimento daquele que time que tomaram como base. Além disso, existe uma outra questão: quando várias peças são instaladas ao mesmo tempo, elas podem gerar problemas e a equipe levar um bom tempo para identificar e obter uma solução.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O carro original estava sofrendo muito com os saltos assim como a Mercedes, além disso, era muito pesado. Durante as primeiras corridas da temporada a Aston Martin realizou uma revisão completa no carro para remover tinta de algumas peças e perder um pouco de peso. A principal mudança para Barcelona aconteceu no sidepod, eles também reposicionaram as partes do carro destinadas a refrigeração. As alterações estão acompanhadas de uma reformulação do assoalho.

LEIA MAIS: Dilema com o peso dos carros segue afetando os times da F1

Tem se revelado um grande desafio atualizar os carros, pois eles precisam trabalhar principalmente a parte traseira como uma peça única. Os times ainda estão compreendendo a nova dinâmica oferecida pelos carros com efeito solo, principalmente quando tudo funciona em conjunto.

A Alfa Romeo também levou um novo pacote de atualizações, asa dianteira, um novo assoalho, mas o pacote inicial estará disponível apenas para Valtteri Bottas. A equipe não teve tempo suficiente para produzir duas versões dos mesmos componentes desta forma, o carro de Zhou vai aguardar um pouco mais para receber todas as peças desse novo conjunto.

A Mercedes persiste com as suas avaliações do W13 e levou um novo assoalho para o seu carro, assim como a Ferrari. Basicamente os novos pacotes de atualização de algumas equipes contam com a mudança do assoalho, pois é com ele que os times estão tentando trabalhar melhor o fluxo e a passagem do ar para reduzir aqueles saltos.

LEIA MAIS: A Mercedes iniciou sua recuperação. E agora?

Na garagem da McLaren, o MCL36 também passou por mudanças, a equipe optou por um grande pacote de atualizações. O jornalista Tobi Grüner apontou no site Auto Motor Und Sport que uma das alterações ocorreu na capa do freio feita de carbono, nas primeiras cinco corridas do ano os engenheiros improvisaram usando uma que era feita de titânio, usada para solucionar os problemas que o carro apresentou nos freios. A equipe Papaya também apostou em duas especificações novas de asas dianteiras que vão avaliar durante o fim de semana.

Exceto a Haas, os outros times também fizeram algumas mudanças nos seus carros, a AlphaTauri apostou em uma nova asa dianteira, enquanto a Alpine mudou a sua asa traseira.

ESCUTE NOSSO PODCAST  ‘E SE…?’

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados