A W Series, categoria feminina vai realizar provas virtuais em circuitos icônicos

Sharing is caring!

A W Series anunciou nesta quinta-feira (7), a primeira competição feminina virtual. Em parceria com a Logitech G, Beyond Entertainment e iRacing, a categoria está formando a W Series Esports League. As provas no simulador começam nas próximas semanas.

A categoria vai estar mais uma vez fortalecendo um compromisso com o aumento da visibilidade feminina nas corridas e desta vez nas provas realizadas com os simuladores. O que é bem legal, pois além de estimular as bases, a W Series também pode estimular mais mulheres a se envolver com o mundo dos games/corridas virtuais. 

As 18 pilotas do campeonato regular já estão qualificadas para participar do campeonato da W Series e são elas:

  • Jamie Chadwick, Reino Unido, 21
  • Beitske Visser, Holanda, 25
  • Alice Powell, Reino Unido, 27
  • Marta Garcia, Espanha, 19
  • Emma Kimilainen, Finlândia, 30
  • Fabienne Wohlwend, Liechtenstein, 22
  • Miki Koyama, Japão, 22
  • Sarah Moore, Reino Unido, 26
  • Vicky Piria, Itália, 26
  • Tasmin Pepper, África do Sul, 29
  • Jessica Hawkins, Reino Unido, 25
  • Sabre Cook, Estados Unidos, 25
  • Ayla Agren, Noruega, 26
  • Abbie Eaton, Reino Unido, 28
  • Belen Garcia, Espanha, 20
  • Nerea Marti, Espanha, 18
  • Irina Sidorkova, Rússia, 16
  • Bruna Tomaselli, Brasil, 22

Mas a W Series tem planos para convidar outras mulheres para participarem das provas, ajudando na visualização de outras mulheres no esporte.

Os circuitos escolhidos para as disputas são icônicos no mundo do automobilismo e vão fornecer um bom desafio para a disputa. São eles: 

  • Autódromo de Monza / Itália
  • Circuito das Américas / Estados Unidos
  • Brands Hatch / Reino Unido
  • Autódromo de Interlagos / Brasil
  • Spa-Francorchamps / Bélgica
  • Watkins Glen / Estados Unidos
  • Suzuka /Japão
  • Mout Panorama / Austrália
  • Nürburgring / Alemanha
  • Silverstone / Reino Unido

As pilotas vão utilizar o modelo Tatuus Fórmula Renault 2.0 durante a disputa, o carro fornece um desempenho semelhante ao utilizado pela W Series, o Tatuus Fórmula 3.

A competição vai somar pontos de acordo com a realização das provas e ao final do campeonato virtual, uma pilota será declara campeã da W Series Esports League.

Catherine Bond Muir, CEO, Série W, disse: “Na ausência de corridas em pista em qualquer lugar do mundo, como resultado da crise mundial COVID-19 em andamento, a W Series tem o prazer de anunciar a inauguração de nossa própria Liga de Esports W Series.

“Estou extremamente impressionado com o trabalho que foi feito para reunir, em tempo recorde, por nós mesmos e por nossos parceiros Logitech, Beyond Entertainment e iRacing, em associação com nosso principal patrocinador, ROKiT Phones, e estou confiante de que o resultado será um desafio difícil, mas empolgante para nossas pilotas e um espetáculo inovador e emocionante para os fãs que assistem no YouTube, no Twitch e em outras plataformas de streaming dedicadas a jogos online. ”

A campeã da W Series, Jamie Chadwick está ansiosa para a disputa: “Quando eu vi a lista de circuitos, eu literalmente engasguei: é um cronograma realmente de dar água na boca. Então você pode ter certeza de que praticarei muito desde agora até a primeira corrida da Liga de Esports da W Series. […] Eu respeito todas as pilotas da Série W e sei o quanto elas vão se dedicar – mas definitivamente darei o meu melhor. Pode vir!”

Assim como outras categorias, a W Series junto com a DTM precisaram adiar o campeonato, devido a crise global do coronavírus. Ainda não existe uma previsão para o retorno da categoria.

 

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

shares