ColunistaFórmula 1Post

Verstappen fecha fim de semana perfeito vencendo o GP da Emilia-Romagna

Red Bull conquista dobradinha em Ímola, enquanto Leclerc roda e perde a chance de estar no pódio na casa da Ferrari

A chuva ditou mais uma vez o ritmo de uma sessão em Ímola, neste domingo (24) quando os carros alinharam no grid de largada, a chuva tinha lavado o traçado. Os pilotos começaram a prova com os pneus Intermediários. Max Verstappen teve um fim de semana espetacular na casa da Ferrari, o holandês foi dominante.

Verstappen cravou a pole ainda na sexta-feira, derrotou Charles Leclerc durante as últimas voltas da Sprint. Neste domingo o holandês largou de forma segura, o carro do adversário não tracionou bem e ainda despencou para P4. Sergio Pérez realizou o trabalho de escudeiro, sendo o piloto que deixou Verstappen à vontade na liderança e cumpriu o papel de ser uma barreira e inviabilizar o ataque da Ferrari.

A pista foi secando, a chuva que era esperada não apareceu para bagunçar o grid e as estratégias. Leclerc que era o terceiro colocado, ditou mais uma sequência de parada nos boxes para os líderes da prova. O monegasco instalou os pneus macios, desta forma a Red Bull respondeu na sequência. O problema é que Leclerc perdeu o controle do carro na volta 54, batendo na barreira. O piloto da Ferrari precisou seguir para os boxes, trocar a asa dianteira e tentar recuperar algumas posições. Leclerc cruzou a linha de chegada na sexta posição. Verstappen ainda obteve o ponto da volta mais rápida!

O pódio formado por uma dobradinha da Red Bull, ganhou Lando Norris. O piloto da McLaren fez uma prova segura, largou bem e aproveitou as oportunidades que foram aparecendo. Com o erro de Leclerc, George Russell ganhou mais uma posição e assim terminou a corrida em quarto. O britânico da Mercedes largou muito bem e fez uma boa prova, precisando se defender dos ataques de Valtteri Bottas até o final.

Yuki Tsunoda também foi um destaque neste domingo, o piloto da AlphaTauri se aproveitou dos pontos onde a pista estava molhada para se defender dos ataques de Lance Stroll. O japonês provocou o desgaste dos pneus dos adversários, conseguindo realizar uma corrida mais tranquila no final. Tsunoda ainda ultrapassou Vettel, para ficar com a sétima posição.

Está é a primeira corrida do ano que a Aston Martin pontua, além disso a equipe conseguiu colocar os dois carros no top-10, sendo um resultado muito positivo depois de um início de temporada complicado para a equipe.

Kevin Magunssen duelou com Norris no começo da prova, mas com a pista seca, teve que se contentar com a nona posição. Lance Stroll fechou no décimo lugar, depois de uma corrida onde não conseguiu ultrapassar Tsunoda.

Lewis Hamilton foi apenas o décimo terceiro colocado. Foi ultrapassado pelos líderes da prova e ficou muito tempo preso na disputa com Pierre Gasly que não valia pontos.

Carlos Sainz não terminou mais uma prova, pois não teve se quer chance de começá-la, o piloto espanhol foi tocado por Daniel Ricciardo no início da corrida e ao ficar atolado na brita, abandonou.

A Fórmula 1 realiza uma breve pausa até retornar em Miami.

Saiba como foi o GP da Emilia-Romagna 

Antes da corrida começar a chuva tinha molhado o circuito e as previsões se confirmavam – uma pista molhada para o domingo. Os pilotos foram para o grid equipados com os pneus de chuva intermediária, avaliando a pista enquanto muito Spray era visto na pista com a passagem deles.

Por conta da pista molhada todos os pilotos começaram a prova com os pneus intermediários instalados. A temperatura na pista estava na casa dos 19°C, com 13°C no ambiente. Antes da largada a previsão era que a chuva chegaria novamente ao autódromo em 20 minutos.

Guanyu Zhou largou dos boxes, o piloto tinha batido na classificação, a Alfa Romeo aproveitou para recuperar o carro e fazer algumas mudanças além do que é permitido, desta forma assumiram que o piloto começaria dos boxes. Max Verstappen ganhou o direito de largar da primeira posição, pois venceu a Sprint em Ímola.

Verstappen largou para fechar Charles Leclerc, desta forma o monegasco ficou e perdeu posição para Pérez e Norris. Daniel Ricciardo acertou Carlos Sainz fazendo o piloto da Ferrari rodar e ficar atolado na brita. O australiano encostou na zebra e o seu carro espalhou, acertando o carro do espanhol. Bottas pegou um pouco a traseira do carro de Ricciardo, mas conseguiu se manter na sétima posição.

Russell fez uma excelente largada, desta forma de P11, assumiu a sexta posição. O Safety Car foi ativo para a remoção do carro de Sainz. Os dez primeiros eram: Verstappen, Pérez, Norris, Leclerc, Magnussen, Russell, Bottas, Alonso, Vettel e Tsunoda.

A relargada aconteceu no início da quinta volta, Verstappen conseguiu comandar a liderança. Hamilton atacou Stroll buscando a décima primeira posição. Leclerc também aproveitou para atacar Norris, mas rapidamente foi a vez de Magnussen brigar também com o piloto da Ferrari. Na relargada Alonso perdeu posições para Vettel, Tsunoda e Stroll, caindo assim para o décimo primeiro lugar. A lateral direita do carro de Alonso se soltou na relargada, ela fora danificada por conta do toque de Mick Schumacher na Alpine durante a largada.

Durante a sétima volta Alonso se encaminhou para os boxes, abandonado a corrida. Usando toda a potência do seu carro, no giro seguinte Leclerc ultrapassou Norris, assumindo assim a terceira posição. O monegasco estava separado por mais de três segundos de Pérez. Zhou seguia na décima sétima posição, mas atacava Schumacher para ganhar uma posição.

No décimo giro vimos Russell atacando Magnussen, fazendo o possível com esse carro da Mercedes para ganhar mais uma posição pós-largada. O britânico da Mercedes tinha passado o dinamarquês, mas espalhou e perdeu a posição mais uma vez. Antes da conclusão do décimo segundo giro, Russell concluiu a ultrapassagem em Magnussen. Bottas que tinha se aproximado desta disputa, agora ameaçava o sexto lugar do piloto da Haas.

Duas voltas depois foi a vez de Bottas ganhar a posição Magnussen, realizando a ultrapassagem por dentro. Agora era Vettel que caçaria o piloto da Haas. Stroll estava preso atrás de Tsunoda, tentando ficar a menos de um segundo do piloto japonês. Os competidores buscavam o traçado molhado por conta dos compostos de chuva que necessitando de água para se manter na temperatura ideal. Alguns times falavam em chuva em dez minutos, outros apostavam que ela demoraria mais, mas ninguém ainda estava seguro para realizar uma parada e colocar os pneus de pista seca. Hamilton estava evitando o traçado rápido da pista, para manter os pneus frios.

Ricciardo foi chamado aos boxes durante a décima oitava volta. O australiano instalou os compostos médios em sua segunda parada. Vettel e Gasly também pararam para colocar os pneus de faixa amarela.

A Ferrari ameaçou de realizar a sua parada, levando Pérez aos boxes, entretanto, Leclerc seguiu na pista depois do blefe do time italiano. Russell, Bottas, Magnussen, Tsunoda, Stroll, Ocon, Hamilton, Latifi, Schumacher e Zhou pararam. Ocon era investigado, pois fora liberado depois de sua parada de uma forma perigosa. Verstappen parou na volta 20, acompanhado por Leclerc, mas a parada do monegasco foi ruim, por conta de uma dificuldade para trocar o pneu traseiro direito. Leclerc foi devolvido para a pista à frente de Pérez, só que com os pneus frios, o monegasco foi ultrapassado.

No giro 21 os dez primeiros eram: Verstappen, Pérez, Leclerc, Norris, Russell, Bottas, Vettel, Magnussen, Tsunoda e Stroll. A parada de Bottas também fora ruim, os mecânicos não conseguiam concluir a instalação do pneu dianteiro direito. Ocon fora punido com cinco segundos pela devolução insegura.

Schumacher provocou uma bandeira amarela ao passar reto na curva 14, o piloto da Haas ainda rodou, mas conseguiu retornar ao traçado. O alemão ocupava a décima oitava posição, após ser ultrapassado por Zhou. Tsunoda segurava todo mundo, Stroll buscava alguma brecha na volta 27 para realizar a ultrapassagem no piloto da AlphaTauri. Ocon também começou a ameaçar o piloto da Aston Martin, já que o canadense não conseguia concluir a manobra.

Pérez perdeu o controle do carro e assim como Schumacher extravasou os limites de pista na volta 30. Leclerc aproveitou o momento para se aproximar de Pérez. Verstappen tinha mais de nove segundos de vantagem para o mexicano.

Riccardo fez a sua terceira troca de pneus na volta 32, instalando os compostos duros. O australiano ocupou mais uma vez a última posição. A McLaren provavelmente estava fazendo uma avaliação dos compostos, pensando sobre o que poderia fazer de diferente para Norris, se o cenário da corrida mudar e eles tiverem que apostar em mais uma parada.

O DRS foi liberado na volta 34. Hamilton e Gasly utilizavam a asa móvel, o piloto da AlphaTauri buscava a posição de Albon e o inglês ainda queria ultrapassar Gasly.

Na volta 40, Hamilton fora ultrapassado pelo líder da prova. Os dez primeiros eram: Verstappen, Pérez, Leclerc, Norris, Russell, Bottas, Vettel, Magnussen, Tsunoda e Stroll.  O holandês tinha mais de doze segundos de vantagem para Pérez, enquanto Leclerc estava separado por mais de dois segundos do mexicano.

Hamilton seguia, nas investidas, buscando a ultrapassagem em Gasly. Como Albon estava também se defendendo dos ataques do fracês, o piloto inglês da Mercedes ficou mais uma vez sem espaço.

Durante a volta 48 Tsunoda se tornou o oitavo colocado, depois de ultrapassar Magnussen. O piloto da AlphaTauri contribuiu para a degradação dos compostos dos adversários que estavam atrás dele e não era mais ameaçado no trecho final da prova.

Leclerc realizou mais uma parada na volta 50, retornando com os pneus macios. Norris tinha assumido o P3, pois estar com os compostos mais aquecidos. Pérez respondeu a parada, conservando a segunda posição do mexicano. Leclerc retornou a terceira posição.

Verstappen trocou os seus pneus na volta 52, mantendo a liderança. Tsunoda tinha se aproximado de Vettel para brigar pela sétima posição.

Leclerc perdeu o controle do carro na volta 54, o monegasco bateu no muro de contenção e precisou seguir para os boxes para instalar uma nova asa dianteira. Leclerc foi devolvido para a pista na nona posição. Desta forma Norris era o terceiro colocado. Tsunoda tinha passado Verstappen, ficando com o sexto lugar.

Com pneus novos, Leclerc tentava se recuperar e assim ultrapassou Magnussen, para ficar em P8. Bottas tinha chegado em Russell no giro 57.

Restando três voltas para o final, Verstappen seguia na liderança, com uma boa vantagem para Pérez. O holandês era o dono da volta mais rápida.

Na volta 62 Leclerc concluiu a última ultrapassagem da sua corrida, depois de passar Tsunoda, ficando assim com a sexta posição. Bottas ainda atacou Russell na última volta, mas não conseguiu ultrapassar o britânico que resistiu as investidas até o final.

Verstappen recebeu a bandeira quadriculada na liderança, conquistando a sua 22ª vitória. Sergio Pérez era o segundo colocado, acompanhado por Lando Norris.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados