ColunistaFórmula EPost

Vandoorne lidera a dobradinha da Mercedes na última etapa da temporada da Fórmula E

A equipe aproveitou o ótimo rendimento das duas últimas corridas para conquistar o 3º lugar no campeonato de construtores e o vice entre os piloto

Enfim o último dia do Festival de Berlim chegou. Com temperatura de 28ºC e 32ºC na pista, a Fórmula E concluiu com maestria a maratona de seis corridas em nove dias. No minuto de silêncio que realizado antes de cada corrida em homenagem às vítimas da COVID-19, houve uma homenagem especial para Helder Moreira, o trabalhador português que faleceu durante a montagem do circuito. O colete que pertencia a Helder foi assinado pelos pilotos e seus colegas de trabalho se posicionaram na frente do grid segurando a bandeira de Portugal.

Na pista, Nico Müller largou do pit lane, a equipe teve que mexer no carro do suíço e ele teve que iniciar a corrida dos boxes. A Mercedes conquistou resultados inéditos para a equipe: Stoffel Vandoorne venceu pela primeira vez na Fórmula E e ainda trouxe consigo Nyck de Vries para a dobradinha da equipe. Vandoorne ainda superou todos os postulantes à vice-liderança do campeonato e com apenas um ponto de diferença, ficou com o segundo lugar geral que era almejado por Jean-Eric Vergne. 

Vergne tentou o que pode para chegar nos pontos que lhe dariam o título de vice-campeão e, apesar de ter largado em 21º e chegado em 7º, os seis pontos conquistados foram suficientes apenas para o terceiro lugar. 

A notícia que realmente chocou a todos no paddock foi a saída de Felipe Massa da categoria. Logo após o término da corrida, antes mesmo do pódio, a equipe Venturi comunicou que o brasileiro não prosseguirá com eles ano que vem.

SAIBA COMO FOI A CORRIDA

Vandoorne se manteve na liderança e Rast atacou Buemi. Di Grassi e Sette Câmara trocaram posições. Lá atrás, as Techeetahs brigaram, Vergne levou a melhor. De Vries ganhou a posição de Rast. 

Sette Câmara passou Neel Jani e subiu para 8º, o piloto da Porsche também perdeu a posição para Lucas di Grassi e caiu para 10º. Líder, Vandoorne abriu 1.4 para Buemi.

Disputas por posições em diversos pontos da pista, Frijns passou Mortara e de Vries foi o primeiro a ativar o Modo Ataque. 

Vandoorne perdeu a liderança para Buemi após buscar a energia extra, mas logo a recuperou. Na volta seguinte, Buemi caiu para 3º ao passar pela zona de ativação, de Vries assumiu o segundo lugar.

Volta mais rápida para Buemi 1:17.627. Na briga intensa pela liderança, Buemi recuperou a segunda posição.

Passados 15 minutos de prova, Vandoorne, Buemi, de Vries, Rast, Frijns, Mortara, Lynn, Sette Câmara, di Grassi e Jani eram os 10 primeiros. 

Fanboost para de Vries, Abt, da Costa, di Grassi e Vandoorne.

Ao buscar o Modo Ataque pela segunda vez, Buemi caiu para 4º, logo atrás de Rast. Com o carro em bom rendimento, di Grassi chegou ao 6º posto. Na parte de trás, Guenther ganhou 5 posições e chegou ao 13º lugar, enquanto Vergne era o 14º. 

Quem também subiu no grid foi Sam Bird, que chegou a 9º após passar Sette Câmara. Oliver Turvey que tinha conseguido se classificar bem com a Nio, caiu para 22º.

Jean-Eric Vergne surgiu na 11ª posição e Sam Bird fez a melhor volta da prova 1:17.562 com o uso da energia extra. Logo a seguir, o piloto da Virgin tomou o 8º lugar de Mortara.

Ao ativar o Modo Ataque, Sette Câmara caiu para 17º. No final do segundo Modo Ataque, Lucas di Grassi partiu para o ataque em Robin Frijns, a manobra estava quase concluída quando a roda dianteira direito do Virgin tocou a traseira esquerda do Audi na tentativa de defesa. Após o toque, di Grassi freou tarde e não conseguiu completar a ultrapassagem, se manteve em 6º lugar. Sam Bird chegou à 7ª posição e encostou nos dois. 

Oliver Rowland, indo do céu ao inferno em menos de 24 horas, abandonou a prova. A proteção de um dos pneus do carro do inglês foi deixada na pista. 

Com o Modo Ataque, Sam Bird continuou escalando o grid e chegou ao 5º lugar após ultrapassar o companheiro de equipe. Em estratégia parecida, a dupla da Techeetah já estava em 10º e 11º, com Vergne à frente. Mesmo com a energia extra, Lucas di Grassi sofreu para ultrapassar Frijns. 

Nyck de Vries aproveitou o vacilo de Sebastien Buemi e conquistou a segunda posição. Rene Rast encostou no suíço. 

Na penúltima volta, Robin Frijns tentou ultrapassar Guenther, mas a manobra forçada levou os dois ao muro de proteção. Sem causar grandes danos ao carro, Guenther voltou para a pista em 12º, mas Frijns caiu para a última posição e abandonou a prova. 

Vitória de Vandoorne que puxou a dobradinha da Mercedes e Buemi completou o pódio. Rene Rast mostrou a consistência da Audi ao se manter no 4º lugar. Sam Bird encerrou sua jornada na Virgin com um grande 5º lugar após corrida de recuperação. Em 6º e 7º, di Grassi e Vergne também subiram muitas posições no grid, destaque para o piloto da Techeetah que largou 21º e para o companheiro de equipe que chegou em 9º. Repetindo o desempenho de ontem, Alex Lynn conseguiu levar o carro da Mahindra até o fim da corrida sem perder rendimento. Edoardo Mortara completou o top 10. Mortara que ano que vem terá outro companheiro de equipe, a saída de Felipe Massa da Venturi foi anunciada logo após o fim da corrida. 

Mostrar mais

Cinthia Venâncio

Cearense que acompanha Fórmula 1 desde que se entende por gente. Faz aniversário no mesmo dia do Damon Hill.

Deixe uma resposta

Artigos relacionados