ColunistaPostStock Car

Rubens Barrichello e Ricardo Zonta brilham na 4ª etapa disputada no Velocitta

Barrichello fechou o domingo com mais uma vitória e pódio. Enquanto Zonta conseguiu a vitória na segunda corrida deste domingo

Neste domingo a Stock Car realizou a duas corridas que valeram para a 4ª etapa da temporada 2021. Provas que foram bem disputadas, mas muito mais tranquilas que as corridas do sábado. Rubens Barrichello fez valer a pole conquistada nesta manhã de domingo (20) e cruzou a linha de chegada na primeira posição da Corrida 1.

O clássico de Barrichello: permanecer na pista por mais tempo, atrasando a sua parada, para realizar ela sem problemas e garantir uma boa posição na pista em seu retorno. O piloto da Full Time conta com a vitória da segunda corrida de sábado, já que Lucas Foresti foi punido horas após o encerramento da corrida, um fim de semana brilhante, mas que ainda não estava completo.

O pódio da Corrida 1 contou com Diego Nunes, da Blau, acompanhado por Gabriel Casagrande.

Mas com a segunda corrida do dia, Barrichello que largou da décima posição em decorrência do grid invertido, terminou a segunda prova no pódio, com o segundo lugar. Nesta corrida Ricardo Zonta venceu a corrida, uma excelente performance do piloto que também teve um fim de semana muito bom, pole do sábado e com dois pódios na corrida do dia anterior.

Cesar Ramos completou o pódio da segunda prova. Gaetano di Mauro terminou a corrida em quarto, superando Denis Navarro na quinta posição.

A resolução do sábado

A terceira etapa no Velocitta não terminou com a bandeirada. Foresti que venceu a segunda corrida após superar Rubens Barrichello, recebeu uma punição de 20 segundos e perdeu a vitória. O motivo: foi o uso indevido do push-to-pass na primeira volta, após a relargada. A mesma punição foi aplicada para Guilherme Salas, seu companheiro na KTF. Foresti ficou com 10 posição, enquanto Salas caiu para a 18ª posição.

Domingo, uma nova emoção

Barrichello começou a corrida da 4ª etapa na pole position, acompanhado por Ricardo Zonta que conquistou a pole do sábado e dois pódios na terceira etapa. Nunes ficou com a terceira posição. Ainda disputaram a pole, Daniel Serra, Gabriel Casagrande e Allam Khodair.

Corrida 1 – 4ª etapa

Rubens Barrichello vence primeira corrida no Velocitta – Foto: reprodução Stock Car

Receberam o FanPush, por votação na internet: Rubens Barrichello, Diego Nunes, Allam Khodair, Felipe Massa, Christian Hahn e Tony Kanaan.

Barrichello dominou a ponta, enquanto Zonta e Nunes duelaram pela segunda posição. Tuca Antoniazi rodou durante a primeira volta, mas conseguiu retornar para a pista. No final do pelotão, muitos pilotos se tocavam, buscando espaço na pista, o grid com 32 carros deixava a largada extremamente acirrada.

Na segunda volta, Zonta havia perdido espaço, caiu para a sétima posição. Desta forma Nunes era o segundo colocado, acompanhado de Gabriel Casagrande que venceu a primeira corrida do sábado. Allam Khodair era o quarto colocado com Daniel Serra estava em quinto. Felipe Lapenna foi para os boxes, abandonando a primeira corrida.

Bruno Baptista foi mais um piloto que abandonou a primeira prova. No sábado alguns competidores desistiram da primeira corrida, pensando em obter mais pontos com a segunda prova.

Quando os pilotos entraram na quinta volta, os dez primeiros eram: Barrichello, Nunes, Casagrande, Khodair, Serra, Maurício, Zonta, Salas, Rossi e Gomes. Mas com o botão de ultrapassagem acionado, Zonta ultrapassou Maurício e assumiu a sexta posição, tentando se recuperar na corrida depois de uma largada ruim.

Conforme a corrida avançava, Maurício e Zonta se alternavam na sexta posição. Na luta do décimo terceiro lugar Campos pressionava Cacá Bueno. Os pilotos foram acionando os botões de ultrapassagem e Ramos que estava nesta disputa, ganhou a posição do piloto da Lubrax. Com tudo muito embolado nesta oitava volta, ainda era possível ver a disputa entre Osman, Ramos, Campos e Abreu.

Gomes na décima posição, espalhou e bateu em uma placa de pista, caindo para o décimo terceiro lugar. Com os boxes aberto na oitava volta, as paradas tiveram início – a estratégia de abastecimento e pneus determinava qual era a prova que eles estavam focados.

Nunes marcou Barrichello, os dois realizaram as paradas próximo do final da janela. O piloto da Full Tome conseguiu manter a liderança, com Nunes em segundo. Casagrande ganhou a posição de Daniel Serra, ficando na terceira posição. Com as paradas concluídas, os dez primeiros eram: Barrichello, Nunes, Maurício, Casagrande, Serra, Maurício, Rossi, Khodair, Gomes, Foresti e Salas. Zonta que era o décimo primeiro, lutando com o piloto da KTF pelo Top-10, mas também pela liderança da próxima corrida.

No giro 16, Antoniazi foi tocado por Nunes, o piloto da HotCar era retardatário da prova, mas no desespero para ficar próximo de Barrichello, o piloto da Blau acabou rodando o outro.

Foresti que era o décimo primeiro colocado, ficou com o carro parado na pista na volta 17, quando o equipamento da KTF apresentou problema na bomba de óleo. Mas pouco depois Foresti foi se arrastando para os boxes, bem lento no circuito. Alguns pilotos que estavam focados na segunda corrida começaram a realizar as suas paradas e retornar para a pista.

Antoniazi rodou mais uma vez na pista, desta vez sozinho. Ainda no início da prova o piloto da HotCar foi notificado por exceder os limites de pista.

Barrichello cruzou a linha de chegada na liderança, vencendo a primeira prova da 4ª etapa, acompanhado por Nunes e Casagrande.

Foto: reprodução
Foto: reprodução

Corrida 2

Com a inversão do grid, os dez primeiros eram: Zonta, Salas, Gomes, Khodair, Rossi, Maurício, Serra, Casagrande, Nunes, Barrichello.

Zonta fechou Salas para não perder a primeira posição. Foi muito enrosco, no meio e final do pelotão. Felipe Massa foi tocado e depois de rodar, ficou parado à frente de Galid Osman. Lapenna rodou.

A prova seguiu e na segunda volta os dez primeiros eram: Zonta, Salas, Khodair, Gomes, Maurício, Rossi, Barrichello, Serra, Casagrande e Suzuki.  Salas estava perdendo desempenho por conta o para-choque que ficou danificado na disputa com Zonta.

Na terceira volta Gustavo Frigotto rodou, depois de um toque provocado por Pedro Cardoso.

Antes da janela de boxes provocar as paradas, os pilotos acionavam os botões de ultrapassagem.

Salas recebeu uma punição por ter cortado a pista e realizado ultrapassagem e perderia a segunda posição. Mas Khodair tentava de todas as formas realizar a ultrapassagem em Salas antes do início das paradas.

Antoniazi rodou mais uma vez.

Os boxes foram abertos na oitava volta e as paradas tiveram início. Salas cumpriu a punição de cinco segundos antes de realizar a sua parada. O pit-stop foi bem tumultuado, com vários pilotos juntos nos boxes.

Galid Osman e Thiago Camilo estavam disputando, o piloto da Shell e o da Ipiranga se tocaram, com Camilo rodando pela pista.

Com todas as paradas, os dez primeiros eram: Zonta, Barrichello, Ramos, Maurício, Navarro, Serra, Khodair, Salas, Di Mauro e Rossi.

Barrichello que estava na segunda posição encontrou com Antoniazi e acabou atrapalhando um pouco o piloto da Full Time. Barrichello estava buscando uma segunda vitória.

Se aproximando do final da prova, a corrida ficou um pouco mais calma. Beto Monteiro assumiu a décima posição, durante a volta 18.

Barrichello foi acionando o botão de ultrapassagem para tentar diminuir a distância para Zonta. Mas foi o piloto da RCM Motosport que recebeu a bandeirada, vencendo a segunda corrida. Cesar Ramos completou o pódio. Gaetano di Mauro ultrapassou Denis Navarro na linha de chegada.

Foto: reprodução
Foto: reprodução
Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados