ColunistaPostStock Car

Rossi se defende de Maurício até o final para vencer a Corrida 2 da Stock Car no Velocittà

Lidando com ataques até o final da volta, Matías Rossi recebe a bandeira quadriculada na primeira posição depois de se defender de Maurício

Matías Rossi ganhou a segunda corrida neste domingo (15), o argentino foi atacado até o último instante por Ricardo Maurício, o piloto da Eurofarma usou o botão de ultrapassagem durante a última volta para buscar a ponta.

Maurício abortou a primeira corrida preparando o carro para a segunda prova. O piloto da Eurofarma foi escalando o grid e surgiu para brigar por uma vitória, com um carro mais equilibrado. Rubens Barrichello conseguiu brigar pela terceira posição, principalmente depois de ultrapassar Guilherme Salas quando as paradas nos boxes foram concluídas.

Bruno Baptista lutou por essa vitória ao máximo, mas o seu desempenho era um pouco mais fraco, desta forma ficou com o quarto lugar.

Ricardo Zonta que venceu a primeira corrida, foi tocado por Casagrande próximo do final da prova e acabou abandonando.

Corrida 2 no Velocittà

Os pilotos inverteram as posições para disputar a Corrida 2. Como Bruno Baptista terminou na décima posição, conseguiu largar do primeiro lugar, seguido por Matías Rossi, Diego Nunes, Nelson Piquet Jr, Daniel Serra, Guilherme Salas, Gabriel Casagrande, Felipe Lapenna, Rubens Barrichello e Ricardo Zonta. Atrás do Safety Car os pilotos aguardaram o realinhamento do grid e o encerramento dos procedimentos de largada para que a prova 2 tivesse início.

Os Toyotas dividiram a primeira fila, mas Baptista teve um desempenho melhor, mantendo a primeira posição, Rossi dividiu a primeira curva lado a lado com o dono do carro #44. Instantes depois Rossi caiu para a quarta posição, pois Nunes assumiu o segundo lugar, acompanhado por Serra. Antes do Safety Car ser ativo, Casagrande ultrapassou o piloto argentino.

Khodair foi tocado por Massa, o piloto rodou e acabou levando com ele Felipe Baptista. Lucas Foresti também se envolveu em um incidente, enquanto Atila Abreu tinha rodado.  O Safety Car estava na pista para a remoção dos carros.

A relargada aconteceu no início da terceira volta e mais uma vez Bruno Baptista conservou a primeira posição, acompanhado por Nunes e Serra. Os pilotos aguardavam a abertura dos boxes para realizar as suas paradas.

Antes da abertura dos boxes, os dez primeiros eram: Baptista, Nunes, Serra, Casagrande, Rossi, Di Mauro, Zonta e Lapenna. Salas foi ultrapassado por Barrichello na sexta volta, enquanto Camilo seguiu para os boxes e precisou abandonar pois tinha mais um problema.

A disputa pelo vigésimo quinto lugar era extremamente intensa, Suzuki espalhou para fora da pista, enquanto o mesmo ocorreu com Cardoso na volta seguinte. Os pilotos estavam acionando o seu botão de ultrapassagem, deixando as disputas ainda mais acirradas. O desempenho de Baptista caiu um pouco, Nunes se aproximou para andar separado por menos de 0s236 do líder. Serra esperava um erro dos dois primeiros colocados para buscar a ponta. Os quatro primeiros colocados estavam tão sincronizados que estavam ativando o botão de ultrapassagem juntos.

Os boxes foram abertos na oitava volta, Baptista errou, Nunes quase assumiu a ponta, instantes depois Serra tentou um mergulho por dentro na curva 1, mas Baptista reagiu para retornar para a ponta. Serra ficou em segundo, puxando Barrichello com a sua manobra, Nunes foi para o quarto lugar. Os pilotos rapidamente foram abandonando as disputas para trocar os pneus e concluir o reabastecimento. Alguns carros estavam no limite, assim os boxes ficaram bem movimentados.

Baptista esperou um pouco mais de tempo para fazer a sua parada, mas ela foi demorada e quando foi devolvido para a pista, retornou na quarta posição, pois Rossi tinha saltado para a ponta, com Barrichello e Maurício. Durante a décima terceira volta, Ricardinho ultrapassou Barrichello com o uso do botão de ultrapassagem.

Baptista tinha uma fila se formando na traseira do seu carro, pois Kanaan parou e retornou na quinta posição. Di Mauro era o sexto, acompanhado por Casagrande, Zonta, Nunes e Massa que formam o top-10.

Restavam apenas seis minutos para o final da prova, Lapenna que terminou no pódio da Corrida 1, era apenas o décimo quinto colocado depois de todas as paradas.

O Safety Car foi ativado nos últimos cinco minutos de prova, Casagrande empurrou o Zonta, mas também foi tocado por Nunes. Com o abandono de Zonta, o carro de segurança foi ativo. Massa também escapou da pista, caindo assim para a décima quarta posição.

A relargada foi dada no início da décima sexta volta, Rossi manteve a ponta, mas era pressionado por Maurício. Casagrande tentava fugir das investidas de Serra que tinha saltado para o nono lugar antes do Safety Car.

Rossi recebeu a bandeira quadriculada na primeira posição, mas foi atacado por Maurício que acionou o botão de ultrapassagem, em seu último ato para buscar a vitória. Barrichello ficou com a terceira posição, Casagrande caiu para a décima primeira posição na última volta.

Resultado da Corrida 2 da Stock Car no Velocittà – Foto: reprodução
Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados