ColunistaFórmula 1Post

Raio-X da Emilia-Romagna – Red Bull se consagra em fim de semana perfeito

Max Verstappen foi o pole, venceu a Sprint e ainda conseguiu lidar a corrida do domingo de ponta a ponta. A Red Bull foi a melhor na casa da Ferrari

O GP da Emilia-Romagna foi disputado durante um fim de semana de clima instável em Ímola. Os times tiveram que realizar algumas escolhas, configurar o carro para pista seca ou molhada. O parque fechado começou a valer ainda na sexta-feira, portanto poucos ajustes eram permitidos. Aqueles times que optaram por levantar os carros, estavam pensando na prova do domingo, onde existia risco de chuva.

A Ferrari perdeu um pouco daquela vantagem que tinha conseguido nas primeiras provas do ano, a famosa “gordura” pois a Red Bull soube usufruir melhor deste fim de semana do que os donos da casa. Em nome da disputa, as atuais líderes do Campeonato de Construtores seguirão para Miami separadas por apenas 11 pontos.

A Mercedes agora é a atual terceira colocada, a etapa em Ímola foi muito complicada para o time alemão, que já acreditava desde do início que não teria muitas chances neste traçado. Vimos Lando Norris no pódio, enquanto a Aston Martin conquistou os seus primeiros pontos de 2022.

Agora você confere o Raio-X do GP da Emilia-Romagna com alguns comentários sobre a 4ª rodada – seguindo a atual tabela dos Construtores.

Ferrari

Sainz não termina uma nova corrida, o piloto foi acertado por Riccardo pós-largada – Foto: reprodução

A Ferrari tinha um carro competitivo para correr em Ímola, mesmo não levando atualizações, pois não teria muito tempo para testá-las. Com o fim de semana contando com a Sprint, o parque fechado começa a valer muito cedo, o TL1 é usado pelas equipes para configurar os carros preparando-os para o restante do fim de semana.

Em Ímola a expectativa que rondava a Ferrari era muito grande, a equipe poderia conquistar bons pontos e estabelecer uma distância mais confortável para a Red Bull, mas não foi isso que aconteceu.

Charles Leclerc cometeu alguns erros no TL1, escapando muito da pista e até mesmo rodando em algumas ocasiões, mas na classificação realizada na sexta-feira conquistou o P2 para a largada da prova Sprint. O monegasco teve uma excelente reação na largada, ultrapassou Max Verstappen e administrou a Sprint na liderança, mas foi ultrapassado antes do encerramento da prova. Por ter forçado o carro muito no começo da prova, Leclerc não tinha mais pneus para brigar nas voltas finais.

LEIA MAIS: Ferrari aproveita a evolução na pista molhada para liderar o TL1 em Ímola

No domingo, com a chuva, as estratégias foram zeradas quando os pilotos largaram com os pneus intermediários, com o uso destinado para o piso molhado. Os pilotos que começaram a corrida do lado sujo da pista (ou lado par) não tracionaram bem – Leclerc foi um deles, desta forma foi engolido por Sergio Pérez e Lando Norris. O monegasco começou a aquecer os pneus e retomou o seu lugar no pódio, pois o carro da Ferrari tinha uma performance superior ao carro da McLaren. Ao longo da prova ele até tentou se aproximar de Pérez, mas depois desistiu da ideia, conservando o seu equipamento para caso a prova tivesse alguma reviravolta.

Na verdade, quem viveu essa ‘reviravolta’ foi Leclerc mesmo, o monegasco realizou mais uma parada na volta 49, provocando uma reação nos pilotos da Red Bull. Os líderes trocaram os seus pneus retornando para a pista com os pneus macios. Neste instante Leclerc perdeu o controle do carro, rodou e caiu para a nona posição, para no último trecho da corrida fazer uma ‘corrida de recuperação’. Leclerc foi o sexto colocado.

O fim de semana de Carlos Sainz em Ímola foi igualmente turbulento, como o que ele enfrentou na Austrália. O espanhol cometeu um erro no Q2, seguindo direto para o muro de contenção. Sainz começou a corrida da décima posição e foi escalando o grid na prova Sprint, o piloto se mostrou bem hábil, mesmo em uma pista de difícil ultrapassagem. O desempenho que foi um sucesso no sábado não se repetiu no domingo – Sainz foi acertado por Daniel Riccardo na largada, ficou atolado na brita e não completou mais uma prova. O espanhol tinha começado o fim de semana com uma unidade de potência nova para aumentar as suas chances de um bom fim de semana. E desta forma a Ferrari perdeu pontos preciosos em Ímola.

Red Bull

A Red Bull aproveita deslize da Ferrari para conquistar dobradinha em Ímola – Foto: reprodução Red Bull

Ao contrário da Ferrari que precisou pontuar e analisar os seus erros ao final do fim de semana, a Red Bull apenas comemorou o feito. Max Verstappen fechou o domingo com a pole, vitória na Sprint, vitória na corrida principal, liderou todas as voltas do GP da Emilia-Romagna e ainda cravou a volta mais rápida.

O desempenho do holandês foi superior, nem mesmo Sergio Pérez que terminou a prova na segunda posição, conseguiu acompanhar o ritmo do seu companheiro de equipe. Pérez não realizou uma grande classificação na sexta-feira, mas escalou o grid, desta forma largou em uma posição mais confortável na Sprint. No domingo a reação de Pérez foi muito boa na largada, tracionou bem e logo era o segundo colocado, desta forma administrou a prova até o final.

Nenhum dos motores que equipa os carros da Red Bull ou AlphaTauri enfrentaram problemas neste fim de semana. As equipes vão muito mais confiantes para Miami, onde vão tentar se aproximar mais ainda da Ferrari. A Red Bull lidou com um pequeno pacote de atualizações nesta prova, mas estavam tentando se adequar as demandas do circuito.

Mercedes

Os pilotos da Mercedes tiveram um fim de semana bem conturbado. Russell salvou um P4 para a equipe – Foto: reprodução Mercedes/Daimler

Sem dúvidas foi um fim de semana cinza para a Mercedes. Na sexta-feira os carros não estavam competitivos, a chuva que costuma nivelar os desempenhos dos equipamentos e favorecer aqueles pilotos com mais experiência, não foi generosa com o time alemão.

Começando o fim de semana do fundo, a Mercedes tinha um trabalho difícil pela frente, se em Ímola as ultrapassagens são difíceis, imagina para um carro com problemas. As sucessivas bandeiras vermelhas que ocorreram na sexta-feira prejudicaram o ritmo de classificação da Mercedes, o time já identificou que precisa de um stint mais longo para adequar os pneus, pois segue com dificuldade para atingir a temperatura ideal dos pneus. No ano passado a Mercedes já tinha dificuldade para gerenciar os compostos.

A equipe mostra a união, mesmo neste período difícil. Não é muito diferente do que eles enfrentaram quando entraram na categoria, depois eles se superaram e emplacaram sete títulos de construtores.

LEIA MAIS: Sem intrigas, Russell fala sobre o seu relacionamento com Hamilton

No domingo, a corrida não foi fácil para Hamilton, o piloto não conseguiu um boa largada como a de George Russell e passou parte da corrida preso atrás da traseira de Pierre Gasly. O pit-stop de Hamilton foi péssimo, o piloto perdeu alguns segundos que custaram algumas posições na pista. O inglês dependia de abandonos e de se livrar de Gasly para chegar à zona de pontuação, mas isso não aconteceu. Wolff lamentou no rádio, prometendo ao seu heptacampeão que as coisas vão melhorar.

De forma discreta, Russell comemorou o P4, depois de um fim de semana desastroso para o time. Com provas assim vemos que Russell está crescendo como piloto. Ele acertou na largada, um ponto que ele lutava muito, depois de começar a corrida em P11, assumiu a sexta posição. Realizou mais uma ultrapassagem e depois se beneficiou com a rodada de Leclerc. O britânico salvou mais alguns pontos para a Mercedes que aos poucos se estabelece como a terceira colocada no Campeonato, depois do salto da Red Bull.

A Mercedes vai avaliar algumas coisas para Miami, mas o grande pacote de atualizações deve ser instalado em Barcelona – um circuito que os times têm muito dados e é quase um marco zero para as avaliações das equipes, por ser um traçado completo.

McLaren

Lando Norris salva um pódio para a McLaren – Foto: reprodução McLaren

Foi apenas a quarta etapa da temporada, mas a sensação que a McLaren deixa é que finalmente o time está colocando os carros nos trilhos e superando as dificuldades do começo da temporada. Eles ainda não têm o carro ideal, mas já dá para sonhar.

Lando Norris conquistou o P3 durante a classificação, se posicionando logo atrás de Leclerc. Na Sprint o britânico perdeu um pouco de terreno, mas era algo natural, principalmente em pista seca. Ele obteve um P5 para a largada e foi no domingo que Norris surpreendeu mais uma vez. Em pista molhada, foi mais uma vez um destaque. Largou bem, mesmo estando atrás de Leclerc, o piloto logo assumiu o P3. Em poucas voltas o monegasco recuperou a posição, mas Lando se manteve no quarto lugar, não ameaçava ninguém, mas também não era incomodado. O dono do carro #4 foi beneficiado com a rodada de Leclerc e assim obteve o primeiro pódio da McLaren em 2022 – algo que o time nem estava contando muito depois do início de temporada complicado.

Esperávamos para Ricciardo também um fim de semana pacífico. O australiano fez uma boa classificação conseguindo um P6 para a largada da Sprint. O piloto conseguiu um bom desempenho na prova curta, mesmo não conseguindo andar durante o TL2 pois o seu carro ficou parado nos boxes passando por reparos. A McLaren não coletou dados do carro em pista seca, pois os dois equipamentos tiveram problema na primeira sessão que abriu o sábado.

Riccardo foi tocado na Sprint, mas conseguiu manter a posição de largada. No domingo, com os dois carros no Top-10, a McLaren estava segura de um bom resultado, mas o australiano passou por uma zebra pós-largada e foi lançado para cima de Sainz, fazendo o espanhol rodar e ficar preso na brita. Quando a corrida foi encerrada, Ricciardo se dirigiu para a Ferrari, para pedir desculpa ao time italiano.

Sua prova foi toda comprometida, com o bico avariado, precisou realizar uma parada no início da corrida. Depois a McLaren realizou umas outras paradas com ele, mas Ricciardo não conseguiu realizar uma corrida de recuperação, terminando a prova em décimo oitavo.

Alfa Romeo

Valtteri Bottas teve um grande fim de semana a e ajudou a Alfa Romeo na capitalização de pontos – Foto: reprodução

A Alfa Romeo ainda lida com os seus altos e baixos, o carro até consegue ter um bom desempenho, mas os problemas também caminham sempre ao lado da equipe. Como na classificação, Valtteri Bottas tinha passado para o Q3, mas quando um problema apareceu no carro, foi obrigado a encostar, perdendo a oportunidade de buscar uma posição melhor para a largada da Sprint.

O finlandês não participou do TL2 em pista, seca, desta forma o time contou apenas com os dados coletados por Guanyu Zhou. Na prova Sprint Bottas conquistou uma posição, fechando na oitava posição. Durante a corrida Bottas teve Magnussen e Russell como os seus principais concorrentes. O finlandês buscou a posição de Russell e atacou o piloto até a última volta, conquistando um P5 para a Alfa Romeo.

O time celebrou a conquista do piloto finlandês, que fez uma prova muito consistente e teve uma ótima largada, sem perdas e sem correr riscos desnecessários no começo.

Zhou não conseguiu celebrar uma boa corrida. A sua classificação foi bem forte, o piloto passou ao Q2, mas as bandeiras vermelhas prejudicaram a sua tentativa se seguir para o Q3. Com o carro forte que a Alfa Romeo tinha em Ímola, Zhou estava confiante que o seu sábado seria bom, mas ao tocar com Gasly, rodou, bateu no muro de contenção e foi obrigado a abandonar. A Alfa Romeo aproveitou para fazer uma série de mudanças em seu carro, forçando o piloto chinês a começar a corrida principal do pit-lane.

O piloto chinês buscou realizar uma prova de recuperação, mas foi difícil de escalar o pelotão, fechando em Ímola com apenas um P15.

O time está otimista com o seu desempenho e acredita que poderá obter bons resultados nas próximas etapas, inclusive com Zhou.

Alpine

Restou para a Alpine terminar o GP de Ímola fora da zona de pontuação. Alonso abandonou a prova depois de uma batida com Mick Schumacher – Foto: reprodução

A Alpine deixou a Emilia-Romagna sem nada para comemorar, pois desta vez não conseguiu obter pontos. A equipe levou para Ímola um novo pacote de atualizações, mas ele foi fornecido apenas para Fernando Alonso, enquanto Esteban Ocon deve receber as novas peças em Miami.

Alonso realizou uma boa classificação, conseguindo um P5 para a largada, mas não conseguiu sustentar a posição depois que a prova teve início, despencando para a nona posição. Na corrida principal, o espanhol também não teve sorte, foi atingido por Mick Schumacher pós-largada, o toque danificou o sidepod do seu carro, que instantes após o Safety Car deixar a pista, estourou, forçando o piloto a abandonar a prova.

Esteban Ocon sofreu com o ritmo do carro durante todo o fim de semana. O francês esteve sempre abaixo do top-10 e ainda foi punido na corrida principal, pois a equipe o liberou de forma perigosa durante a rodada de pit-stop, o francês ainda atrapalhou Hamilton. Ocon que vinha pontuando para o time, não conseguiu representar a Alpine dentro da zona de pontuação em Ímola.

AlphaTauri

Yuki Tsunoda controlou a prova e representou a AlphaTauri no top-10 – Foto: reprodução

A AlphaTauri foi outro time que não conseguiu se dar bem em Ímola. O fim de semana foi complicado para a equipe italiana, principalmente quando os dois carros deles ficaram presos no Q1. O time não tinha dados do seu carro em pista molhada, eles não conseguiram participar dos testes que foram realizados com o asfalto seco em Barcelona. Tudo era novo para a equipe que não se adaptou a essas condições de pista.

O restante do desempenho do fim de semana foi um reflexo do resultado ruim da classificação. Yuki Tsunoda fez uma boa Sprint, mas terminou a prova na décima segunda posição. Para a corrida do domingo, o japonês conseguiu realizar uma boa largada, ganhando duas posições na largada. Pelo restante da prova Tsunoda ficou administrando a corrida, com o piso meio molhado e meio seco, o piloto sabia que os adversários não conseguiram ultrapassá-lo, pois teriam que passar na pista úmida, com pneus de pista seca. Assim ele fez os rivais degradarem os seus compostos e pode terminar a corrida sem ser ameaçado, conquistando uma sétima posição.

Pierre Gasly não teve a mesma sorte que o companheiro de equipe, depois de ser tocado na Sprint por Zhou, não conseguiu avançar no grid. No domingo ele saltou de P17 para P14, mas ficou o restante da prova preso no trenzinho que se formou atrás de Tsunoda. Gasly ameaçava Alexander Albon e era ameaçado por Hamilton. A corrida terminou de forma pouco agradável para o francês que foi o P12.

Haas

Kevin Magnussen aproveitou a pista molhada para ter resultados mais positivos com a Haas – Foto: reprodução

O time americano gostaria de ter aproveitado mais o fim de semana, principalmente com a boa classificação realizada por Kevin Magnussen. Com o dinamarquês, eles arriscaram, mas o VF-22 estava desempenhando melhor na pista molhada.

Magnussen salvou ao menos um ponto no sábado, quando fechou a corrida em P8. Schumacher fez uma grande Sprint, fechando o top-10. No domingo eles se depararam com a chuva, Magnussen largou muito bem e foi incomodar Charles Leclerc que estava na quarta posição e ainda duelou com Valtteri Bottas. A Haas contou com aquela chuva que poderia cair no começo da corrida para tentar me manter mais tempo nas primeiras posições, mas ela não apareceu. Conforme a pista foi secando e eles tiveram que instalar os pneus de pista seca, o desempenho de Magnussen caiu, precisando se contentar com o P9 ao final da prova.

Schumacher não teve o mesmo brilhantismo no domingo, o piloto perdeu o controle do carro e atingiu Fernando Alonso, prejudicando a prova do piloto da Alpine. A Williams apresentou um desempenho melhor e ele ficou preso em P17.

Aston Martin

A dupla da Aston Martin aproveitou o GP da Emilia-Romagna para levar os dois carros a zona de pontuação – Foto: reprodução

Finalmente o time britânico pode comemorar, pois deixaram o GP da Emilia-Romagna com cinco pontos. Sebastian Vettel e Lance Stroll terminaram dentro do top-10, os pilotos se aproveitaram também do abandono de Fernando Alonso, para conseguir o resultado.

Sebastian Vettel fez da chuva a sua aliada para brigar por posições melhores, as bandeiras vermelhas favoreceram os carros da Aston Martin. O piloto alemão ressaltou várias vezes que foi difícil guiar o AMR22, não por ele ter problemas (mesmo sendo um carro complicado), mas estes novos carros da F1 são extremamente pesados.

No sábado, em pista seca, Vettel não conseguiu ter ritmo, mas aproveitou a largada no domingo em pista molhada para realizar um bom trabalho. Vettel ainda teve alguns duelos na prova, antes de encerrar a prova em P08.

Lance Stroll não conseguiu se classificar no top-10, lidou com um ritmo complicado no sábado, mas no domingo mesmo preso no trenzinho de Tsunoda, conseguiu fechar a prova em P10.

O time pode tirar proveito dos acertos e dados que foram coletados em Ímola, para tentar repetir a performance em outras provas em que o clima for instável ou frio.

Williams

Com falta de ritmo a Williams não conseguiu um bom resultado neste fim de semana – Foto: reprodução Williams

Diferente do que vimos da Williams em 2021, o time não conseguiu aproveitar a pista molhada na sexta-feira para surpreender com uma boa classificação. A equipe ainda está buscando formas para melhorar o seu desempenho – mais recortes foram realizados em sua pintura, tentando reduzir o peso do carro.

Em mais um evento os pilotos relatam problemas de falta de ritmo e com um carro pouco competitivo, não conseguiram avançar durante as provas. Alexander Albon ainda teve alguma sorte, pois esteve em uma batalha direta com Pierre Gasly e Hamilton, onde evitou as investidas dos dois pilotos por grande parte das voltas do GP da Emilia-Romagna. A nova configuração da asa conseguiu surtir efeito no carro do tailandês neste domingo. Ele foi o piloto que mais esteve perto de conquistar pontos neste domingo para a Williams.

Nicholas Latifi teve um fim de semana completamente apagado, não conseguindo se adequar ao carro da equipe.

A Fórmula 1 realiza uma breve pausa, antes de disputar o GP de Miami.

Escute o nosso Podcast!

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados