ColunistaFórmula 1Post

Preview GP da Holanda – O retorno de Zandvoort para o calendário da Fórmula 1

Em uma pista rápida, com curvas inclinadas e na casa de Max Verstappen, agora a Fórmula 1 vai disputar a décima terceira etapa

O GP da Holanda marca a décima terceira etapa da temporada 2021, que agora contará com apenas 22 provas, depois dos reajustes que o calendário sofreu. A prova em Zandvoort marca o retorno da categoria depois de 36 que o circuito não recebeu mais prova da Fórmula 1.

Ter uma prova na Holanda é uma forma que a categoria encontrou para expandir o seu mercado, além disso estão se aproveitando do momento, afinal Max Verstappen é um piloto em ascensão, em uma equipe competitiva, que começou a mover uma torcida holandesa para o GP da Bélgica, todos exibindo o laranja.

LEIA MAIS: SÉRIE CIRCUITOS DA F1: Zandvoort

A pista foi modernizada, mudou muito desde a primeira vez que a Fórmula 1 disputou uma corrida por lá em 1952 ou sua última passagem em 1985. No entanto, algo que eles conseguiram preservar muito bem até hoje foi o seu desafio, Zandvoort é um circuito veloz, com curvas inclinadas, mas com grandes chances de ultrapassagem.

Circuito de Zandvoort – Foto: reprodução Fórmula 1

Ela também preserva aquele estilo ‘old school’, com a brita em alguns pontos, desafiando os pilotos e cobrando rapidamente os seus erros.

Neste fim de semana os times vão contar com duas zonas de ativação do DRS, a primeira está localizada entre a curva 14 e 01, enquanto a segunda ativação fica entre as curvas 10 e 11. Os pilotos vão completar 72 voltas nos 4.259 KM. 

Os pneus

Por conta das características da pista, a Pirelli está apostando na gama mais dura de pneus para usar neste fim de semana. 

O campeonato

Ainda estamos aguardando a disputa entre Max Verstappen e Lewis Hamilton, pois no GP da Bélgica não foi possível ver se quer uma fração do duelo entre eles. Obviamente na Holanda, Verstappen vai estar motivado pela torcida, tentando um domínio durante a classificação e corrida. Aquela batida que ocorreu entre eles em Silverstone, deve ficar mais inflada agora que Max corre em casa e busca mais uma vez assumir a liderança do campeonato de pilotos.

Por outro lado, depois de três resultados ruins, Sergio Pérez que renovou o contrato com a Red Bull busca obter pontos e fazer uma etapa sem problemas.

A McLaren reassumiu a terceira posição do Campeonato de Construtores depois que Daniel Ricciardo teve uma boa classificação em Spa-Francorchamps obtendo o 4º lugar, posição que conseguiu manter durante as voltas dadas atrás do Safety Car no domingo. Como a Ferrari não teve um bom resultado, mas o time também não teve a oportunidade de se enfrentar em pista, o embate que queremos ver foi adiado para a Holanda.

A corrida na Holanda também dá seguimento a dança das cadeiras, Kimi Raikkonen já confirmou a sua aposentadoria, deixando a Fórmula 1 ao final da temporada. Os rumores estão cada vez mais fortes sobre a mudança de Valtteri Bottas para a Alfa Romeo e George Russell sendo confirmado na Mercedes.

Outras histórias

Durante as temporadas de 1952 e 1953, a Ferrari tinha grande destaque, de 17 Grandes Prêmios o time italiano venceu 11 neste período. Vale a ressalva que as 500 Milhas de Indianápolis constavam no calendário da Fórmula 1, mas as equipes e pilotos não se deslocavam para correr.

Ascari dominou 1952 e 1953 a Fórmula 1 – Foto: reprodução

Na Holanda em 1952, Alberto Ascari conquistou um Grand Chelem, que consiste na pole, volta mais rápida e liderar todas as voltas de uma prova.

Os brasileiros

Mesmo com vários brasileiros disputando o GP da Holanda ao longo dos anos que a prova esteve no calendário da Fórmula 1, apenas Nelson Piquet conseguiu uma vitória. Ela ocorreu em 1980, o piloto largou do quinto lugar. Alan Jones que era o quarto colocado com a Willimas, saltou para a ponta, tomando a liderança de René Arnoux do início, mas pouco depois o francês da Renault retomou a ponta.

Nelson Piquet largou da sexta posição, conseguindo assumir a liderança da corrida na décima terceira volta – Foto: reprodução

Foi na 13ª volta que o brasileiro da Brabham realizou a ultrapassagem e assumiu a primeira posição para não perder mais. Arnoux e Lafitte completaram o pódio daquela prova.

Piquet foi o mais bem sucedido dos brasileiros em Zandvoort, no entanto, Emerson Fittipaldi ficou com o terceiro lugar com a McLaren 1974, enquanto Ayrton Senna foi ao pódio de Lotus, conquistando um terceiro lugar em 1985.

W Series

Neste fim de semana a W Series vai disputar a sexta prova da temporada 2021, na Bélgica a finlandesa Emma Kimiläinen conseguiu superar Jamie Chadwick para obter a vitória, depois que a pilota da Veloce tinha largado da pole. Emma começou a corrida da quarta posição, mas apresentava um melhor ritmo, realizou ultrapassagens importantes até obter o resultado.

Depois da corrida da Holanda, a W Series realiza uma pausa, retornando no GP dos Estados, para disputar a penúltima prova da temporada.

É claro que está parte do calendário está mais caótica e alguns cancelamentos já ocorreram. A pandemia ainda pode alterar os planos das categorias e como a W Series está acompanhando a Fórmula 1, se o calendário da categoria principal for alterado, elas também acabam mudando o destino e as datas.

Horários GP da Holanda da W Series – Foto: Ale Ranieri/BP

Horários GP da Holanda de F1

Horários do GP da Holanda de F1 – Foto: Ale Ranieri/BP
Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados