ColunistaDestaquesNascarPit-Stop DropsPostUS Route

Pit-Stop Drops: Keselowski aproveita colapso da Hendrick e vence a Coca-Cola 600 em Charlotte

No domingo do Memorial Day, Brad Keselowski celebrou do jeito mais americano possível (Jared C. Tilton | Getty Images)

Na única das três provas clássicas do final de maio a ser realizada em 2020, a Coca-Cola 600 em Charlotte trouxe grandes emoções e reviravoltas na parte final. O desfecho da prova acabou sendo um pesadelo para a Hendrick, que viu seus pilotos envoltos em problemas e em decisões erradas nas últimas voltas. Quem se aproveitou foi Brad Keselowski, da Penske, que venceu pela primeira vez no ano, se garantindo nos playoffs da NASCAR Cup Series.

A primeira metade da prova foi dominada por Alex Bowman, que tomou a liderança do pole Kurt Busch após a paralisação da prova pela chuva na volta 50 (que interrompeu a corrida por mais de uma hora). O piloto do número 88 da Hendrick venceu os dois primeiros estágios, mas perdeu rendimento após a metade da prova.

Martin Truex Jr. assumiu a ponta, mas no fim do terceiro estágio, uma bandeira amarela provocada pela rodada de Matt Kenseth provocou uma mudança de estratégia, e Joey Logano assumiu a ponta ao não parar nos boxes. O piloto da Penske segurou a onda e venceu o segmento. No entanto, Logano escorregou na relargada seguinte ficou para trás.

Faltando 50 voltas para o fim, Joey Gase rodou e provocou outra bandeira amarela. Nos boxes, Jimmie Johnson assumiu a ponta e trouxe esperança para seus fãs de encerrar o jejum de mais de três anos sem vitória na NASCAR, mas o heptacampeão noa relargou bem e perdeu posição para Brad Keselewoski e seu companheiro de Hendrick, Chase Elliott. Os dois ponteiros disputaram a ponta por cerca de 10 voltas, mas Elliott tinha um acerto melhor e tomou a ponta, caminhando para a vitória redentora, que parecia certa até dois giros para o fim.

Chase Elliot viu a vitória escapar pelos dedos (Chris Graythen | Getty Images)

Então, iniciou-se a ruína da equipe Hendrick. Willian Byron teve um pneu furado e rodou, provocando a bandeira amarela e, consequentemente, a prorrogação. Já não bastasse a frustração por ter a vitória evitada, o chefe de equipe do carro 9, Alan Gustafson chamou o carro 9 para os boxes para botar pneus novos. Entretanto, outros pilotos optaram por ficar na pista para a última relargada. Com isso, Elliott caiu para 11º ficando fora da briga pela vitória.

Na última relargada, Keselowski segurou os ataques de Johnson e conquistou a primeira vitória do ano. Enquanto o piloto da Penske celebrava o triunfo com a bandeira dos Estados Unidos, Chase Elliott lamentava no paddock, mesmo tendo reagido e chegado em terceiro na pista. Era evidente a frustração nos boxes da Hendrick.

E como desgraça pouco é bobagem, horas após a prova, os inspetores da NASCAR identificaram uma irregularidade no alinhamento no Chevrolet Camaro número 48 e desclassificaram Jimmie Johnson da corrida. Assim, o top 10 da prova ficou com Keselowski, Elliott, Ryan Blaney, Kyle Busch, Kevin Harvick, Martin Truex Jr, Kurt Busch, Tyler Reddick, Christopher Bell e Chris Buescher.

Jimmie Johnson chegou a sonhar, mas, além de ficar no quase, acabou desclassificado (Jared C. Tilton | Getty Images)

A próxima etapa da NASCAR Cup Series será novamente em Charlotte na próxima quarta-feira, à noite. As divisões de acesso da categoria também correm durante a semana, com a Xfinity Series na segunda e Ganter Outdoors Truck Series na terça.

 

Mostrar mais

Eduardo Casola

Jornalista formado na Universidade de Sorocaba (Uniso) e apaixonado por esporte a motor desde quando se conhece por gente. Apenas um rapaz que gosta de uma boa corrida e de uma boa história!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados