ColunistaFórmula 1Post

Mercedes lidera último dia da pré-temporada em Barcelona. Atividade é marcada por vários problemas

A Mercedes comandou o último dia de testes. Várias equipes apresentaram problemas, algumas não conseguiram participar dos testes com os pneus de chuva

O último dia de testes não foi tão movimentado como era esperado, alguns carros foram acometidos por problemas e ficaram de fora da sessão vespertina. A Mercedes fechou o último dia de testes na liderança, George Russell foi o mais rápido pela manhã, ele anotou 1m19s233, mas a marca foi obtida com os pneus C5, os mais macios da gama. Lewis Hamilton obteve o melhor tempo com o C4, anotando 1m19s138, para superar o companheiro de equipe. O dono do carro #44 passou das 88 voltas à tarde. 

Os pilotos que participaram da sessão da tarde, completaram as suas voltas em pista molhada, a atividade foi dedicada para a verificação dos pneus de chuva. Os times, assim como a Pirelli precisavam ter dados do comportamento dos pneus nos novos carros.

Como o traçado foi secando, os times voltaram a usar os pneus macios. Neste momento alguns pilotos começaram a andar lado a lado, como se estiverem em uma corrida.

Sergio Pérez aproveitou para aferir uma volta rápida com o seu carro, desta forma saltou para o segundo lugar, depois de anotar 1m19s556s com os pneus C3, mas pouco depois o piloto da Red Bull foi superado. Lewis Hamilton que assumiu o W13 a tarde também completou o giro rápido, anotando 1m19s141, com o composto C4 para assumir a liderança, depois de já estar na terceira posição.

Hamilton melhorou ainda mais o seu tempo, anotando 1m19s138, se confirmando na ponta. 

Manhã

O último dia de testes em Barcelona costuma ser agitado, além disso, quebras são comuns, pois os times forçam realmente os seus equipamentos. Agora será a última análise antes deles retornarem para as suas fábricas.

As duplas desta temporada também vão realizar um revezamento, um dos seus pilotos completará voltas pela manhã, enquanto o outro está escalado para o encerramento da atividade.

Pela manhã testaram Russell, Verstappen, Vettel, Norris, Alonso, Zhou, Gasly, Albon e Mazepin. Quando Albon encerrou as suas atividades com a Williams, Latifi assumiu o carro imediatamente antes da pausa para o almoço.

Mesmo sem imagens para acompanhar tudo da pré-temporada, a categoria tem matado a curiosidade sobre o funcionamento dos carros. Um vídeo do funcionamento do DRS foi disponibilizado!

Outra curiosidade do dia era relacionada à pintura da Haas, o time fez a remoção do nome da UralKali do seu carro, as cores da bandeira russa também foram retiradas. O time não rompeu o acordo de patrocínio, mas decidiram fazer essa alteração em seu layout.

Para o último dia de testes UralKali entrou em pista sem o patrocínio da UralKali – Foto: reprodução

A Alpine foi o primeiro time a provocar uma bandeira vermelha na sessão, o carro começou a soltar uma fumaça e ficou parado na curva 13. Quando o carro retornou aos boxes e fizeram uma verificação e atestaram um problema hidráulico. Um pequeno problema de vedação levou a um incêndio na parte traseira do carro, como os reparos vão tomar tempo, a Alpine só retornará para a pista no Bahrein.

Quando Alonso estava guiando o A522, ele foi acometido por um incêndio. A Alpine ficou impossibilitada de participar do restante da sessão – Foto: reprodução

A segunda paralisação ocorreu por conta do AT03 guiado por Pierre Gasly. O piloto tinha completado 40 voltas antes de bater no muro de contenção e danificar a asa dianteira do seu carro.

Os problemas para a Haas e Alfa Romeo não terminaram, mais uma vez eles apresentaram problemas nesta manhã. Nikita Mazepin assumiu a condução do VF-22, mas após nove voltas retornou aos boxes por conta de um vazamento de óleo.

A terceira bandeira vermelha da manhã foi provocada por Guanyu Zhou, a Alfa Romeo estava em um bom programa, já tinha completado 39 voltas quando parou. O piloto chinês ficou preso na brita, portanto, a atividade foi interrompida. Aparentemente o problema não era tão sério, Zhou retornou aos boxes, mas na saída seguinte ficou parado na reta e uma nova bandeira vermelha foi estabelecida – restavam vinte minutos para o encerramento da atividade.

Sem surpresa alguma, a sessão encerrou em bandeira vermelha, pois o carro da Aston Martin guiado por Sebastian Vettel também apresentou problemas. Ao ser investigado pela equipe, a Aston Martin identificou um vazamento de óleo que foi o motivo para desencadear o incêndio no AMR22.

George Russell terminou na liderança da sessão, o piloto anotou 1m19s233 com os pneus mais macios da gama (C5). Max Verstappen tinha 1m19s756, cravamos com os pneus C3, Sebastian Vettel apareceu no terceiro lugar com 1m19s824, mas ela também foi aferida com os compostos C5.

Tarde

Nesta tarde a Pirelli realizou testes com os pneus de chuva, os times tiveram a oportunidade de verificar esses compostos, para não saírem sem dados do comportamento dos carros com este tipo de pneus.

Testaram a tarde: Schumacher, Bottas, Albon, Stroll, Tsunoda, Ricciardo, Sainz, Pérez, Hamilton e Latifi.

A pista foi molhada com caminhões pipa, Daniel Ricciardo foi o primeiro a se encaminhar para a pista usando os pneus de faixa azul, mais adequados para chuva extrema, mas pouco depois começou a avaliação com os intermediários.

Assim como a Alpine que não teria tempo para recuperar o seu carro há tempo de devolvê-lo para a pista, a Haas também realizou algumas verificações no VF-22 nos boxes e informou que não participaria da sessão Vespertina. O time americano comprometeu muito do seu cronograma com as quebras e pouco andaram nestes três primeiros dias de atividade. O problema que ocorreu pela manhã quando Mazepin estava no carro, não era tão simples de resolver. 

Valtteri Bottas também estava ansioso para dar algumas voltas, o finlandês também foi prejudicado nos últimos dias. A Alfa Romeo arrumou o carro durante o almoço para que Bottas conseguisse recolher algumas informações com os pneus de chuva. 

Os tempos eram altos quando os trabalho que eram realizados com os pneus de chuva. Os times estavam focados em fazer um programa de simulação de corrida longo, verificando a durabilidade dos pneus de chuva e o comportamento dos seus carros. 

A Aston Martin não conseguiu solucionar o problema após Sebastian Vettel enfrentar o problema do incêndio ao final manhã, o time também se retirou da sessão, informando que retornará no Bahrein. 

Bottas teve mais uma tarde crítica, o finlandês completou dez voltas com os pneus de chuva, um novo problema foi identificado no carro, impossibilitando mais uma vez do finlandês adquirir quilometragem. 

Como o traçado começou a secar, os pilotos voltaram a usar os pneus de pista seca, portanto os pilotos que estavam guiando a tarde tiveram a oportunidade de aferir voltas rápidas. 

A Red Bull com Sergio Pérez também começou a fazer algumas voltas mais rápidas próximo ao encerramento da atividade, desta forma o piloto mexicano conseguiu um terceiro lugar ao final do último dia de testes.

Lewis Hamilton que estava nas últimas posições durante os testes com os pneus de chuva, começou a fazer algumas voltas rápidas na última hora de atividade. Hamilton subiu para a terceira posição com os compostos C4, mas nos últimos 20 minutos passou para a liderança, anotando 1m19s141, depois evoluiu para 1m19s138.

Post em atualização*

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados