ColunistaExtreme EFórmula 1PostRepost

McLaren anuncia entrada na Extreme E em 2022

Equipe será a décima a entrar na categoria e se une a grandes nomes que já passaram pela Fórmula 1

Continuando seu plano de expansão e inovação, a McLaren Racing abrirá um novo capítulo no automobilismo em 2022, quando entrará na Extreme E com equipe própria. O time comandado por Zak Brown fará sua estreia no campeonato global de cinco corridas, ajudando a acelerar a agenda de sustentabilidade e diversidade da McLaren Racing, ao mesmo tempo em que alcançará novos fãs e parceiros, além de expandir a marca e a franquia da McLaren Racing.

A decisão de entrar no Extreme E segue uma avaliação detalhada da categoria pela McLaren em um conjunto de critérios estratégicos, econômicos e operacionais. Estes foram sustentados por um claro imperativo para acelerar a própria missão de sustentabilidade da McLaren Racing, que coloca a redução de carbono, a reciclagem, o reaproveitamento e eliminação de resíduos e a diversidade, igualdade e inclusão em seu núcleo.

Vale lembrar que Zak Brown já está envolvido com a categoria elétrica através da United, parceira da Andretti nessa temporada. Brown é um dos donos da United, equipe que também disputa o WEC. No entanto, o CEO da McLaren revelou ao site The-Race.com que seu foco será 100% no time de Woking.

A dupla de pilotos (obrigatoriamente um homem e uma mulher) ainda não foi confirmada, mesmo assim a equipe britânica será a 10ª a compor o grid da Extreme E. Ainda há a chance de mais dois nomes se juntarem ao campeonato, Techeetah e HWA que haviam se inscrito na competição, mas tiveram que adiar sua entrada por causa da pandemia.  

ODYSSEY 21 da Andretti United durante o Ocean XPrix em Senegal, Dakar. Imagem: divulgação Andretti United.

Para Alejandro Agag, fundador e CEO da Extreme E, “Ter a McLaren a bordo, que simboliza o mais alto nível de corrida e inovação automotiva, é um enorme endosso de que o que entregamos em apenas nossas duas primeiras corridas da Temporada 1 já criou um impacto real no automobilismo.

“Estamos absolutamente entusiasmados em receber Zak e a poderosa equipe McLaren Racing no Extreme E, e é certo dizer que mal podemos esperar para ver a equipe em sua estreia fora de estrada em corridas elétricas. A 2ª temporada ficou muito emocionante!”

Zak Brown comentou que “Estamos acompanhando de perto o progresso da Extreme E desde o momento em que ela foi anunciada. Nossa atenção foi imediatamente atraída pelo formato inovador desta plataforma de automobilismo, em particular pela capacidade que nos dá para acelerar e impulsionar nossa própria agenda de sustentabilidade abrangente, que compartilha as mesmas prioridades de descarbonização, redução de desperdícios, diversidade e igualdade.

“Ao mesmo tempo, nos permitirá alcançar um novo público com um formato de corrida inovador, conectar-se com uma nova geração de fãs através de conteúdo servido em uma variedade de canais e fornecer aos parceiros uma plataforma de competição orientada para se alinhar e compartilhar uma narrativa positiva e poderosa.

“Desde o início, a McLaren sempre esteve na vanguarda e nunca teve medo de ultrapassar novos limites. Este novo empreendimento é fiel às nossas raízes de participar de uma variedade de categorias, inovação e bravura. Extreme E está pavimentando um novo terreno no automobilismo como uma força para o bem no enfrentamento de alguns dos maiores desafios que nosso mundo enfrenta hoje e no futuro” disse o CEO da McLaren Racing.

Apesar da nova aventura, ele garante que a essência da equipe permanece: “Enquanto a Fórmula 1 sempre permanecerá no centro do nosso mundo, nossa entrada na Extreme E é um aditivo para a franquia McLaren Racing, como a INDYCAR e os esports, e irá complementar e ajudar a apoiar todos os nossos programas. 

“Competiremos contra grandes nomes que estamos muito familiarizados com a F1 e a INDYCAR, mas, como todas as séries em que competimos, o objetivo da competição é claro: estamos lá para vencer”, finalizou Brown. 

Entre os nomes já conhecidos da McLaren estão Lewis Hamilton, dono da equipe X44, e Jenson Button, proprietário e piloto da JBXE. Os dois com passagem pela McLaren na Fórmula 1. Carlos Sainz Jr, piloto da McLaren até o ano passado, é acionista da Acciona Sainz, equipe de seu pai na Extreme E. Além deles, está Nico Rosberg e sua equipe RXR.

A McLaren Racing está envolvida com o automobilismo elétrico desde o início da Fórmula E como fornecedora da bateria utilizada nos carros Gen 1 e Gen 2 – tecnologia pioneira no hipercarro McLaren P1. A parceria da equipe com o Campeonato Mundial da FIA chegará ao fim na próxima temporada, quando a McLaren dará lugar à Williams. 

O time Papaya assinou um termo demonstrando interesse em entrar na categoria como equipe na era Gen3 da Fórmula E (2022/23), mas ainda não há comunicado oficial sobre o assunto. 

LEIA MAIS: McLaren formaliza intenção de participar da Fórmula E em 2022

Com sua mudança de fornecedor para equipe na Extreme E, a McLaren Racing continuará a construir seu know-how e experiência no espaço de corrida totalmente elétrico.

A equipe será operada pela McLaren Racing usando tanto o pessoal existente de fora do programa de Fórmula 1 quanto recursos especializados adicionais. Como todas as equipes, a McLaren Racing está limitada a quatro mecânicos e um engenheiro em cada evento para o carro de uma marca e seus dois pilotos, transportados pela Extreme E como parte do pacote geral da franquia.

Mostrar mais

Cinthia Venâncio

Cearense que acompanha Fórmula 1 desde que se entende por gente. Faz aniversário no mesmo dia do Damon Hill.

Deixe uma resposta

Artigos relacionados