ColunistaFórmula EPost

A McLaren formaliza intenção para participar da Fórmula E em 2022

O time que já fornece baterias para a categoria, expressa interesse ao assinar opção com o intuito de participar da competição em 2022

A McLaren, a mesma equipe tradicional da Fórmula 1 que terminou a temporada 2020 na terceira posição do campeonato de construtores, manifestou a vontade de participar da temporada 2022/23 da Fórmula E. A equipe anunciou hoje (11) que assinou uma opção para entrar no campeonato.

A equipe de engenharia, a Alpplied Technologies desenvolve as baterias da Fórmula E desde a temporada 2018, quando o Gen 2 foi introduzido no campeonato como símbolo de inovação, quando não foi mais necessário trocar de carro para finalizar a corrida, pois a bateria tinha duração para uma prova completa.

Em 2022/23 a Fórmula E promete mais um avanço com o Gen 3 marcando a categoria com um desempenho mais eficiente e carros mais potentes. 

A McLaren vai fornecer as baterias até a temporada 2021/22 da Fórmula E, quando a equipe poderá estreitar os laços com a competição elétrica. A Williams Advanced Engineering será a fornecedora das baterias para a categoria.

“A McLaren Racing garantindo a opção de ingressar no grid da Fórmula E da Gen3 é uma prova do impacto contínuo de nosso esporte”, disse Alejandro Agag, fundador e presidente da Fórmula E. “Com alguns dos nomes mais famosos do automobilismo já competindo na Fórmula E, estamos entusiasmados com a decisão da McLaren Racing de examinar uma possível entrada para a Fórmula E.”

A McLaren também está na Indy e Le Mans, e vê a categoria elétrica como mais uma oportunidade de desenvolvimento.

“Há algum tempo observamos de perto a Fórmula E e monitoramos o progresso e a direção futura da competição”, acrescentou Zak Brown, CEO da McLaren Racing. “A oportunidade de escolher a entrada e a conclusão da McLaren com o contrato de fornecedor ao final da segunda geração, nos dá o tempo necessário para decidir se a Fórmula E é certa para a McLaren como uma plataforma de competição futura.”

Por conta do teto orçamentário implementado pela Fórmula 1 já nesta temporada, onde os times poderão gastar 145 milhões de dólares por ano, a McLaren pode ver a Fórmula E como uma oportunidade para realocar os funcionários de uma categoria para a outra. A mudança na F1 pode não afetar a operação de equipes pequenas na categoria, mas as grandes como a McLaren são passíveis de alteração, desta forma as equipes poderiam se aproximar mais na competição.

Confira: Fórmula 1 vai reduzir o teto orçamentário para US$ 145 milhões, planejando o futuro da categoria

Jamie Reigle, CEO da Fórmula E, disse: “Estamos muito satisfeitos que a McLaren Racing, um dos nomes mais icônicos do automobilismo, tenha garantido a opção de ingressar na Fórmula E. A McLaren contribuiu imensamente para o sucesso da Fórmula E como fornecedores de nossos Sistemas de bateria Gen2.

“Agora estamos ansiosos para trabalhar com a McLaren Racing para demonstrar o potencial esportivo e comercial da Fórmula E e desenvolver maneiras de elevar a série a um novo nível, como parte de sua avaliação”.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados