ColunistaFórmula 1Post

GP da Inglaterra – Hamilton vence corrida com final surpreendente, o inglês cruzou a linha de chegada com três pneus

Os pilotos utilizavam os pneus duros, mas as últimas voltas foram marcadas pelo desgaste dos compostos

Lewis Hamilton venceu a corrida em casa disputada neste domingo (02) e brilhou mais uma vez. Não somente pelo desempenho, mas por cruzar a linha de chegada com apenas três pneus. Na última volta o pneu dianteiro esquerdo estourou, mas o inglês permaneceu na pista.

Este foi o mesmo problema enfrentado por Valtteri Bottas, o pneu do finlandês estourou na penúltima volta e ele precisou se encaminhar para os boxes. Bottas estava na segunda posição, mas terminou a corrida em décimo primeiro. Durante toda a prova o finlandês tentou reduzir a distância para o companheiro de equipe e travando uma luta à parte das Mercedes.

A Red Bull de fato perdeu a chance de vencer o GP da Inglaterra, mas não era possível prever o último giro. A equipe austríaca apostou na disputa pela melhor volta e a conquistou, após Max Verstappen anotar 1:27.097. O holandês falou após a prova que também estava lidando com o desgaste dos pneus, então ele também poderia ter acabado com o composto estourando.

A Ferrari chegou ao pódio com Charles Leclerc, por conta de Bottas que perdeu a segunda posição, foi um bom resultado para a equipe, já que Sebastian Vettel enfrentou diversos problemas durante o fim de semana e não conseguiu realizar uma boa corrida. O alemão ainda conquistou um ponto, por terminar a prova no décimo lugar.

Daniel Ricciardo ficou com a quarta posição, após ultrapassar Lando Norris da McLaren que ficou em quinto. Esteban Ocon foi o sexto colocado, a Renault teve uma boa desenvoltura na pista e contou com o problema enfrentando por Carlo Sainz para ganhar mais uma posição.

Pierre Gasly teve seu destaque na corrida, o piloto realizou diversas ultrapassagens e ainda brigou com a Racing Point de Stroll, desta forma a AlphaTauri ficou com o sétimo lugar.

Alexander Albon foi o oitavo, o tailandês bateu em Kevin Magnussen na segunda volta, recebeu cinco segundos de punição, não se encontrou na pista e demorou para realizar as ultrapassagens. No entanto ao final da prova, com as posições certas conquistadas terminou a corrida na zona de pontuação.

Lance Stroll fechou em nono, este foi o pior desempenho da Racing Point, Nico Hulkenberg não conseguiu participar da prova e o canadense virou um alvo fácil nas últimas voltas.

A Fórmula 1 retorna no próximo final de semana em Silverstone, para disputar a prova dos 70º aniversário e certamente os pneus são a preocupação do momento, pois os pilotos vão utilizar compostos mais macios.

Saiba como foi o GP da Inglaterra 

O grid de largada após a punição de Pierre Gasly, ficou assim: 

O carro de Nico Hulkenberg estava com problemas hidráulicos e o piloto ficou preso nos boxes, infelizmente o alemão não participou da prova.

Volta 1: Hamilton seguiu na ponta, mas a disputa era pela terceira posição, pois Leclerc e Verstappen se enfrentavam, trocando as posições até que o holandês consegue dar o troco e se distanciar do monegasco.

Vettel seguiu buscando um bom rendimento, mas permaneceu na décima posição;

Volta 2: O Safety Car entrou na pista, ele foi acionado por conta da batida de Albon com Magnussen da Haas, que tirou o dinamarquês da corrida;

Volta 3: As posições eram: Hamilton, Bottas, Verstappen, Leclerc, Sainz, Ricciardo, Norris, Stroll, Ocon, Vettel, Gasly, Albon, Giovinazzi, Kvyat, Grosjean, Raikkonen, Russell e Latifi;

Volta 6: O Safety car deixou a pista e as disputas recomeçaram. Hamilton permaneceu na primeira posição, mas não era atacado por Bottas. Leclerc não conseguiu a aproximação necessária para atacar Verstappen. As posições dos dez primeiros permaneciam;

Volta 7: Albon foi para os boxes e realizou uma troca de pneus, desta forma o tailandês retornou com os pneus duros, após largar com os médios;

Volta 10: Do décimo colocado ao décimo terceiro, a diferença entre eles era de menos de um segundo. Gasly atacava Vettel, buscando a décima posição, mas Giovinazzi e Kvyat também buscavam uma posição melhor.

Antes do final da volta, Kvyat conseguiu realizar a ultrapassagem no italiano da Alfa Tauri e assumiu a décima segunda posição;

Volta 13: Kvyat bateu ao perder a traseira do carro quando atacou muito a zebra. O carro de segurança retornou para a pista;

Rapidamente Ricciardo, Norris, Vettel, Ocon, Giovinazzi, Gasly, Albon, Russell, Raikkonen e Latifi foram para os boxes;

Volta 14: Foi a vez de Hamilton, Bottas Verstappen, Leclerc, Sainz e Stroll foram para os boxes na segunda volta.

As posições eram: Hamilton, Bottas, Verstappen, Leclerc, Grosjean, Sainz, Ricciardo, Norris, Stroll, Vettel, Ocon, Giovinazzi, Gasly, Albon, Russell, Raikkonen e Latifi. Apenas Grosjean não havia realizado a parada e permaneceu com os pneus médios;

Volta 18: Com a saída do Safety Car, Sainz passou a atacar Grosjean. Ricciardo tentou ganhar a posição do espanhol da McLaren e até realizou a ultrapassagem, mas pouco depois a dupla da McLaren deu o troco e Ricciardo foi jogado para a oitava posição.

A dupla da McLaren se enfrentava, para determinar quem ficaria com o sexto lugar.

Albon fora punido e recebeu cinco segundos de punição;

Volta 23: Sainz conseguiu realizar a ultrapassagem e assumiu a quinta posição;

Volta 25: Lando Norris assumiu o sexto lugar, deixando Grosjean para trás;

Volta 26: Grosjean recebeu a bandeira preta e branca, pela forma como está conduzindo;

Volta 28: Os pilotos não conseguiam se distanciar do sétimo ao décimo quarto, a distância entre eles ficava abaixo de um segundo;

Volta 31: Albon realizou mais uma parada e retornou com os pneus médios na décima sétima posição; Gasly ultrapassou Giovinazzi e assumiu a décima segunda posição;

Volta 33: Raikkonen caiu para a décima sexta posição, após ser ultrapassado por Nicholas Latifi;

Volta 36: Antonio Giovinazzi foi punido com cinco segundos, por infringir o Safety Car;

Volta 37: Grosjean realizou a parada e caiu para a décima sétima posição;

Volta 38: Gasly passou a ser o décimo colocado ao ultrapassar Sebastian Vettel;

Volta 40: Albon ultrapassou Raikkonen e assumiu a décima quinta posição;

Volta 41: Hamilton que já vinha registrando diversas voltas rápidas durante a corrida, anotou 1:29.282;

Volta 42: Verstappen deu o troco e anotou 1:29.070, o piloto da Red Bull estava separado por mais de 10 segundos da Mercedes, enquanto a diferença para Leclerc passava dos 25 segundos;

Volta 46: Albon conseguiu ultrapassar Russell e Giovinazzi, desta forma o piloto da Red Bull chegou a décima segunda posição.

Entre os dez a disputa era pela oitava posição e Ocon ultrapassava Stroll da Racing Point;

Volta 48: Raikkonen começou a andar lentamente, após perder um pedaço da asa dianteira, o finlandês foi para os boxes, realizou a troca e devolver Raikkonen na última posição;

Volta 49: Gasly conseguiu a ultrapassagem e assumiu a nona posição;

Volta 50: O pneu de Bottas estourou e Verstappen assumiu a segunda posição;

Albon assumiu o décimo primeiro lugar após ultrapassar Vettel;

Volta 51: Verstappen realizou mais uma parada e retornou com os pneus macios, para tentar a volta mais rápida.

A Mercedes devolveu Bottas na décima segunda posição;

Volta 52: O pneu de Hamilton e Sainz estouraram, mas o inglês continuou na pista e venceu a corrida mesmo com o pneu estourado.

A Red Bull optou por tentar a volta mais rápida com Verstappen e perdeu a chance de vencer a corrida, mas o holandês anotou 1:27.097.

 

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados