ColunistaFórmula 1Post

F1 tenta negociar com times provas Sprint e recua para a realização de três eventos em 2022

A Fórmula 1 começou oferecendo seis eventos Sprint em 2022, mas como não chegou em um acordo com os times, considera a realização de três eventos

Para a temporada 2022 onde será dado o início da nova era da Fórmula 1, a Liberty Media estava planejando a expansão das corridas Sprint para seis eventos ao ano, mas agora tenta convencer os times de que ao menos três provas neste formato possam ser disputadas em 2022.

A conversa inicial era que que as corridas aconteceriam no Bahrien, durante a abertura do campeonato, depois em Ímola, Canadá, Áustria, Holanda e Brasil. Os testes que ocorreram em 2021 agradaram a Fórmula 1, ainda que o publico tenha algumas ressalvas quanto ao formato do fim de semana Sprint.

O âmbito financeiro era algo levado em consideração pelos times, portanto não é uma equação fácil para resolver. A Fórmula 1 sabe que essas corridas adicionais acabam gerando custos para as equipes, portanto de acordo com o site Motorsport, a categoria teria oferecido US$ 500 mil para os primeiros cinco eventos, além de um valor extra de US$ 150 mil por cada evento adicional. Seis corridas Sprint por ano totalizariam US$ 2,6 milhões para cada time.

Os times atualmente trabalham com um teto orçamentário, portanto mais corridas, significa subir um pouco mais esse teto, entretanto, com as Sprints os times correm mais riscos, podendo sofrer danos nos carros que vão obviamente necessitar de reparos. Entretanto, apenas neste ano alguns times conseguiram atingir o teto orçamentário estipulado pela categoria, mas os times maiores teriam grande vantagem, podendo injetar ainda mais dinheiro diretamente no campeonato.

LEIA MAIS: F1 mostra predileção por seis pistas para a realização da Sprint na temporada 2022

Na balança, os times maiores (Red Bull, Mercedes e Ferrari) gostariam que o limite de custo fosse aumentado para cobrir todos os custos gerados por uma prova adicional no fim de semana. Uma das equipes do grid teria sugerido que o aumento fosse de US$ 5 milhões, mas o CEO da McLaren, Zak Brown fez algumas críticas sobre.

“Uma equipe em particular queria um aumento no teto orçamentário de US$ 5 milhões, o que era simplesmente ridículo e não tinha fatos por trás disso”, disse Brown.

A decisão precisa ter apoio de oito equipes do grid, para que as novas regras da Sprint sejam implementadas, mas na temporada passada algumas equipes estavam vendo este formato de final de semana como um verdadeiro impasse.

Uma nova reunião deve acontecer no dia 14 de fevereiro, entre os times e a Liberty Media para que possam mais uma vez conversar sobre o assunto e talvez chegar em algo que agrade todos os times e torne mais viável ter ao menos três provas Sprint na temporada.

Acredita-se que neste ano os times vão poder andar mais próximos, portanto, as provas Sprint teriam uma dinâmica diferente do ano passado, onde seria possível ver mais ação na pista com ultrapassagens. Os times ainda não passaram pelos testes de pré-temporada para avaliar os seus carros e adicionar nesta somatória o custo com novas peças e o tempo de fabricação caso um acidente aconteça.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados