ColunistaDestaquesFórmula EPost

ePrix de Marrakesh – TL1: Antonio Félix da Costa crava o tempo mais rápido da sexta-feira; Vergne foi substituído

Com a programação alterada, o fim de semana do ePrix de Marraquesh teve início com o treino livre na sexta-feira por um motivo curioso: caso ele tivesse ocorrido no horário normal (sábado de manhã), ficaria escuro demais para os carros andarem no circuito. Outra mudança para a primeira sessão de treinos foi a ausência de Jean-Eric Vergne, o piloto da Techeetah sentiu fortes dores de cabeça e decidiu com a equipe que seria melhor se poupar para o sábado. O francês foi substituído por James Rossiter, piloto reserva que participará do teste de novatos pela mesma equipe. 

O mais rápido na pista foi Antonio Félix da Costa, o português dominou boa parte do treino e fechou o dia com o tempo de 1:17.863. Mitch Evans (Jaguar) foi o segundo e Max Guenther (Audi), o terceiro. Lucas di Grassi (Audi) se recuperou no final para ficar com a 5ª posição e Felipe Massa (Venturi) foi apenas o 21º.

lll Saiba como foi o treino: 

Na tarde ensolarada da cidade marroquina, os carros foram para a pista logo após a bandeirada com a dupla da Techeetah puxando o pelotão. Antes mesmo de marcar tempo, James Rossiter saiu da pista na curva 7 e quase acertou a barreira de proteção, o mesmo lugar em que os pilotos da BMW colidiram ano passado.

A simulação de bandeira amarela total aconteceu nos primeiros cinco minutos como de costume, durando cerca de 30 segundos. Sam Bird voltou para os boxes para trocar pneus e praticar um pit stop. No início da sessão, o tempo mais rápido era o de Pascal Wehrlein (Mahindra – 1:22.586), seguido por Felipe Massa e Brendon Hartley (Dragon).

Pouco tempo depois foi Sébastien Buemi (Nissan) quem assumiu a liderança com o tempo de 1:21.843. A sessão corria tranquila até Alexander Sims (BMW) escapar na curva 7 e causar uma brevíssima bandeira amarela local – o britânico parece realmente gostar desse lugar – mas ele rapidamente conseguiu levar o carro de volta à pista.

Passados 15 minutos dos 45 totais da primeira sessão, os dez primeiros eram Bird (Virgin – 1:21.192), Guenther (BMW), Evans (Jaguar), Sims (BMW), di Grassi (Audi), Buemi (Nissan), Rowland (Nissan), Frijns (Virgin), Wehrlein (Mahindra) e D’Ambrosio (Mahindra).

Sem maiores incidentes, apenas com algumas travadas de roda e escapadas que podemos considerar normais, Antonio Felix da Costa marcou 1:20.807 e conquistou a primeira posição da tabela. Tempo que se manteve por boa parte da sessão. A maior surpresa nesse intervalo foi a presença dos dois carros da Dragon entre os 5 primeiros e os dois da Mercedes entre os últimos. Quando os tempos começaram a baixar, a dupla da Dragon perdeu posições e da Mercedes demorou um pouco mais a se encontrar. Nyck de Vries até conseguiu um temporário 2º tempo (1:20.181), mas Vandoorne só conseguiu subir para o 14º lugar.

Jerome D’Ambrosio foi o primeiro a baixar de 1:19 (1:19.874) e a partir daí a briga pela ponta da tabela se intensificou. Enquanto isso, o substituto de Jean-Eric Vergne, James Rossiter, ocupava apenas a 17ª posição e Ma Qinghua travava uma batalha com seu Nio para marcar 1:22.171 e ficar a 3.2 segundos de diferença para o primeiro colocado, que àquela altura voltava a ser Antonio Felix da Costa com o tempo de 1:18.905. Oliver Turvey, companheiro de Ma na Nio, ocupava a 16ª posição.

O fim do treino trouxe um novo revezamento de líderes, mas na bandeira quadriculada foi o português da Costa que fez a volta mais rápida do primeiro treino livre (1:17.863), seguindo por Mitch Evans e Max Guenther. 

Antonio Felix da Costa (PRT), DS Techeetah, “soca” James Rossiter (GBR), DS Techeetah, DS E-Tense FE19

O treino livre 2 começa às 5h da manhã de sábado e será transmitido pelas redes sociais oficiais da Fórmula E. 

 

Etiquetas
Mostrar mais

Cinthia Maria

Cinthia Venâncio comenta zoeiramente a Fórmula 1 desde os sete anos de idade e nas horas vagas é profissional de marketing, fotógrafa, doceira, redatora e revisora. Como todo bom cearense, nunca diz não a um baião de dois com queijo coalho e carne de sol. Aprecia rock do bom, não tem vergonha de dizer que não é fã do Tarantino e sempre é a motorista da rodada. Geralmente esquece o que não deveria

Artigos relacionados

Fechar