ColunistaFórmula 1Post

Charles Leclerc supera McLaren para liderar segundo dia de testes em Barcelona

Leclerc assumiu o comando do F1-75 nesta tarde em Barcelona, com os pneus C4 registrou o melhor tempo do dia, acompanhado por Gasly

Os testes em Barcelona seguem agitados, com os times precisando fazer as mais variadas verificações. Ao longo do dia os times fizeram simulações de corrida com stints mais longos. Os times que deixam pendências do dia anterior precisaram correr contra o tempo para colocar os seus carros em pista.

Charles Leclerc assumiu o comando do carro da Ferrari durante a sessão vespertina, o monegasco anotou o melhor tempo do dia depois de cravar 1m19s689 com os pneus C3. Entretanto, Leclerc superou a marca estabelecida por Daniel Ricciardo com os compostos C2.

Com o foco na quilometragem, somadas as voltas de Leclerc e Sainz, a Ferrari passou das 145 voltas. Pierre Gasly também andou bastante em seu primeiro dia com o AT03, o francês completou 147 giros no circuito, enquanto Daniel Ricciardo, obteve 126 voltas. A sequência do top-3 foi justamente essa, Leclerc, Gasly e Ricciardo.

Resta apenas mais um dia de testes em Barcelona e ele será realizado nesta sexta-feira (25). 

Manhã

O segundo dia de testes começou com os times trabalhando em voltas de instalação, antes de começar o cronograma de atividades traçadas para o dia. Com as condições de pista adequada, poderiam desfrutar de mais um dia de pista seca para as suas avaliações.

A Red Bull surpreendeu na quarta-feira por ter obtido 147 voltas, uma excelente marca e não apresentaram problemas. Max Verstappen testou durante o primeiro dia, enquanto Sergio Pérez assumiu o RB18 no segundo dia de atividades. Infelizmente pela manhã o mexicano não foi tão longe (completou 38 voltas) e ainda provocou uma bandeira vermelha na última hora da manhã.

Sergio Pérez provocou uma bandeira vermelha de manhã, após enfrentar um problema no câmbio – Foto: reprodução

Pérez ficou parado na curva 13, o carro precisou ser removido, portanto a sessão foi paralisada. Como o carro não tinha danos aparentes, indicava um problema técnico. Rapidamente o RB18 foi coberto com a lona, até ser deslocado para os boxes e devolvido para o time.

A Mercedes também não andou muito pela manhã, Lewis Hamilton que estava guiando o W13 pela manhã completou apenas 40 voltas. Por outro lado, vemos a necessidade de a Ferrari atestar a sua confiabilidade, portanto o time italiano foi o que mais andou, Carlos Sainz completou 71 voltas e se manteve em grande parte da sessão liderando a tabela de tempos. O espanhol anotou 1m20s546, com os pneus C3.

Daniel Ricciardo que assumiu o MCL36 pela primeira vez nesta quinta-feira, também tratou de completar várias voltas com o carro, obtendo 65 giros pela manhã. Próximo do encerramento da atividade, pouco depois dela ser reestabelecida o australiano cravou 1m20s355 com os pneus C3, para superar Sainz e assumir a liderança da sessão matinal.

Pela manhã foi possível ver AlphaTauri, McLaren, Ferrari e Alpine liberarem os seus carros para a pista com as grades de aferição aerodinâmica, portanto pela manhã eles focaram nesta avaliação. Reforço mais uma vez que eles estão verificando se a aerodinâmica dos carros está funcionando como era o esperado, quando é comparado ao projeto foi criado no túnel de vento.

Depois de um início complicado, finalmente a Haas conseguiu superar os problemas, portanto Mick Schumacher pode engatar uma sequência de voltas com o VF-22, superando facilmente as 23 voltas do dia anterior. Só que nos boxes da Alfa Romeo eles demonstravam que as coisas não estavam seguindo como o esperado, Bottas andou pouco pela manhã pois o carro apresentou novos problemas.

O time suíço começou o dia com o cronograma atrasado em decorrência dos problemas encontrados na quarta, desta forma precisaram fazer uma verificação completa no equipamento antes de liberar Bottas para a pista. Para Bottas e Guanyu Zhou isso também faz muita diferença, eles precisam adquirir experiência com o carro, além de fazer a coleta de dados para os times.

Tempos e voltas da manhã

1) Daniel Ricciardo (McLaren) – 1m20s355 C3 – 65 voltas
2) Carlos Sainz (Ferrar) – 1m20s546 C3 – 71 voltas
3) Pierre Gasly (AlphaTauri) 1m20s764 C3 – 61 voltas
4) Alexander Albon (Williams) 1m21s531 C3 – 47 voltas
5) Lance Stroll (Aston Martin) 1m21s920 – C2 55 voltas
6) Mick Schumacher (Haas) 1m21s949 C3 – 66 voltas
7) Valtteri Bottas (Alfa Romeo) 1m22s288 C3 21 voltas
8) Sergio Pérez (Red Bull) 1m22s412 C2 – 40 voltas
10) Esteban Ocon (Alpine) 1m23s280 C2 – 66 voltas

Tarde

Como algumas equipes estão realizando o revezamento dos seus pilotos, algumas trocas ocorreram para a realização da atividade vespertina. Mazepin (Haas), Vettel (Aston Martin), Zhou (Alfa Romeo), Russell (Mercedes), Leclerc (Ferrari), Latifi (Williams), assumiram os carros de suas respectivas equipes.

Após uma hora de pausa os boxes foram abertos mais uma vez. Os pilotos estavam preocupados em conhecer os seus carros, entender o funcionamento deles na reta, principalmente depois que os times falarem sobre o efeito “porpoising”, que resumidamente é carro pender como uma gangorra, pois ele se levanta e abaixa por conta da pressão, gerando grande instabilidade.

LEIA MAIS: Ferrari comenta sobre “porpoising”, problema gerado em carros com efeito solo

Nesta quinta-feira não foi muito diferente, os carros estavam deixam os boxes após realizar a mais variada troca de peças, eles seguem avaliando o fluxo de ar e o comportamento em seus carros. Lembrando que ao longo da temporada temos os mais variados tipos de circuito, desta forma é importante testar várias peças e configurações.

A Alfa Romeo conseguiu retornar para a pista, Zhou completou em duas horas 36 voltas pelo circuito, ainda não era um resultado animador, mas já era um começo. Por outro lado, na mesma comparação de tempo, Mazepin completou apenas 9 voltas. Enquanto a Williams estava em busca da sua quilometragem Albon completou 47 voltas pela manhã em período de quatro horas, enquanto Latifi tinha 39 voltas duas horas.

A segunda bandeira vermelha do dia foi provocada justamente pela Haas, desta vez a bomba de combustível foi danificada, significando mais algumas horas de atividade perdida. A pista foi liberada mais uma vez o mais rápido possível, reestabelecendo a abertura dos boxes.

E mesmo com alguns times apresentando alguns problemas, os carros estavam demonstrando muita confiabilidade. Ocon em seu primeiro dia com a Alpine, fez igual Fernando Alonso, extravasou as 100 voltas a tarde, o mesmo aconteceu com Pierre Gasly.

Com a previsão de chuva para último dia de testes em Barcelona, os times não querem perder nenhum momento onde eles podem andar em pista seca. As avaliações dos carros na chuva também é necessária, mas o calendário da Fórmula 1 é montado de uma forma, onde poucas corridas com chuva são realizadas ao longo do ano. 

Charles Leclerc conduziu o F1-75 para a liderança da sessão, o monegasco anotou 1m19s804, tempo registrado com os pneus C2, um dos compostos mais duros da gama. O dia estava próximo de terminar, com os pilotos perto de adentrar a última hora de testes. Pouco depois o Leclerc instalou o C3 e deu mais um giro rápido, superando a sua própria marca depois de anotar 1m19s689s.

A Alfa Romeo conseguiu devolver o carro para a pista e Zhou completou mais algumas voltas, assim como Mazepin que teve a oportunidade de fechar o dia com 42 voltas. 

Pierre Gasly calçou pneus mais macios, o C4 para anotar 1m20s030 superando o tempo estabelecido por Ricciardo de manhã. O francês também andou um pouco mais com os seus compostos e também terminou a sessão na casa de 1m19s918s. 

Sergio Pérez foi devolvido para a pista, conseguindo completar mais algumas voltas com a Red Bull depois dos problemas enfrentados pela manhã e que impediram o time de realizar mais testes. 

*post será atualizado

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados