ColunistaDestaquesPost

Casagrande vence primeira corrida, enquanto o visitante Félix da Costa trava duelo pela vitória da segunda prova em Interlagos

Neste domingo Interlagos recebeu duas grandes corridas, a Eurofarma dominou a segunda corrida desta etapa

Neste domingo (16) a Stock Car realizou a segunda etapa em Interlagos, duas provas de 30 minutos, com o novo formato adotado pela categoria.

Gabriel Casagrande venceu a primeira corrida, travando grande disputa com Allam Khodair desde a primeira volta. Nos últimos giros os pilotos foram gastando seus botões de ultrapassagem para negociar a vitória; Casagrande tinha recebido uma punição de  5 segundos por conta do toque com Diego Nunes na reta oposta durante a primeira volta da Corrida 1. Bruno Baptista completou o pódio da primeira corrida também em grande performance, já que largou da décima posição. Casagrande ainda recebeu o prêmio de volta mais rápida.

E a segunda prova…

De Mônaco para Interlagos, Antonio Félix da Costa venceu a segunda corrida, o piloto português terminou a primeira prova na nona posição e ganhou a oportunidade de largar do segundo lugar. Da Costa travou uma disputa intensa com Osman no início da corrida, até assumir a liderança da corrida com a parada dos boxes e cruzar a linha de chegada na primeira posição.

Daniel Serra precisou enfrentar Guilherme Salas, para conquistar a segunda posição e formar uma dobradinha da Eurofarma na segunda corrida. Salas com a KTF ficou com a terceira posição.

A combinação Félix da Costa e Eurofarma deu muito certo, mesmo correndo pela primeira vez em Interlagos, o português levou a melhor no circuito. Serra realizou uma prova de recuperação e ainda foi pódio.

A corrida 2 terminou com o Safety Car na pista, por conta do acidente de Di Mauro na última curva do circuito, o piloto com o botão de ultrapassagem tentou ultrapassar Serra e Salas, mas com o toque o seu carro perdeu estabilidade e o piloto da KTF bateu no muro de contenção. 

Saiba como foi o a segunda etapa da Stock Car disputada em Interlagos

Daniel Serra foi punido, o piloto da Eurofarma perdeu o quarto lugar, após ser desclassificado. Durante a classificação o peso que é utilizado para equalizar os carros da Toyota e Chevrolet – pois os motores têm diferença de peso entre os dois modelos – acabou se soltando na pista. A equipe acabou punida por conta disso e Serra começou a prova pela última posição.

Por meio de votação, receberam o Fan Push: Thiago Camilo, Ricardo Zonta, Cacá Bueno, Lucas Foresti, Cesar Ramos e Galid Osman.

Corrida 1 em Interlagos

Gabriel Casagrande largou da primeira posição, mas dividiu a reta com Allam Khodair, enquanto Diego Nunes também se posicionou de lado para tentar ganhar a posição do piloto da Vogel. Casagrande e Nunes se tocaram, e o piloto da Blau começou a perder várias posições na pista, o incidente começou a ser investigado.

Ainda na primeira volta, vários acidentes aconteceram por conta da proximidade do grid, como o toque entre Rubens Barrichello, Cacá Bueno e Marcos Gomes. Além disso, no ‘’S’’ do Senna, o estreante Gustavo Frigotto foi tocado por Tuca Antoniazi, piloto da Hot Car. Felipe Lapenna e Beto Monteiro também se encontraram.

Na quarta volta Bruno Batista que estava com o botão de ultrapassagem, conseguiu a terceira posição, após ganhar a posição de Thiago Camilo.

Vários incidentes entravam em investigação, em decorrência da primeira volta em Interlagos.

Na quinta volta, os dez primeiros eram: Casagrande, Khodair, Camilo, Zonta, Baptista, Nunes, Ramos, Abreu, Navarro e Da Costa. Zonta estava enfrentando Camilo pela terceira posição, após Bruno Baptista cair para a quinta posição.

Nunes que estava na sexta posição era pressionado por Ramos, uma briga bem boa estava ocorrendo na pista, com os pilotos negociando o botão de ultrapassagem.

Khodair estava a menos de um segundo separado por Casagrande.

A janela de pit-stop foi aberta na sétima volta, com os pilotos tendo três voltas para realizar as suas trocas. No fim das contas Camilo foi tocado por Zonta, quando exagerou na disputa e tocou na traseira do carro da Ipiranga, fazendo o piloto rodar.

Cacá Bueno não realizou a sua parada, na verdade o piloto acabou abandonando a prova.

Os boxes ficaram movimentados com a pequena janela de boxes para realizar a parada. Gabriel Casagrande trocou o pneu traseiro direito.

Após todas as paradas, os dez primeiros eram: Casagrande, Khodair, Baptista, Ramos, Navarro, Nunes, Da Costa, Suzuki, Abreu e Cardoso. Zonta retornou para a pista fora dos dez primeiros. Daniel Serra era apenas o vigésimo sétimo colocado.

As disputas ficaram mais espaçadas, Casagrande tinha uma boa liderança, mantendo a distância para Khodair em mais de 5 segundos, mesmo com a punição o piloto da Vogel poderia manter a liderança.

Se aproximando do final da prova, Da Costa estava na décima posição, mas Suzuki começou a enfrentar problemas no carro e despencar no grid. Os dez primeiros eram: Casagrande, Khodair, Baptista, Ramos, Abreu, Nunes, Navarro, Da Costa, Cardoso e Camilo.

Os boxes voltavam a ficar movimentados, com os pilotos que estavam focados na segunda prova.

Casagrande acionou o botão de ultrapassagem na penúltima volta e voltou a ampliar a vantagem para Khodair, que tinha caído para 5s6.

A última volta em Interlagos foi feita com o piloto da Vogel e Khodair acionando o botão de ultrapassagem, mas Casagrande conseguiu manter a vitória mesmo com a punição sendo aplicada. Com Baptista na terceira posição.

Foto: reprodução
Foto: reprodução

Corrida Dois em Interlagos

Os dez primeiros para a segunda corrida eram: Osman, Da Costa, Cardoso, Navarro, Nunes Abreu, Ramos, Baptista, Khodair e Casagrande.

Osman e Da Costa se enfrentaram pela primeira posição.

Ao final da primeira volta toques ocorreram nas últimas posições, Christian Hahn foi tocado e acabou rodando. O carro de Felipe Lapenna acabou levantando o capô. Hahn e Lapenna abandonaram a prova.

Com o encerramento da terceira volta e o início da quarta volta, Félix da Costa estava enfrentando Cardoso. Navarro se aproveitou para assumir a segunda posição, já que ocorria uma disputa entre o piloto da Eurofarma e o piloto da KTF. O português fez a reta principal e a primeira curva de Interlagos emparelhado com Cardoso.

Na quinta posição os dez primeiros eram: Osman, Navarro, Da Costa, Cardoso, Nunes, Abreu, Baptista, Ramos, Camilo e Rossi. Gustavo Frigotto que estava disputando a décima nona posição, acabou caindo para o vigésimo terceiro lugar.

Cardoso começou a perder várias posições na sexta volta, o piloto estava sem freios.

Os boxes foram abertos na sétima volta e várias paradas eram realizadas, com muitos optando pelo reabastecimento.

Quando Gustavo Frigotto estava deixando os boxes, o pneu traseiro esquerdo acabou se soltando na saída dos boxes.

Osman parou na última volta da janela. Enquanto isso Félix da Costa estava assumindo a primeira posição da prova.

Após todas as paradas os dez primeiros eram: Salas, Da Costa, Rossi, Serra, Di Mauro, Zonta, Bueno, Massa, Ramos e Osman. Salas realizou a ultrapassagem no português para assumir a ponta.

Separados por menos de um segundo, Da Costa e Salas seguiam se enfrentando pela primeira posição e o piloto da Eurofarma retomou a primeira posição. Osman foi ultrapassado por Navarro, perdendo o décimo lugar para o piloto da Cavaleiro.

Serra que realizou uma prova de recuperação era o terceiro colocado após ultrapassar o argentino da Full Time Sports na décima quarta volta.

Na décima quinta volta, Rossi estava com o pneu traseiro esquerdo furado e acabou recolhendo para os boxes.

Massa estava na sétima posição. Enquanto Di Mauro acabou ultrapassando Serra para assumir a terceira posição, mas pouco depois, com o botão de ultrapassagem, o piloto da Eurofarma retomou o terceiro lugar.

Como Da Costa completou a volta restando 16 segundos, os pilotos tiveram que completar mais duas voltas. Serra tinha colado em Salas, mas os pilotos já estavam sem botões de ultrapassagem.

Na última volta, Gaetano di Mauro com o botão de ultrapassagem tentou colocar o carro entre Salas e Serra na última curva do circuito, o seu carro acabou empinando e o piloto bateu forte no muro de contenção na reta principal.

A prova terminou em regime de bandeira amarela, com o Safety Car na pista. Antonio Félix da Costa venceu a corrida, acompanhado por Daniel Serra com o segundo carro da Eurofarma e Guilherme Salas.

Foto: reprodução
Foto: reprodução
Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados