ColunistaCrônicasFórmula 1Repost

Cartas na mesa, do velho ao atual chato

| Débora Santos Almeida – publicado em 22/06/2016

Durante o GP da Europa em Baku, me deparei com uma coisa que geralmente nós que fazemos parte de algum “fandom” uma hora ou outra vamos ver, é a famosa pessoa que é mais velha ou que já viu mais coisas que você, começa a falar: Já tivemos temporadas melhores, vocês não sabem o que é bom e deveriam ver os episódios anteriores ou também o clássico ”Isso aqui esta chato”.
Eu que acompanho várias séries sei muito bem disso, com Doctor Who foi assim, uma série que estreou em 1965 e depois de um longo período de exibição entrou em hiato e em 2005 a era New Who nasceu. Pessoas que já acompanhavam a série, diziam para os novos fãs que começaram a surgir que esses deveriam procurar a então nomeada série clássica, para conhecer as origens e ter ideia do que realmente era bom. Isso acontece com os três mais recentes filmes da saga Star Wars, onde alguns fãs dizem que os episódios I, II e III não existem ou não fazem parte da saga, ainda há quem diga que até o episódio VI recém-lançado também não faz parte da saga de George Lucas. O mesmo vale para a série clássica de Star Trek e pessoas que julgam e falam mal dos filmes dirigidos pelo J.J Abrams.
Contudo, essas coisas nós podemos escutar em vários lugares, independente se é série ou mesmo a corrida de todo final de semana. O que me levou a escrever esse texto foi à pergunta que me fizeram: Desde quando você assisti Fórmula 1?
Eu voltei a acompanhar em 2009, mas isso não me faz menos fã que uma pessoa que acompanha desde 1980, eu nem nascida era e por vários outros motivos eu não acompanhei. Mas a internet está ai para isso, hoje com o acesso que tenho eu posso baixar corridas antigas, posso ler textos e livros que falam sobre o assunto e que podem me informar sobre as décadas passadas.
Levando isso em consideração eu tenho como dizer que a Fórmula 1 hoje não está chata, mesmo que eu não tivesse visto corrida alguma de antigamente. Temos que parar de criticar o que estamos vivendo e parar de achar que a geração que passou era melhor, temos bons pilotos hoje em dia sim, eles não são somente o carro, vimos isso no GP da Europa em Baku com Lewis Hamilton, do que adianta o cara ser muito arrojado na pista, saber brigar por posições e quando ele precisa regular um carro ”manualmente” ele não é capaz, se o carro fosse tão bom ele correria sozinho, só que a maquina ainda precisa do homem para guiar ela até a linha de chegada. Bons pilotos tem que conhecer o seu instrumento de trabalho para serem capazes de faz os ajustes finais e essa situação acabou mostrando a diferença, Nico Rosberg que conseguiu entender o que estava acontecendo com o seu carro fez o ajuste em uma volta, já Lewis Hamilton que precisava de ”ajuda” do seu engenheiro para entender o problema acabou levando 12.
Será mesmo que antigamente as pessoas também não comentavam que a Fórmula 1 estava chata, assim, por falta de internet não tínhamos como ver esse mesmo publico agindo? Pode ser que você que está lendo esse texto agora ache que a Fórmula 1 está chata porque somente a Mercedes ganha, assim como na época que a Red Bull estava em alta, diversas pessoas reclamavam que não existia uma equipe a altura que pudesse desafiar a equipe austríaca e já que somente eles ganhavam não era necessário acompanhar, só que às vezes a nós esquecemos que a corrida não acontece somente na ponta, temos brigas no ”miolo” com a as equipes intermediárias e nanicas e cada ponto somado por elas pode fazer uma diferença enorme no campeonato. Hoje mesmo no campeonato, a Mercedes imbatível já cometeu vários erros, a Ferrari que é era a grande aposta para acabar com o reinado das flechas de prata está sendo ameaçada pelo touro bufante da Red Bull e eles podem ver esse avanço crescer ainda mais, pois a Red Bull que usa motor Renault e esta ainda tem vinte e um tokens disponíveis para fazer o aprimoramento de sua unidade motriz contra quatro da Ferrari, se souberem fazer bom uso, o carro terá um bom rendimento.
Em alguns momentos vamos ter corridas mais paradas, mas o que defini uma boa corrida para você? É aquela que tem alguma batida? Ou quando o Safety Car entra na pista e acaba bagunçando as estratégias escolhidas? Ou até mesmo aquela que a principal equipe acaba cometendo erros e da chance para uma ”nanica” ganhar? Com chuva ou sem? Independente de qual for a sua resposta, alguém vai sempre discordar de você. Algumas vezes temos circuitos mais favoritos do que outros, mas sempre vai ter alguém que odeia ele e vai achar um defeito para criticar. Enquanto as pessoas tiverem bocas inquietas e dedinhos nervosos algo vai estar fora do lugar e geralmente nós seres humanos temos tendência a sempre ver o pior lado da coisa e esquecemo-nos de curtir o momento. Poderíamos acordar felizes todo domingo que tem alguma corrida e aproveitar, seja no nosso sofá de casa ou dentro do autódromo se tivermos oportunidade, o mundo da Fórmula 1 é tão rico para quem quer buscar conhecimento que facilmente podemos perder horas a fio buscando informações e se aprofundando nas regras e atualizações.
Esse texto é um desabafo, porém tente ver o lado bacana da Fórmula 1, é sempre bom ter um herói e ele não precisa ser do nosso país, é bom torcer e ser fã de alguma coisa, poder comemorar, festejar, a Fórmula 1 pode te fazer ter amigos, conhecer novas pessoas. A Fórmula 1 também trás lições, o quanto você está deixando de se interessar em alguma coisa do seu trabalho, da sua casa ou da sua escola que no futuro talvez não muito distante possa fazer uma diferença? Conhecimento é bom e nunca é demais.
Da próxima vez que você for falar que a Fórmula 1 está chata, pense que lá na frente, tipo 2030, podemos ter alguém dizendo que a Fórmula 1 atual a época é chata e o que vivemos agora mesmo em 2016 era legal. Só depende do que a gente usa como referencia.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados