ColunistaFórmula 2Post

Após lidar com diversas interrupções, Drugovich crava a pole para o GP da Arábia Saudita da F2

Drugovich encontrou pista livre ao final da atividade, para registrar o melhor tempo da pista e estabelecer a pole para a prova principal do domingo

A Fórmula 2 realizou nesta sexta-feira (25) a sua classificação, após diversas interrupções, Felipe Drugovich surpreendeu ao final da atividade cravando a pole. O piloto brasileiro anotou 1m40s422, superando a marca que fora estabelecida por Marcus Armstrong, para retornar ao top-10 e ocupar a primeira posição na tabela de tempos.

Drugovich aproveitou os últimos cinco minutos de atividade para aquecer os pneus e buscar o melhor tempo, tentando encontrar pista livre para registrar a sua volta. O brasileiro já tinha sido prejudicado no início da sessão, quando a primeira bandeira vermelha ocorreu. Armstrong quase não acreditou quando viu o tempo do brasileiro abaixando. O segundo lugar ficou Richard Verschoor da Trident. O terceiro lugar foi conquistado por Jack Doohan da Virtuosi. Marcus Armstrong foi empurrado para o quarto lugar. Ralph Buschung esteve perto de obter a pole, mas foi atrapalhado, desta forma conquistou apenas o quinto lugar.

Como a Sprint será disputada no sábado, Drugovich comerá a prova da décima posição, pois os dez primeiros colocados precisam inverter as suas posições.

Saiba como foi a classificação da Fórmula 2

Antes o início da classificação da Fórmula 2, um ataque a petrolífera Aramco ocorreu. A cidade de Jeddah está sofrendo alguns ataques nos últimos dias de um grupo rebelde do Iêmen.

Os pilotos foram enviados para a pista assim que o pit-lane foi liberado, mas a MP Motorsport deixou Felipe Drugovich um pouco mais de tempo nos boxes, aguardando uma pista melhor para liberar o piloto para a volta rápida e aumentar as chances dele disputar a pole. Os primeiros tempos eram altos, pois os competidores estavam preparando os pneus para buscar a volta rápida.

Boschung passou a liderar a atividade, anotando 1m42s096, seguido por Hughes que anotou 1m42s575. Vips aparecia na terceira posição, com Novalak no quarto lugar. Quando Drugovich abriu a sua volta, a pista estava livre – o brasileiro saltou para a segunda posição anotando 1m42s386. Iwasa chamava a atenção por ter anotado 1m42s510.

Como alguns pilotos pegaram a pista livre, Hughes ainda teve a oportunidade de anotar 1m41s538, com Boschung na segunda posição que melhorou a sua marca para 1m41s619. Drugovich precisou abortar a sua segunda volta rápida, pois o regime de bandeira vermelha foi instaurado. O carro de Théo Pourchaire foi acometido por novos problemas, a parte traseira começou a pegar fogo, desta forma ele precisou encostar o carro em uma área de escape. No TL1 da Fórmula 2, Pourchaire tinha perdido a traseira do carro e bateu forte, o que levou a ART a precisar reconstruir a parte traseira do carro.

Quando a interrupção da atividade aconteceu, os dez primeiros eram: Hughes, Boschung, Vips, Armstrong, Drugovich, Iwasa, Sato, Novalak, Doohan e Vesti.

Novamente a pista foi liberada, mas as condições de pista eram novamente avaliadas, com alguns times aguardando ou pouco mais para liberar os seus pilotos.

A segunda bandeira vermelha foi acionada quando restavam pouco mais de 12 minutos para o encerramento da atividade. Logan Sargeant da Carlin perdeu a traseira do carro, raspando no muro de contenção. Para ocorrer a remoção do carro, o cronômetro foi travado, enquanto Sargeant era direcionado ao centro médico para fazer algumas verificações. Bölükbasi foi outro piloto que bateu forte pela manhã e precisou passar por verificações médicas, desta forma não foi liberado para participar da classificação.

Nos últimos minutos os pilotos foram melhorando os seus tempos. Armstrong saltou para a ponta, enquanto Boschung era o segundo colocado. O piloto da Campos foi fechado enquanto fazia a sua volta rápida, prejudicando o seu tempo.

A terceira bandeira vermelha ocorreu quando o cronômetro ingressou para os últimos cinco minutos, para que a pista passasse por uma verificação. Com a nova interrupção, os últimos minutos foram os mais agitados possíveis. Drugovich tentava ficar entre os dez primeiros colocados.

Armostrong era o pole provisório, enquanto aguardava o fechamento da volta de Drugovich, que liderou o TL1 realizado nesta manhã. O piloto brasileiro anotou 1m40s422, superando a marca de Armstrong por 0s628. O piloto da Trident, Richard Verschoor, cravou o segundo melhor tempo, enquanto Doohan assumiu a terceira posição. Desta forma Armstrong precisou se contentar com a quarta posição, enquanto Boschung foi o quinto colocado.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados