ColunistaDestaquesFórmula 1Post

Robert Shwartzman salta para a ponta e domina Sprint Race 1 em Silverstone

O piloto da Prema teve uma ótima resposta na largada, para dominar a liderança e vencer a primeira corrida do sábado

O sábado (17) começou agitado com a primeira prova da Fórmula 2 sendo disputada. Com o grid invertido para a Sprint Race 1, Christian Lundgaard largou da ponta, mas por conta de um início ruim dos três primeiros colocados, Robert Shwartzman teve a oportunidade de saltar para a primeira posição e dominar a prova.

Um grande momento para o russo, já que ele não teve uma boa classificação, provocando até mesmo uma bandeira vermelha no final da sessão de sexta-feira. No entanto, ele começa o sábado como líder do campeonato, somando 83 pontos, conseguindo ultrapassar Oscar Piastri e até mesmo Guanyu Zhou que era o atual líder até o fim de semana em Silverstone ter início.

Juri Vips começou a prova da segunda posição, ultrapassou Lundgaard e manteve a segunda posição. Desta forma o piloto da Art Grand Prix ficou com o terceiro lugar. Felipe Drugovich representou a Uni-Virtuosi nos pontos depois do abandono de Zhou, o brasileiro terminou na quarta posição.

Destaque para a prova de Piastri, pois o piloto que começou da décima posição, terminou em sexto. A prova foi marcada por diversos incidentes e erros que provocaram a ativação do Safety Car.

A Fórmula 2 realizará uma segunda prova neste sábado, às 10h45 pelo horário de Brasília.

Saiba como foi a Primeira corrida da Fórmula 2

Por conta da inversão dos dez primeiros, Christian Lundgaard largou da primeira posição, acompanhado por Juri Vips e Roy Nissany. Os primeiros colocados não tiveram uma boa largada, desta forma Robert Shwartzman assumiu a dianteira depois de começar da quarta posição, nos primeiros metros de prova.

Guanyu Zhou teve uma largada ruim, acabou rodando no meio do pelotão, abandonando a prova na sequência, algo crítico para o seu campeonato, pois desta forma o chinês perde a liderança. Roy Nissany acabou tocando na traseira de Lundgaard e rodou, sendo outro piloto a abandonar a prova, provocando a ativação do Safety Car. Ralph Boschung também rodou, mas conseguiu retornar para a pista.

A relargada ocorreu na quarta volta, com Shwartzman na liderança, conseguindo manter a ponta, enquanto era atacado por Vips. Destaque para a largada e relargada de Oscar Piastri, o piloto da Prema terminou a primeira volta na sétima posição, enquanto na relargada protagonizou uma grande disputa com Liam Lawson, os dois andaram lado a lado, tocando roda e disputando todos os espaços da pista pela sexta posição.

O Safety Car interrompeu a disputa entre Piastri e Lawson, pois foi ativado pela segunda vez na corrida Alessio Deledda que rodou e ficou parado no final da pista. Marino Sato foi para os boxes, enfrentando novos problemas em seu carro.

Com o Safety Car em pista, os dez primeiros eram: Shwartzman, Vips, Lundgaard, Drugovich, Pourchaire, Lawson, Piastri, Ticktum, Armstrong e Zendeli.

O carro de segurança abandonou a prova durante o final da quinta volta. O russo permaneceu na ponta, mas a disputa mesmo ocorria pela sexta posição, onde Piastri conseguiu realizar a ultrapassagem em Lawson. Ticktum também havia se aproximado de Lawson, desta forma buscava a sétima posição.

Théo Pourchaire estava se aproximando de Felipe Drugovich na sétima volta, enquanto o brasileiro tentava garantir a quarta posição e um bom resultado para a Uni-Virtuosi depois do abandono de Zhou.

Durante a oitava volta, Samaia concluiu a ultrapassagem em Viscaal, brigando pela décima quarta posição, mas sem valer pontos. Sato retornou para a pista na nona volta, ocupando a décima nona posição, mas estava há quatro voltas do líder.

Ticktum permaneceu buscando a sétima posição, mas o bico do seu carro apresentava um dano. Vários pilotos tinham o direito de ativar o DRS, mesmo assim as ultrapassagens não ocorriam.

Durante a décima segunda volta, o Safety Car foi ativo, pois Samaia ficou parado na brita, desta forma alguns pilotos optaram por realizar uma parada como Verschoor, Viscaal, Aitken e Nannini. Todos que partiram para este tipo de estratégia retornaram nas últimas posições.

Antes do Safety Car deixar a pista na décima quarta volta, os dez primeiros eram: Shwartzman, Vips, Lundgaard, Drugovich, Pourchaire, Piastri, Lawson, Ticktum, Armstrong e Zendeli.

Por conta da reaproximação do pelotão, Ticktum teve a oportunidade de atacar mais uma vez Lawson. E os pilotos que não estavam disputando pontos, também disputavam posições, a exemplo de Beckmann, Verschoor e Boschung, que estavam duelando pela décima terceira posição.

A prova se aproximava do final, terminando desta forma Shwartzman assumiria a liderança do campeonato com 83 pontos, seguido por Piastri, enquanto Zhou despencava para a terceira posição depois de liderar o campeonato até a chegada em Silverstone.

Durante a décima oitava volta Shwartzman já tinha mais de 1s6 de vantagem para Vips. Verschoor que estava com pneus melhores por conta da parada foi escalando o grid, pressionou Zendeli e assumiu a décima posição, adquirindo a chance de largar da primeira posição na próxima corrida.

O piloto da Prema cruzou a linha de chagada na primeira posição, enquanto Vips e Lundgaard completaram o pódio.

Verschoor começa a próxima corrida da ponta, por conta do grid invertido da segunda Sprint Race.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados