ColunistasDestaquesFórmula 1Post

Pirelli aposta em uma diferente seleção de pneus para o GP da Austrália de 2024

Para alterar as estratégias do GP da Austrália e tornar a prova mais movimentada, Pirelli aposta em uma nova seleção de pneus para a prova deste ano

A Fórmula 1 chega à Austrália para a realização da terceira etapa do campeonato.

Nesta etapa a Pirelli optou por fornecer a fama mais macia de pneus, o que significa que o composto C5 será utilizado pela primeira vez na temporada 2024.

A seleção fica desta forma: C3 (duro – faixa branca), C4 (médio – faixa vermelha) e C5 (macio – faixa vermelha). Em 2023 a Pirelli optou por trabalhar com a gama intermediária de compostos. Com essa escolha é esperado que as equipes apostem em diferentes estratégias, provocando uma movimentação mais acentuada nos boxes.

Pneus escolhidos para o GP da Austrália – Foto: reprodução Pirelli

O pneu C5 já apareceu em outra escolha para o GP da Austrália, durante a temporada de 2022, quando o pneu C5 foi avaliado ao lado dos pneus C2 e C3. Na ocasião a Pirelli optou por deixar os pneus C4 de fora, ampliando o gap entre os pneus ofertados para a prova.

A escolha deste ano foi tomada após uma análise da corrida do ano passado, quando os times optaram por estabelecer uma estratégia, onde cerca de 47 voltas foram completadas com os pneus duros. Três pilotos conseguiram chegar aos 50 giros com o pneu mais duro daquele fim de semana.

LEIA MAIS: Verstappen vence corrida caótica na Austrália e divide pódio com Hamilton e Alonso
Estratégias usadas no GP da Austrália de 2023 – Foto: reprodução Pirelli

A prova do ano passado em Melbourne foi marcada pela ação do Safety Car em três momentos, além de três bandeiras vermelhas, com duas relargadas acontecendo no grid e uma relargada em movimento.

Max Verstappen venceu a corrida de 2023, o piloto optou por começar a corrida com os pneus médios e seguir até a oitava volta, quando o primeiro Safety Car apareceu na prova e desencadeou a troca de pneus pelo grid. Os competidores passaram a utilizar os pneus duros, gerando a possibilidade de realizar um stint mais longo e praticamente a ideia era concluir a corrida usando estes pneus.

A prova contou com um final caótico que possibilitou a instalação dos pneus macios, mas as bandeiras vermelhas roubaram a cena no final da corrida.

O C5 permanece inalterado desde 2023, mas é o pneu menos utilizado até agora na atual geração de carros. Ao longo da pré-temporada foram completados apenas 140 quilômetros com o pneu mais macio da gama, algumas equipes se quer tiveram contato com eles nos testes.

O comportamento deste pneu segue uma incógnita, mas ao serem forçados a trabalhar com eles na Austrália poderemos ter uma ideia melhor sobre este composto, com carros aperfeiçoados para 2024.

O Circuito

Circuito Albert Park – Foto: reprodução Fórmula 1

O asfalto do Albert Park não é tão abrasivo, mas está é uma pista que os competidores sentem uma evolução muito grande no traçado, desde a realização da primeira atividade. Para se ter a aderência desejada, é importante que os carros consigam rodar por mais tempo no traçado, desta forma, a evolução é sentida conforme o fim de semana avança.

A pista é formada por 14 curvas, tendo sido recentemente ajustada para torná-la mais fluída. Ainda é um traçado que não proporciona muitas chances de ultrapassagem, desta forma a ação nos boxes, bem como a aparição do Safety Car, podem impactar diretamente no resultado da prova.

Novamente a Fórmula 1 não estará sozinha, a Fórmula 2 e Fórmula 3 vão visitar a Austrália mais uma vez e com essas categorias trabalhando no traçado, também podem colaborar para o emborrachamento da pista.

Mostrar mais

Debora Almeida

Jornalista, escrevo sobre automobilismo desde 2012. Como fotógrafa gosto de fazer fotos de corridas e explorar os detalhes deste mundo, dando uma outra abordagem nas minhas fotografias. Livros são a minha grande paixão, sempre estou com uma leitura em andamento. Devoro séries seja relacionada a velocidade ou ficção cientifica.

Um Comentário

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo