ColunistaFórmula 1Post

Gene Haas afirma que Fittipaldi guiará pela Haas na pré-temporada do Bahrein

Enquanto a Haas busca um piloto substituto para guiar na temporada 2022, Fittipaldi substituirá Mazepin nos testes do Bahrein

Pietro Fittipaldi participará ao menos da segunda fase da pré-temporada, a atividade acontecerá no Bahrein entre os dias 10 e 12 de março. A Haas confirmou o rompimento do contrato com Nikita Mazepin, assim como o encerramento do acordo de patrocínio com a UralKali.

Gene Haas realizou a confirmação de Fittipaldi nos testes, depois de dar uma declaração a Associated Press durante a etapa de Las Vegas da Nascar. O dono do time deu a declaração, enquanto informou que a equipe também está buscando um novo substituto para o cargo de piloto titular.

“Estamos analisando vários candidatos, veremos quem está disponível e com o que temos que lidar, mas teremos alguém até quarta-feira”, disse Gene Haas.

Guenther Steiner garantiu que Pietro Fittipaldi seria a primeira opção com a saída de Mazepin – Foto: reprodução
LEIA MAIS: Haas confirma a saída de Mazepin da F1, junto com o patrocínio da UralKali

Pietro Fittipaldi está com a Haas ocupando o cargo de piloto reserva e de testes desde 2018. O brasileiro assumiu a Haas durante as duas últimas etapas do calendário em 2020, após Romain Grosjean sofrer um acidente no Bahrein.

“Pietro definitivamente estará nele, é para isso que ele serve, o piloto de testes”, disse Haas confirmando a participação de Fittipaldi nos testes de pré-temporada.

A equipe tinha planos de seguir com o patrocinador, este foi um dos motivos para confirmar Mick Schumacher e Nikita Mazepin para disputar o campeonato 2022. Entretanto, com o início da invasão da Rússia à Ucrânia e todos os desdobramentos da guerra, a Haas não conseguiu mais manter o acordo de patrocínio, ficando insustentável a permanência de Mazepin e da UralKali.

“Houve muitas críticas intensas sobre a invasão ucraniana e estava ficando insustentável. Não podemos lidar com tudo isso, nossos outros patrocinadores não podem lidar com tudo isso”, disse Haas à agência de notícias.

Por mais que Guenther Steiner confirme que a Haas pode ficar um tempo sem um patrocinador master, o time já está procurando outras soluções para a temporada 2022. Desta forma o assento ao lado de Schumacher é negociável.

LEIA MAIS: Fittipaldi será a primeira opção se Mazepin não conseguir correr, informa Steiner

A Haas pode contar com Fittipaldi por um tempo, pois ele conhece o projeto do VF-22 e trabalha bem próximo à equipe para auxiliar os pilotos titulares em pista, mas sem um patrocinador forte, talvez não seja possível conservar o piloto na vaga de titular por muito tempo.

“Estamos procurando. Acho que obviamente gostaríamos de ter alguém com um pouco mais de experiência. Só temos que ver o que está disponível”, seguiu Haas.

Antonio Giovinazzi já realizou testes com a Haas antes de conseguir um assento na Alfa Romeo – Foto: reprodução

Neste momento estão ventilando o nome de Antonio Giovinazzi, o piloto italiano está atualmente correndo na Fórmula E com a equipe Dragon, mas esteve na Fórmula 1 entre 2017 e 2021, guindo por Sauber e Alfa Romeo. O jornal La Gazzetta dello Sport, informa que Giovinazzi tem uma cláusula em seu contrato aonde poderia retornar para a F1 se um time precisar dele.

O italiano atualmente atua como piloto reserva da Ferrari, revezando a função com Mick Schumacher. Também é uma das apostas mais próximas da realidade, já que a Haas usa motores da Ferrari e o piloto italiano tem experiência. Os nomes de Oscar Piastri (piloto reserva da Alpine), assim como Nico Hulkenberg também são cogitados como possíveis pilotos a assumir o assento deixado por Mazepin.

O patrocínio de Dmitry Mazepin foi extremamente necessário para o time se reconstruir. Neste ano a Haas busca deixar o final do pelotão, mas terá que superar os problemas que foram encontrados durante a primeira fase da pré-temporada realizada em Barcelona.

“Haas sempre foi o principal patrocinador, não sei por que as pessoas disseram que se tornou um time russo. A Haas Automation estava sempre no carro”, disse ele.

No último dia de testes em Barcelona a Haas removeu as cores da UralKali do seu carro, assim como as faixas que remetiam a bandeira da Rússia, um dia após o país começar a invasão à Ucrânia. Desde então o patrocínio e a permanência da família de Mazepin no time começou a ser questionada, até que no último sábado a Haas deu início a grandes mudanças no time.

Ainda não sabemos se a Haas correrá com um layout todo branco em 2022, ou se adotará uma nova pintura para o início da temporada.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados