ColunistasFórmula 1

Depois de abandono dos carros da Red Bull, Hamilton vence corrida maluca em Baku

O domingo começou com cara de vitória da Ferrari, com Sebastian Vettel na liderança da prova até a volta 30 quando realizou sua parada. Se nada desse errado o piloto da Ferrari poderia vencer a prova, não com muita folga já que Bottas que assumia a liderança, estendendo o seu stint para retornar na sua parada com os pneus ultramacios, fazendo uma estratégia diferente da escolhida para Vettel.

Mas Baku, circuito conhecido desde a sua segunda prova no por ser imprevisível, ainda reservava muitas surpresas. A primeira aconteceu com a entrada do Safety Car após a batida entre Daniel Ricciardo e Max Verstappen restando 11 voltas para o final da corrida. Enquanto os fiscais trabalhavam para fazer a remoção dos carros da Red Bull e limpeza da pista, Grosjean bateu sozinho na volta 43 fazendo o aquecimento dos pneus da sua Haas, com isso o carro de segurança precisou se manter por mais tempo na pista, pois o carro do francês estava em um ponto complicado para fazer a remoção, já que o circuito não tem tantas áreas de escape.

Quando a relargada aconteceu, restando 4 voltas para o final, Bottas, Vettel, Hamilton e Raikkonen estavam com os pneus ultramacios, excluindo o ponteiro, os demais se valeram da entrada do SC para realizar mais uma parada nos boxes e retornar com os compostos mais velozes.  Os pneus não estavam completamente aquecidos, mas Vettel arriscou fazer uma ultrapassagem mesmo assim no finlandês da Mercedes e cometeu um erro por não calcular direito o ponto de freada e ”estendeu’’ a curva bem mais do que deveria, com isso acabou caindo para a quarta posição, fritando os seus compostos e derrubando seu rendimento.

Bottas, que se mantinha na liderança, acabou passando por cima de detritos na pista e ficou com o pneu traseiro esquerdo furado, por fim abandonou a prova. Acredito que se Vettel tivesse realizado a ultrapassagem no finlandês da Mercedes, ele teria sido vítima do detrito e no caso o alemão abandonaria a prova. O finlandês era só sinal de tristeza. Vinha fazendo uma boa corrida, usufruiu muito bem da entrada do carro de segurança para conseguir se manter na liderança e merecia a vitória.

E as surpresas acabaram? Não, porque estamos em Baku. Hamilton passou a assumir a liderança da prova, com Raikkonen em segundo e Pérez em terceiro, sim o mexicano realizou uma ultrapassagem no alemão por conta do rendimento dos pneus que haviam caído e fez o carro da Force India ficar largo defendendo a posição até a bandeira quadriculada. Nos boxes da equipe era possível ver uma explosão de felicidade em rosa e era para se comemorar mesmo. Uma pena não ser possível ver os dois carros da equipe na zona de pontuação, já que Ocon foi muito ousado ainda na primeira volta e após colidir com Raikkonen e abandonar a prova.

Um dos grandes destaques desse final de semana e que mereceu o titulo de piloto do dia vai para Charles Leclerc, o piloto da Sauber largou da décima terceira posição e terminou em sexto, ainda travando uma briga com Carlos Sainz nas voltas finais. O monegasco veio de um final de semana onde se destacava com relação ao companheiro de equipe, enquanto Ericsson não conseguiu se quer avançar para o Q2, Leclerc tirou mais proveito do seu equipamento. Além disso, na prova, o sueco acabou cometendo erros nas freadas o que custou a sua saída para a área de escape. Ericsson terminou em décimo primeiro lugar.

Dos sobreviventes na luta com os motores Renault, sobrou apenas Sainz com a sua quinta posição, o espanhol travou uma disputa com Verstappen no começo da prova e ele e Hulkenberg faziam bom proveito do equipamento, já que os carros da Red Bull estavam com problemas para recarregar as baterias. Por azar o alemão abandonou a prova ainda na volta 11 perdendo a traseira do seu carro sozinho e batendo no muro de contenção.

Os carros da McLaren também merecem destaque até porque os dois terminaram na zona de pontuação, Alonso em sétimo e Vandoorne em nono, mais uma dupla com motores Renault fazendo um bom progresso.

Stroll conseguiu levar a Williams aos pontos ficando com a oitava colocação, seu companheiro de equipe foi mais um a abandonar a prova ainda na primeira volta e ainda perde 3 posições no grid de largada do Grande Prêmio da Espanha por conta do toque com Fernando Alonso. Hartley chegava com a Toro Rosso a zona de pontuação depois de largar em décimo nono, já que não conseguiu uma boa marca durante o Q1 por conta de um pneu furado.

lll Daniel Ricciardo Vs. Max Verstappen

Sobre o caso entre a Red Bull de Verstappen e Ricciardo depois da parada nos boxes, acredito que o erro foi cometido ainda na troca de pneus, mesmo com a ultrapassagem de Ricciardo no companheiro de equipe, Verstappen deveria ter sido chamado primeiro para os boxes, pois o australiano teria mais tempo para abrir um espaço entre ele e o companheiro e conseguir se manter na frente quando retornasse para a pista.

Os dois foram com muita sede ao pote, Ricciardo deve ter ficado inconformado de voltar atrás e tentou a sua manobra de ultrapassagem, como Verstappen já a conhece muito bem e havia perdido a posição para algo semelhante, acredito que o piloto não deixou espaço suficiente para o australiano e por conta disso aconteceu o choque. Ricciardo não tinha como jogar o carro mais para o lado esquerdo e evitar a colisão. Levando em consideração o primeiro conflito deles na pista, onde os dois ficaram com a borracha dos pneus completamente pretas na décima volta, já dava para imaginar que faltaria espaço na pista se os dois se encontrassem mais uma vez e justamente por conta do holandês que tem a fama de não deixar muito espaço para os outros competidores.

lll Saiba como foi a corrida no Azerbaijão

Hulkenberg depois de perder 5 posições no grid, largou da décima quarta posição.

Vettel conseguia se manter na ponta, mesmo com Hamilton colocando o carro de lado para tentar ultrapassar o alemão.

Na parte de trás do grid, Ocon e Raikkonen se tocavam e o francês ficava com o carro parado na curva 3. Serguey Sirotkin também abandonava a prova por conta de uma batida com Fernando Alonso. O Safety Car era acionado. O espanhol da McLaren ficou com os dois pneus do lado direito do carro furado e com isso precisava se arrastar até os boxes, para trocar o bico do carro e instalar os pneus macios (faixa amarela).

Na segunda volta Raikkonen se encaminhava para os boxes para fazer uma troca do pico do carro e colocava os pneus macios (faixa amarela) para estender mais tempo no seu stint.

Com o Safety Car ainda na pista na volta 4 as posições eram: Vettel, Hamilton, Bottas, Ricciardo, Verstappen, Sainz, Stroll, Hulkenberg, Gasly, Leclerc.

A relargada acontecia no começo da sexta volta. Bottas pressionava o companheiro de equipe para tentar conseguir a segunda posição. Ricciardo segurava as investidas de Verstappen para se manter na quarta posição, no entanto o holandês conseguia realizar a ultrapassagem no companheiro de equipe e Sainz se aproveitava da briga dos dois para ganhar uma posição também e Ricciardo se tornava o sexto colocado.

A briga entre os motores Renault começava pouco depois de Sainz realizar a ultrapassagem no australiano e o espanhol começava a pressionar o holandês, mas Verstappen fazia o seu carro da Red Bull ficar bem largo.

Vettel já abria uma diferença de mais de dois segundos para Hamilton.

Sainz conseguia realizar a ultrapassagem em Verstappen na volta 9 e Hulkenberg se tornava o sexto colocado depois de passar Daniel Ricciardo.

Na décima volta a posição dos 10 primeiros eram: Vettel, Hamilton, Bottas, Sainz, Hulkenberg, Verstappen, Ricciardo, Stoll, Leclerc e Raikkonen.

Verstappen tinha problemas para recarregar as baterias do seu carro e Hulkenberg conseguia ultrapassar o piloto da Red Bull na volta 10.

Se formava uma fila atrás dos dois carros da Red Bull. Hulkenberg dava uma escapada sozinho na pista, perdendo a traseira da sua Renault e abandonava a prova na décima primeira volta pela área de escape na pista.

Verstappen e Ricciardo brigavam pela quinta posição e o holandês ultrapassava o companheiro de equipe após os dois se tocarem, Verstappen abusando mais uma vez depois da aproximação com o companheiro de equipe.

Ricciardo também tinha o mesmo problema de recarregar as baterias da sua Red Bull.

Raikkonen estava com dificuldade de abrir a asa móvel e por isso era difícil para realizar as suas ultrapassagens. Mesmo assim o finlandês que vinha fazendo uma corrida de recuperação já era o oitavo colocado.

Verstappen melhorava o seu ritmo e conseguia se aproximar de Carlos Sainz sendo a décima sexta volta e ele fazia de tudo para conquistar a quarta posição e pouco depois de realizar a ultrapassagem o espanhol se encaminhava para os boxes para a primeira troca de pneus, colocando os pneus macios. Hamilton era mostrado cometendo um erro na curva 16 passando bem próximo do muro de contenção.

Sebastian Vettel correndo sozinho na ponta, conseguia abrir uma diferença de mais de 4 segundos para Lewis Hamilton.

O sensor de DRS estava com problemas para identificar o ponto de aferição e fora permitido o acionamento manual do equipamento, a Ferrari auxiliaria Raikkonen para utiliza-lo da melhor forma.

Ericsson passava reto, utilizando o trecho de área de escape da pista, ocupando a última posição no grid enquanto Charles Leclerc era o sétimo colocado, na décima oitava volta.

Na volta 20 Ericsson era punido com 10 segundos, por um causar uma colisão com Magnussen.

Hamilton após dechapar o pneu na volta 22, tinha que antecipar a sua parada para a volta 23 e retornava com os pneus macios na terceira posição.

Hartley na décima sexta posição realizava a sua parada na volta seguinte e utilizava os compostos macios. Pérez era investigado por ter realizado uma ultrapassagem na volta de saída do Safety Car.

Charles Leclerc realizava a sua parada na volta 25 e retornava na décima primeira posição.

Na volta 27, Daniel Ricciardo que havia se aproximado do companheiro de equipe, tentava avançar para conquistar a quarta posição e os dois brigavam roda com roda e utilizavam todos os espaços da pista, mas o holandês conseguia sustentar o quarto lugar. Os dois eram separados por pouco mais de um segundo.

Sebastian Vettel parava na volta 30 e retornava com os pneus macios. Bottas se tornava o líder da corrida.

Valtteri Bottas sozinho na pista fazia a volta mais rápida registrando 1:45:595.

Os dois carros da Red Bull já haviam se aproximado de Lewis Hamilton na volta 34. No entanto na volta 35 Daniel Ricciardo conseguia ultrapassar o companheiro de equipe e tornava o quarto colocado.

Ricciardo entrava nos boxes na volta 38 e colocava os pneus ultramacios, retornando na quinta posição.

Na volta seguinte era a vez de Verstappen realizar a sua parada e também utilizava os pneus ultramacios, tendo tempo suficiente para retornar da frente de Daniel Ricciardo.

Restando 11 voltas para o final da corrida, Daniel Ricciardo e Max Verstappen acabavam batendo na pista e o Safety Car entrava na pista. Ricciado enchia a traseira do carro do holandês. Com isso Bottas se encaminhava para os boxes, assim como Sebastian Vettel e os dois colocavam os pneus ultramacios. Na volta seguinte Raikkonen conseguia parar e colocava os pneus mais macios na prova.

Na tentativa de encontrar um culpado na briga entre Ricciardo e Verstappen, a análise que se fazia era sobre a repetição de manobra que o australiano sempre faz para conseguir a ultrapassagem, jogar o carro para o lado de fora e depois ultrapassar por dentro. A questão era se Verstappen, que já conhece esse movimento, fez o seu carro ficar um pouco mais largo, mudando de trajetória e ocasionando a batida. Era a segunda corrida do ano que os dois não pontuavam.

Com a entrada do Safety Car Lewis Hamilton e Fernando Alonso era mais um dos pilotos parando nos boxes.

Na volta 42 as posições eram: Bottas, Vettel, Hamilton, Raikkonen, Pérez, Grosjean, Sainz, Leclerc, Stroll e Alonso.

Grosjean que estava na sexta posição acabava batendo sozinho enquanto aquecia os pneus, perdendo a traseira da sua Haas na volta 43.

O Safety Car saia da pista na volta 48, Bottas se mantinha na primeira posição, Vettel que tentava pressionar o finlandês da Mercedes errava a freada após pular para a primeira posição e quando retornava para a pista ficava apenas em quarto lugar. Leclerc conseguia ultrapassar Sainz e ficava com a sexta posição.

Bottas ficava com o pneu traseiro direito na volta 49 furado e perdia a primeira posição, caindo para último. Pérez ultrapassava Sebastian Vettel depois de dechapar os pneus e o mexicano era o terceiro colocado.

Na volta seguinte Leclerc era ultrapassado por Sainz e ele ficava com a sexta posição. Os dois carros da McLaren estavam na zona de pontuação, Alonso era o sétimo e Vandoorne nono.

Durante a última volta, Vettel forçava para tentar realizar a ultrapassagem em Sergio Pérez, mas não conseguia ficar com a terceira posição.

Depois de todas as confusões Hamilton vencia a prova, seguido por Raikkonen e Pérez.

Sebastian Vettel perdia a liderança do campeonato para Lewis Hamilton que agora tem 70 pontos contra os 66 do alemão. 

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Jornalista, escrevo sobre automobilismo desde 2012. Como fotógrafa gosto de fazer fotos de corridas e explorar os detalhes deste mundo, dando uma outra abordagem nas minhas fotografias. Livros são a minha grande paixão, sempre estou com uma leitura em andamento. Devoro séries seja relacionada a velocidade ou ficção cientifica.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
%d