ColunistaNascarPost

Austin Cindric defende a ponta na marra e leva a Daytona

Em sua primeira temporada completa na divisão principal, piloto da Penske desbancou os concorrentes mais experientes em uma chegada apertada e cheia de toques

Com apenas oito corridas na NASCAR Cup Series, Austin Cindric vence a primeira, sendo a prova mais importante do ano (Jared C. Tilton/Getty Images)

A edição 2022 da Daytona 500 entregou as emoções que os fãs da NASCAR esperavam: disputas apertadas, acidentes múltiplos e uma chegada emocionante. E nesse cenário caótico, Austin Cindric não se intimidou com os pilotos mais experientes e segurou os rivais na última volta para não só vencer pela primeira vez na divisão principal, como ganhar a prova mais importante da modalidade.

A corrida marcou também a estreia oficial da nova geração dos carros da Cup Series, com mudanças no design dos carros e nas rodas. Os acidentes ao longo da corrida indicaram que o carro precisa de alguns ajustes para reforçar a integridade dos bólidos, especialmente nas rodas, já que dois pilotos perderam seus pneus no decorrer da prova, além de alguns problemas de suspensão que foram impactadas pelas pancadas ao longo da corrida

O primeiro grande susto ocorreu no final do primeiro estágio, com o acidente que envolveu nomes como Kyle Busch, Denny Hamlin, William Byron, Alex Bowman, Ross Chastain, Christopher Bell e Harrison Burton, sendo que este último chegou a capotar, mas ninguém se machucou. Do grupo, o único que permaneceu competitivo na pista foi o Buschinho.

Após um segundo segmento mais tranquilo, o terceiro estágio foi mais competitivo, com os pilotos mais nervosos e os acidentes acabaram inevitáveis. Primeiro foi com Tyler Reddick, que levou um toque de Jacques Villeneuve e acertou o muro, também prejudicando as corridas de Joey Logano, Martin Truex Jr e Kurt Busch.

Já na parte final, Kevin Harvick, Chris Buescher e Kyle Larson se enroscaram e provocaram outro acidente múltiplo, afetando Chase Elliott, Noah Gragson, Erik Jones e Todd Gilliland. A corrida foi interrompida por bandeira vermelha, mas voltou para as últimas cinco voltas. No entanto, logo no reinício. Ricky Stenhouse Jr bateu e levou Chris Buescher junto. 

Com vários candidatos fortes envolvidos em confusões, a corrida ficou aberta para pilotos não tão cotados na bolsa de apostas. Debutando na equipe RFK, na qual é sócio, Brad Keselowski foi um dos nomes da prova, liderando o maior número de voltas e disputando a vitória, até forçando os rivais para o muro, como nos dois acidentes acima. No entanto, o campeão da Cup Series de 2012 ficou preso no pelotão na parte final e perdeu terreno na briga pela vitória.

Quem se aproveitou foi justamente a ex-equipe de Keselowski. Austin Cindric e Ryan Blaney andaram boa parte da prova na parte da frente (principalmente o novato Cindric) e ambos conseguiram se combinar para andar em um ritmo competitivo e estar no pelotão da frente na parte final.

Com a relargada na prorrogação, Os pilotos da Penske, com Cindric à frente, prevaleceram. Na última volta, alguns pilotos tentaram a manobra final no desespero. Quem quase se deu bem foi Bubba Wallace, que forçou Blaney para cima de Cindric. Mas o piloto do carro 2 não aliviou e fechou a porta do companheiro de equipe e do rival da 23XI. Wallace ainda tentou a ultrapassagem, mas Cindric cruzou à frente com a vantagem por míseros 36 milésimos de segundo.

Apesar de estar em apenas algumas corridas em 2021, Austin Cindric é um estreante da temporada, já que fará seu primeiro campeonato completo na divisão principal, a sua primeira vitória na divisão principal em apenas oito corridas na Cup.

Além disso, a vitória foi especial para o filho de Tim Cindric (atual presidente do Team Penske) e para a equipe, pois foi justo no dia de aniversário do patrono da escuderia, o Capitão Roger Penske.

Para celebrar o aniversário do Capitão Roger Penske, o torféu da Daytona 500 foi para a equipe do capitão (Chris Grayten/Getty Images)

A NASCAR Cup Series volta no próximo domingo, atravessando o país para correr na Califórnia, mais especificamente no oval de Fontana.

Top-10 da Daytona 500

1 – Austin Cindric (Penske/Ford)
2 – Bubba Wallace (23XI/Toyota)
3 – Chase Briscoe (Stewart-Haas/Ford)
4 – Ryan Blaney (Penske/Ford)
5 – Aric Almirola (Stewart-Haas/Ford)
6 – Kyle Busch (Joe Gibbs/Toyota)
7 – Michael McDowell (Front Row/Ford)
8 – David Ragan (Rick Ware/Ford)
9 – Brad Keselowski (RFK/Ford)
10 – Chase Elliott (Hendrick/Chevrolet)

 

Mostrar mais

Eduardo Casola

Jornalista formado na Universidade de Sorocaba (Uniso) e apaixonado por esporte a motor desde quando se conhece por gente. Apenas um rapaz que gosta de uma boa corrida e de uma boa história!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados