ColunistaFórmula 1Post

Alpine tem carro prejudicado por conta de problema no túnel de vento

Marcin Budkowski, diretor executivo da Alpine, falou sobre os problemas de desenvolvimento do carro e como a Alpine está atrasada

O desempenho da Alpine na temporada 2021 está sendo bem diferente do rendimento que a Renault teve na temporada passada – quando finalmente a equipe parece ter se recuperado e feito um carro que deu trabalho para a McLaren e Racing Point.

Atualmente a Alpine ocupa a quinta posição no campeonato de construtores e conta com 13 pontos, depois de Portugal a equipe superou a AlphaTauri (que conquistou apenas um ponto com Pierre Gasly) enquanto a Aston Martin terminou a prova zerada. Mas estar neste lugar não garante nada para o time, já que eles não podem considerar este resultado como uma folga.

Vamos aos fatos

Na coletiva dos chefes de equipe, Marcin Budkowski, diretor executivo da Alpine, respondeu algumas questões sobre o time e voltou a falar sobre o que ocorreu nas análises realizadas no túnel de vento da equipe.

Alpine – Foto: reprodução Alpine

A Alpine não teve exatamente uma surpresa, na verdade eles já esperavam o carro ser menos competitivo que o último modelo utilizado pelo time; quando eles chegaram no Bahrein, os medos que eles tinham foram confirmados, o A521 realmente tinha um problema. Se comparados com os seus rivais, a Alpine está atrasada em desenvolvimento, as outras equipes não vão esperar eles se recuperarem, então eles realmente têm um problema pelo caminho.

LEIA MAIS: Funções compartilhadas, Alpine decide que não terá um chefe de equipe

Para Ímola e Portugal a equipe trouxe algumas atualizações, buscando o ganho de rendimento – nestes dois eventos eles terminaram na zona de pontuação.

O túnel de vento

Por conta das mudanças do regulamento para 2021, a Alpine tentou desenvolver o que dava, melhorar o carro.

Na imprensa, nas últimas semanas o caso do túnel de vento já vem sendo muito comentado, mas Budkowski explica o erro que ocorreu na comunicação: “Acho que disse em uma entrevista algumas semanas atrás e foi citado na imprensa que tínhamos problemas ‘com o túnel de vento’ e, na verdade, tivemos problemas ‘no túnel de vento’, foi exatamente o que eu disse, foi duplo.”

Eles tiveram um problema relacionado com o regulamento atual, o que eles precisavam modificar para fazer o carro deste ano, para completar a questão, tiveram problemas no hardware, no túnel e nos testes.

Desta forma, eles perderam tempo quando comparados com os seus rivais, isso se reflete em desempenho na pista. O tempo é moeda de troca na Fórmula 1, desta forma o novo regulamento também muda a forma como as equipes podem conduzir testes nos túneis de vento. “Perdemos algumas semanas de desenvolvimento e semanas de desenvolvimento apenas transformadas em décimos de segundos”, disse Budkowski.

Os problemas estão resolvidos para as tratativas do carro do próximo ano, eles melhoraram o hardware, infraestrutura e o túnel de vento, se trata de uma melhoria contínua, parte do desenvolvimento da equipe. Agora o foco também está voltado para desenvolver a compreensão e a capacidade de desenvolvimento.

Por que o problema não surgiu no ano passado?

Esta também foi uma questão levantada durante a coletiva de imprensa em Portugal, Marcin informa que tudo só surgiu, justamente por conta das mudanças de regulamento. Além disso, eles acreditavam que a ordem do campeonato seria um diferente da que foi encontrada – tanto em classificação, como em ritmo de corrida.

“Curiosamente, acabamos exatamente onde pensávamos que acabaríamos”, disse Budkowski se referindo ao Bahrein.

“Mas erramos em relação a alguns dos carros que estavam à nossa frente e em alguns dos carros que acabaram atrás de nós.”

Aproveite para conferir o nosso canal no Youtube:

LEIA MAIS: ANÁLISE – Os pontos fortes e fracos da Alpine
Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados