Café com Deborah – O que foi visto no GP do Canadá

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Finalmente chegamos a sétima etapa da Fórmula 1, onde a polêmica envolvendo a vitória de Sebastian Vettel, se tornou o foco de discussões em meio de acontecimentos no mínimo interessantes do GP do Canadá.

lll Ferrari

O ponto alto foi a boa performance que a Ferrari encontrou, sendo capaz de liderar treinos livres, bater o recorde da pista no sábado com uma volta que não foi totalmente espetacular, mas lhe garantiu a pole e estar à frente em várias voltas da prova; além de cruzar a linha de chegada na primeira posição.

Para o desenvolvimento da equipe italiana até este momento, a prova do Canadá deixou bem claro que o ponto forte do SF90H, está ligado as retas e é onde o modelo realmente dá show.

A escolha de pneus está mais difícil nesta temporada, ainda que a Pirelli tenha ”mantido” a configuração do ano passado, o desgaste está menor, mas o problema desta goma fica por conta do aquecimento. Está é uma questão difícil para a Ferrari, mas com as altas temperaturas encontradas em Montreal, tudo correu bem para o time.

Falamos agora da polêmica, onde quem cruzou a linha de chegada à frente, não foi o piloto vencedor da prova. Neste quesito é como mexer em um vespeiro e se a punição foi dada, não temos muito o que fazer ou se quer se digladiar, pois isso não mudará o resultado da corrida. Não muda o campeonato para a Mercedes, que se mantém como líder, mas deixa as coisas para Vettel, mais quentes, pois a sua posição no campeonato, está mais próxima de Verstappen do que do líder. Uma vitória do alemão serviria para dar um up no time e nas suas condições, mas ainda temos alguns capítulos sobre está história para acompanhar ainda nesta temporada.

Charles Leclerc terminou na terceira posição, com um bom final de semana, a Ferrari optou por uma estratégia semelhante, mas em alguns momentos parecia ser equivocada, já que o Monegasco permaneceu mais tempo na pista antes da troca de pneus. Não foi informado sobre a punição do companheiro de equipe, mas misteriosamente quando ela saiu o seu desempenho cresceu. O jovem ainda segue em busca de sua primeira vitória com a Ferrari.

lll Mercedes

Não foi o final de semana perfeito, na sexta-feira, Lewis Hamilton recebeu o chamado do muro e foi de encontro a ele, deixando com que os mecânicos trabalhassem no W10. No dia seguinte os dois primeiros setores purpuras não foram capazes de garantir a pole e para completar o pacote, no domingo o carro fora todo desmontado para verificar o vazamento hidráulico dos freios. Enquanto Valtteri Bottas saia lá da sexta posição.

O nome do inglês poderia ser substituído para persistência, pois foi até o limite para tentar realizar a ultrapassagem no alemão na pista e isso certamente teria diminuído algumas discussões até a terceira geração de ambos.

Hamilton se igualou ao número de vitórias de Michael Schumacher no Canadá, são sete ao todo. Agora a diferença entre ele e o companheiro de equipe foi para 30 pontos e o finlandês estava meio morno, terminando em quarto com a melhor volta da prova.

lll Red Bull

A equipe austríaca segue como terceira força do campeonato. Max Verstappen se classificou na décima primeira posição, após a batida de Kevin Magnussen durante o Q2. Com as punições do dinamarquês e de Carlos Sainz da McLaren, o holandês conseguiu sair do nono lugar, ainda utilizando o beneficial de utilizar os pneus duros.

Com entrevistas pós-pódio, Verstappen acreditava que o P5 foi o melhor que ele podia fazer, até porque a equipe não encontrou ritmo para que eles pudessem disputar espaço mais a frente e por isso a decisão sábia ficou por escolher cruzar a linha de chegada.

Para Pierre Gasly a situação foi mais preocupante, pois o francês que largou de P5, terminou em P8, atrás dos dois carros da Renault. O Canadá foi a espera de um resultado melhor, onde o desempenho ficou muito aquém.

lll Renault

Se para a Red Bull o resultado não esteve dentro do planejado a Renault por outro lado teve um grande final de semana Na classificação conseguiram evoluir com os dois carros até o Q3 e ao término do final de semana os dois carros estavam na zona de pontuação; e em alguns momento Nico Hulkenberg acreditou que não fosse possível.

Daniel Ricciardo se destacou com certificado de honra ao mérito quando conseguiu a quarta posição no sábado, superando o time dos toros vermelhos.

Mesmo com a perda de posições, isso não pode ser considerado algo ruim, pois tendo em vista do que o time apresentava nas últimas temporadas e levando em conta estritamente o campeonato de 2019, a movimentação foi excelente.

Hulkenberg marcou pontos pela primeira vez, desde a realização da primeira prova do ano.

lll Alfa Romeo

Só ladeira abaixo?

Fred Vasseur, diretor de equipe, sempre tem muito a dizer sobre a equipe, principalmente no pós-corrida e não pouca esforços para defender e justificar o desempenho dos seus pilotos.

Kimi Raikkonen teve que antecipar a parada e curiosamente pelo mesmo motivo que levou Carlos Sainz aos boxes da McLaren, uma viseira entrou no duto de freio, causando um sobreaquecimento no carro. Com isso o finlandês perdeu espaço na prova.

Antonio Giovinazzi esteve envolvido em um toque inicial com Alexander Albon, danificando o carro #99 e com isso o seu rendimento, começou a cair logo na volta seguinte. Foi mais um final de semana complicado para a equipe, que precisa se recuperar e a ideia é que as peças instaladas para o Grande Prêmio da França, possam ajudar nesta questão.

lll Racing Point

A equipe ainda tem os seus altos e baixos de acordo com os circuitos do calendário.

Um novo motor com especificações melhoraras foi instalado para estar prova; o que costuma ser comum nesta fase do campeonato (1/3). No carro de Lance Stroll, as coisas não saíram como o esperado e antes da classificação o carro do canadense precisou regredir para as antigas especificações.

Apesar de Sergio Pérez e Stroll, não terem avançado para o Q2, os pilotos compensaram na corrida. O mexicano terminou em décimo segundo, mas o canadense teve tempos de volta competitivos, que o ajudaram a entrar na zona de pontuação. Além disso os pneus tiveram um papel importante, pois foram eficazes quando investiram na ultrapassagem em cima de Carlos Sainz.

A Fórmula 1 retorna agora para o Grande Prêmio da França.

 

Assinar

BPCast

Ou assine com seu app favorito usando o endereço abaixo


Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele espertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.