ColunistasFórmula 2Post

Sargeant aproveita conquista da pole para vencer Corrida Principal da F2 na Inglaterra

O pole da Corrida Principal da Fórmula 2 conseguiu vencer na Inglaterra neste domingo (02), o piloto da Carlin fez uma prova consistente, onde contou a liderança com propriedade. Munido de uma boa estratégia, Logan Sargeant foi administrando a prova após a sua parada, mas sofreu ataques de Théo Pourchaire nas últimas voltas da prova, levando um pouco mais de emoção e provocando a incerteza sobre a vitória.

O piloto estadunidense que faz parte da Academia de Pilotos da Williams, dividiu o pódio com seu companheiro de equipe, pois Liam Lawson realizou uma boa largada e teve a oportunidade de se consagrar na terceira posição. Théo Pourchaire que faz parte da ART Grand Prix voltou ao pódio, podendo contar com um bom resultado nesta briga pelo campeonato de 2022.

Felipe Drugovich surpreendeu Frederick Vesti na última volta e saltou para o quarto lugar, terminando logo atrás de Pourchaire, desta forma Vesti completou o top-10.

Trabalhando com uma boa estratégia Jehan Daruvala ficou com o sétimo lugar, acompanhado por Marcus Armstrong, Jack Doohan e Jake Hughes. Enzo Fittipaldi brigou pelos pontos e um dia após terminar a prova no pódio, teve que se contentar com o décimo primeiro lugar na prova principal.

A Fórmula 2 retorna na próxima semana para a realização do GP da Áustria.

Saiba como foi a Corrida Principal da Fórmula 2

Nesta manhã, sem chuva em Silverstone, a Fórmula 2 entrou mais uma vez na pista, agora para realizar a prova principal. Logan Sargeant conquistou a pole na classificação realizada na sexta-feira, desta forma ganhou o direito de comandar o começo da prova, o piloto da Carlin dividiu a primeira fila com Frederik Vesti.

Felipe Drugovich se classificou na terceira posição, dividindo a segunda fila com Théo Pourchaire, outro postulante ao título. O pelotão da frente começou a prova usando os pneus macios, para contar com mais oportunidades de ultrapassagem e uma reação melhor no começo da prova. Por outro lado, Jack Doohan estava com os pneus duros instalados, em uma estratégia semelhante a adotada pelo final do pelotão.

Com as luzes apagadas indicando o início da prova, foi possível observar muita disputa acontecendo no meio do pelotão. Sargeant manteve a primeira posição, mas Drugovich foi atacado por Liam Lawson e Ayumu Iwasa, então o brasileiro caiu para o quinto lugar. Vesti foi outro piloto que perdeu muitas posições.

Enquanto o brasileiro perdeu posições, o vice-líder do campeonato teve uma boa reação para ocupar o segundo lugar rapidamente.

Doohan sentiu os efeitos de largar com os pneus duros e demorar para ter uma reação dos compostos, desta forma o piloto que tinha começado da sétima posição, caiu para o décimo segundo lugar.

Antes do final da primeira volta o Safety Car entrou no circuito, pois Hauger e Nissany se tocaram e foram para a brita. Os dois pilotos estavam disputando posição antes do incidente acontecer, Nissany extravasou os limites de pista e voltou de rapidamente para o traçado, mas espremeu o piloto da Prema para fora da pista com o movimento adotado e como Hauger perdeu o controle do carro, acertou o seu rival. O halo foi extremamente necessário, pois um carro ficou por cima do outro.

Com o Safety Car na pista, os dez primeiros eram: Sargeant, Pourchaire, Lawson, Iwasa, Drugovich, Vesti, Fittipaldi, Vips, Armstrong e Daruvala.

A relargada aconteceu ao final da quinta volta, Sargeant conservou a primeira posição, tentando não deixar espaço para sofrer ataques de Pourchaire. Por fora Vips fez a ultrapassagem em Armstrong e capturou a oitava posição. Neste momento Beckmann era punido com dez segundos, pois a equipe tocou em seu carro instantes antes do início da prova para ligá-lo, desta forma seguiu para os boxes no giro seguinte para cumprir a punição.

Sargeant permaneceu na liderança com mais de um segundo de vantagem para Pourchaire. O piloto da ART Grand Prix tinha registrado a melhor volta da prova no quinto giro, mas na volta seguinte Sargeant deu o troco. Fittipaldi permanecia na sétima posição, mas tinha a oportunidade de atacar Versti e usar o DRS durante a oitava volta para atacar o adversário.

Novalak era o destaque nesse início de prova, pois ocupava a décima posição, após começar a corrida do décimo sétimo lugar. Na décima volta Vesti, Fittipaldi, Armstrong, Novalak e Bolukbasi seguiram para os boxes para substituir os seus pneus macios pelos duros. Com a janela de trocas começando, na sequência foi a vez de Lawson, Iwasa e Verschoor realizarem as suas trocas de pneu. Iwasa que brigava pelas primeiras posições teve uma troca desastrosa, com a equipe cometendo um erro e prejudicando a prova do piloto.

Foi na décima segunda volta que Drugovich assumiu a liderança da prova, pois Sargeant e Pourchaire trocaram os seus pneus. O brasileiro que sabe conservar os compostos, tinha a oportunidade de ficar um pouco mais de tempo na pista antes de cumprir a parada obrigatória.

Na volta treze, Drugo colocou os seus pneus duros, retornando para a pista na décima primeira posição. Atrás de Vesti, que ganhou a posição com as paradas nos boxes. Neste momento da prova, os dez primeiros eram: Vips, Daruvala, Doohan, Hughes, Sato, Williams, Sargeant, Pourchaire, Lawson e Vesti.

Os pilotos da ART seriam investigados pós-corrida por conta dos seus pit-stops. A prova seguiu com pouca movimentação, mas alguns pilotos ainda tentavam se aproximar dos seus adversários para buscar um resultado melhor.

Daruvala seguia na tentativa de reduzir a distância para Vips que era o atual líder da prova. Drugovich era alertado por extravasar os limites de pista, recebendo a bandeira preta e branca, antes de receber uma possível punição se excedesse mais uma vez. Na sequência Vesti recebeu o mesmo alerta.

Williams brigava com Sato, duelando pela quinta posição, mas a ultrapassagem demorava para ser concluída.

Restando nove voltas para o final, as posições eram: Vips, Darivala, Dooham, Hughes, Sato, Williams, Sargeant, Pourchaire, Lawson e Vesti.

Na volta 22 Vips abandonou a liderança da prova para realizar a sua parada obrigatória. O piloto foi devolvido para a pista com os pneus macios, retornando para a pista na décima primeira posição. Daruvala permaneceu na pista por mais uma volta, antes de responder a parada do rival. Sato e Williams acompanharam o piloto da Prema.

Restava apenas Doohan e Hughes que não tinham feito as suas paradas obrigatórias. Daruvala fora devolvido para a pista à frente de Vips, mas como o piloto da Hitech estava com os compostos mais aquecidos, o piloto que defende a Prema foi ultrapassado na sequência.

Na sequência Doohan também lidou com uma parada desastrosa, desta forma o piloto caiu para o décimo segundo lugar, quando deveria ter retornado entre Daruvala e Fittipaldi.

Neste momento da prova após todas as paradas obrigatórias realizadas, os dez primeiros eram: Sargeant, Pourchaire, Lawson, Vesti, Drugovich, Vips, Armstrong, Daruvala, Fittipaldi e Novalak.

Pourchaire aproveitou o erro de Sargeant para se aproximar do então líder da prova e ter a oportunidade de buscar a vitória. Hughes roubava a volta mais rápida da prova durante a vigésima sexta volta, mas como estava fora do top-10, não seria contemplado com o ponto.

Com os pneus mais novos Doohan ganhou a posição de Novalak e Fittipaldi, para ocupar o nono lugar.

Durante o último giro, Iwasa e Novalak foram ultrapassados por Highes. Sargeant recebeu a bandeira quadriculada na liderança, vencendo a corrida principal da Fórmula 2, o piloto da Carlin dividiu o pódio com Pourchaire e Lawson. Drugovich conseguiu realizar a ultrapassagem em Vesti para ficar com o quarto lugar.

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!