ColunistaFórmula 1Post

OPINIÃO – A Temporada 2020 da McLaren

O time apresentou um bom desempenho e mereceu a terceira posição no campeonato de construtores

Nesta conquista pelo terceiro lugar, a McLaren vai dividir opiniões pois existe um time que acredita que eles tiveram sorte em ficar com o terceiro lugar, mas ainda temos aquela parcela que consegue mostrar que foi o trabalho duro realizado pela McLaren em 2020, que fez a equipe conquistar a terceira posição nos construtores.

Na minha análise vejo que foram os dois juntos, a McLaren teve um pouco de sorte pois viu a Racing Point e a Renault cometendo erros, além disso a equipe pode contar com os problemas da Ferrari em 2020 para chegar ao terceiro lugar. Vale lembrar que a Racing Point perdeu quinze pontos com o protesto da Renault, a pontuação fez diferença ao final do campeonato e RP ficou com o quarto lugar.

Disputa entre McLaren, Racing Point e Renault – Foto: McLaren

Em alguns momentos do campeonato ‘parecia’ que a McLaren ‘não queria’ aquele terceiro lugar, alguns erros e oscilações de desempenho dos pilotos colocaram dúvidas sobre a real posição do time no campeonato. Por outro lado, a temporada de 2020, última com o motor Renault, provou que a McLaren acertou ao retornar para o motor francês, apostar na nova versão do motor e todas as adaptações no projeto do carro, além da reestruturação com James Key, ex-Toro Rosso e Andreas Seidl comandando a equipe, o pacote de mudanças trouxe resultado. O terceiro lugar foi merecido!

Desde 2017 quando terminou na nona posição do campeonato, a McLaren foi analisando com mais afinco os problemas e seguiu evoluindo, em 2018 ficou com a sexta posição do campeonato, em 2019 foi a quarta colocada com 145 pontos, mas em 2020 fechou o ano com 202 pontos.

A pandemia de Covid-19 foi um problema para o time, sem muito apoio a McLaren correu vários riscos, foi um tempo sombrio para o time que precisou lidar com demissões e falta de recursos financeiros.

Do lado competitivo, eles tiveram que encontrar o ajuste fino dos carros com as novidades que eram implementadas com as atualizações, o MCL35 foi um projeto que de fato foi se estruturando. Algumas falhas de comunicação com os boxes ocorreram em algumas provas e acabou dificultando o trabalho dos pilotos nas pistas que perdiam terreno.

Carlos Sainz – Foto: McLaren

Principalmente no início do campeonato, o MCL35 parecia que tinha um desempenho melhor encontrado mais velocidade quando a corrida se aproximava do final, desta forma algumas largadas da McLaren não foram tão boas, mas os pilotos tentavam recuperar as posições confirme a prova avançava. Ao final da temporada o modelo se mostrou mais equilibrado.

Ainda existe trabalho a se fazer em 2021, pois a equipe esteve mais embolada com o meio do pelotão. Distante ainda da Red Bull e principalmente da Mercedes. Mas 2021 reserva um ano de muita esperança para a equipe, nesta temporada eles vão utilizar o motor da Mercedes, mais um passo que eles estão dando para provar que estão focados no crescimento. A adaptação para a nova unidade de potência não parece representar um perigo como foi com a Honda, a McLaren já trabalhou com a empresa alemã (1995-2014).

Dos pontos positivos, vale ressaltar ainda que a McLaren abandonou poucas provas com os seus pilotos, fez o possível para conquistar pontos em várias etapas e ainda contou com o pódio de Lando Norris na corrida de abertura do campeonato, que certamente deu mais confiança para a equipe. Carlos Sainz conseguiu um segundo lugar no GP da Itália, uma segunda marca importante para a equipe no ano.

Carlos Sainz e Lando Norris

Comparativo entre Carlos Sainz e Lando Norris – Foto: reprodução F1

Juntos em mais um ano na Fórmula 1, a ligação e união dos dois pilotos mostrou que eles formaram uma grande dupla em 2020. Os resultados na batalha interna mostram o equilíbrio ideal e a perfeita sintonia. Carlos Sainz terminou a temporada com 105 pontos na sexta posição, enquanto Lando Norris foi o nono colocado com 97 pontos.

A mudança de Carlos Sainz para a Ferrari em nada afetou o seu desempenho com o time, o espanhol seguiu dando o seu melhor, realizando o seu trabalho e buscando resultados. Ainda não é possível dizer se o ano com a Ferrari será bom, com a última temporada do time italiano é difícil afirmar qualquer coisa.

Lando Norris e Carlos Sainz, uma grande dupla para a McLaren – Foto: McLaren

Lando Norris também foi consistente, mas em minha avaliação o único problema estava nas corridas em que Norris ficava abaixo dos dez primeiros após uma grande queda, nestas ocasiões era difícil ver o piloto reagir e realizar ultrapassagens. Mas em outros momentos como o GP da Áustria e na corrida da Itália, Norris foi muito bem.

Os fãs da McLaren devem sentir saudades desta dupla, mas devem estar satisfeitos com a chegada de Daniel Ricciardo ao time, a nova aquisição que já era muito esperada por Zak Brown. O próximo ano deve ser forte, pois vão contar com uma boa dupla e a unidade de potência da Mercedes, pode ser o casamento ideal que o time necessitava nestes últimos anos.

Leia Mais: 

Raio-X 

+ McLaren atende pedido do Reino Unido e luta contra Covid-19

+ Preocupada com a saúde mental, McLaren anuncia parceria com instituição de apoio à saúde mental

+ McLaren confirma patrocínio da Gulf Oil

+ O Grupo McLaren deve reduzir 1.200 funcionários após ser afetada por pandemia

+ Daniel Ricciardo é confirmado na McLaren para a temporada de 2021

+ McLaren confirma mudança para o motor Mercedes em 2021 e tem desafio pela frente

+ OPINIÃO – A temporada 2020 da Racing Point

+ OPINIÃO – Temporada 2020 da Renault

+ OPINIÃO – Temporada 2020 da Ferrari

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo