Dia 47 de 365 dias dos mais importantes da história do Automobilismo – 07 de Julho de 2013 – Sebastian Vettel em: A Volta de Nurburgring a Fórmula 1

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

| Contextualizando

Em 2013, o Circuito de Nurburgring havia sido reformado. Reformado é uma palavra até fraca para dizer que deixaram a pista antiga ali para a galera brincar de final de semana, e construíram uma nova ao lado, para receber a Fórmula 1.

A Corrida da Alemanha era a primeira depois da “corrida que foi uma furada”, onde 5 pneus estouraram, aparentemente sem motivo. A Pirelli, fornecedora dos “pneus explosivos”, alterou a construção dos pneus e voltou para Nurburgring sem problemas.

O cenário do campeonato era favorável para RBR, onde Vettel estava na ponta. Seguido por Alonso da Ferrari e Raikkonen da Lotus. A competitividade era alta, e esta corrida nos mostra isso.

Em 2013 a Mercedes começava a despontar com vitórias, podiuns e a se destacar também no campeonato de construtores.

| A Corrida

A Ferrari vinha com uma estratégia de pneus toda diferentona. Em época de 12 voltas com os macios, ela quis começar de médios e deixá-los (os macios) para o final.

Curiosamente, a largada do German GP parecia o cenário atual da F1: Hamilton na pole e Sebastian Vettel na segunda posição. Em 2013 eles estavam longe de ser rivais.

A primeira volta foi marcada por algumas cenas: Hamilton perdendo duas posições, Perez jogando o carro para cima de Button quase tirando-o da pista, e a Ferrari de Felipe Massa dando problemas e parando.

Na volta número 6, devido ao desgaste de pneus, todos começaram a ir para os box, inclusive Mark Weber, que marcou a corrida quando seu pneu traseiro direito saiu voando e bateu em um cinegrafista próximo ao Box.

Este pequeno voo, atrapalhou a corrida do australiano, que voltou em último e tinha todo o grid para atravessar.

As corridas, para o desespero da patrulha da corrida chata, nunca são entediantes. O problema das pessoas é assistir à corrida errado! Estou dizendo isso porque na décima primeira volta, Romain Grosjean, Lewis Hamilton e Nico Rosberg (dono da posição em questão) batalhavam pelo sexto lugar, e tudo permaneceu onde estava, pelo menos naquele momento.

Na volta 23, a corrida acabou para Jules Bianchi, e nós pudemos ver a coisa mais engraçada desta corrida. O motor da Marussia explodiu, causando o abandono do Francês. Antes que o trator e os fiscais de prova começarem a retira-la, O CARRO COMEÇOU A DESCER SOZINHO!!!

https:/youtu.be/yy68y5Bn9Kk?t=65

Para o desespero dos fiscais, a Marussia de Jules atravessou a pista, até parar na grama depois de bater em uma placa da Allianz.

Com a correria para capturar a Marussia de Jules, houve a entrada do Safety Car, alterando a corrida de Weber, que pôde dar a volta no pelotão e voltar em 19º para, assim que o Safety Car saísse, acompanhar a corrida. O Australiano não perdeu a chance, e duas voltas após já estava em 14º.

As voltas 34 e 35 foram marcadas por episódios simultâneos: Kimi Raikkonen e Romain Grosjean brigavam para pegar o segundo lugar e assim poder competir com Sebastian Vettel pela vitória. Enquanto isso, Hamilton e Hulkenberg brigavam pela 5ª posição.

Enquanto rolava toda essa treta, Fernando Alonso se aproximava dos três primeiros, e na volta 40 apareceu na briga pelo primeiro lugar.

Como os Pneus já começavam a pedir Socorro, Vettel e Grosjean entram nos box para trocar novamente, e voltam para a pista brigando pela quinta posição, mas sem brigas, pois todos a frente ainda deveriam parar para suas trocas.

Kimi Raikkonen, foi se isolando a frente, ganhando tempo, enquanto era seguido por Alonso, Button e Hamilton, que deveriam parar em breve para a troca de pneus.

Na volta 45, Vettel começa a traçar sua vitória, ultrapassando Hamilton e ficando com o quarto lugar, enquanto Grosjean ficava preso atrás do Inglês.

A mágica começa a acontecer quando Raikkonen e Alonso vão para os box colocar os pneus Macios, e deixam Vettel e Grosjean na pista, porém o Alemão já estava bastante a frente em tempo, então tudo permanecei tranquilo, exceto por Alonso que quase erra a saída dos Box.

Enquanto isso, lá para trás rola um Three wide entre Alonso, Di Resta e Maldonado, E NINGUÉM COLIDIU e Hamilton levou a melhor.

Na volta 53, Grosjean ouviu o rádio que todo piloto odeia: Raikkonen is faster than you. Reclamou, esperneou, mas o Finlandês o ultrapassou por estar com menor tempo e estar na briga com Vettel pela vitória.

Weber foi quem mais aproveitou, pois na volta 55 já estava em oitavo e marcando pontos, depois de ter voltado em décimo nono.

As últimas cinco voltas houveram duas brigas: Alonso Vs. Grosjean pelo terceiro lugar e Vettel Vs. Raikkonen pelo primeiro.

O Alemão levou a melhor e venceu em casa, pela primeira vez!

Kmi, Vettel e Grosjean! Fonte: @tumblr
Celebração po´s corrida pela equipe Lotus, pelo 2º lugar de Kimi Raikkonen (FIN) e 03º de Romain Grosjean (FRA) Fonte: @Lotus

Erika Prado

Erika Prado, Ericoke, São Paulo - SP Nascida e criada na zona Lost, tornou-se podcaster devido a Bruno Shinosaki, e colunista devido a Rubens GP Netto. Estudante de engenharia mecânica, e apaixonada por qualquer máquina que precise de um coração (motor). Além de fã de automobilismo, é cinéfila e ama música de quase todos os gêneros (principalmente as que dão pra fazer coreografia), gosta de escrever textos como se estivesse contando algo pra alguém ou defendendo alguém em uma conversa, com memes, desenhos e até gráficos. Também ama auto-conhecimento, saúde mental e principalmente: a causa feminista. E não sabe ser breve...