A chegada de Pastor Maldonado à Fórmula 1 – Dia 194 dos 365 dias mais importantes na história do automobilismo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Todos conhecem o mito das batidas, Pastor Maldonado. Porém, nem sempre foi assim.

No dia 01/12/2010 foi anunciada a entrada de Pastor Maldonado na Fórmula 1, na Williams. O venezuelano chegou à equipe inglesa para ser companheiro de Rubens Barrichello, e para substituir Nico Hulkenberg.

Pastor Maldonado chamava a atenção de Frank Williams desde 2007, quando fez uma boa corrida em Mônaco.

A trajetória para chegar a F1 começou aos 18 anos, na Formula Renault Itália, onde se classificou em sétimo no campeonato de pilotos, com três pódios e uma pole position. No ano seguinte, na Fórmula Renault 2000, foi campeão com 8 vitórias e 6 poles positions.

Ainda em 2004, Maldonado testou um fórmula 1 pela primeira vez, com a equipe Minardi. O dono da equipe, Giancarlo Minardi, estava lá e elogiou a performance do garoto.

Em 2005 Maldonado começou a mostrar algum potencial destrutivo, pois entrou em dois campeonatos: A Formula 3000 Italiana e a World Series by Renault. No segundo, foi banido de 4 corridas por “direção perigosa”, pelo envolvimento em um acidente em Mônaco durante bandeiras amarelas.

Já em 2006, Maldonado QUASE foi campeão da Formula 3.5 com a equipe Draco Racing, com 3 vitórias, 6 pódios e 5 poles positions. O Venezuelano não foi campeão porque o carro desenvolvido pela equipe tinha irregularidades técnicas. A equipe foi penalizada em 15 pontos, deixando-o em terceiro ao invés de primeiro e, portanto, sem o título.

O Venezuelano chamou a atenção das equipes da GP2, e em 2007 ingressou na Trident Racing, onde teve sua primeira vitória na quarta etapa do campeonato, em Mônaco, a corrida que abriu os olhos de Frank Williams para Maldonado.

Cada ano, Maldonado correu em um time da GP2. Em 2008 correu pela Piquet Sports, em 2009 pela ART Grand Prix e em 2010 pela Rapax Team. Finalmente, foi campeão pela ART Grand Prix, com uma etapa de antecedência (Em Monza) e ainda teve o recorde da categoria com 10 vitórias no campeonato. O Venezuelano ganhou 16 pontos à frente de um conhecido nosso: Sergio Perez.

2010 foi um ano de incertezas para o amigo do muro, com vaga garantida na Campos Meta, a equipe teve problemas financeiros e acabou por não fechar com ele, mas em dezembro, Papai Noel cantou e o Venezuelano assinou com a Williams para 2011.

Erika Prado

Erika Prado, Ericoke, São Paulo - SP Nascida e criada na zona Lost, tornou-se podcaster devido a Bruno Shinosaki, e colunista devido a Rubens GP Netto. Estudante de engenharia mecânica, e apaixonada por qualquer máquina que precise de um coração (motor). Além de fã de automobilismo, é cinéfila e ama música de quase todos os gêneros (principalmente as que dão pra fazer coreografia), gosta de escrever textos como se estivesse contando algo pra alguém ou defendendo alguém em uma conversa, com memes, desenhos e até gráficos. Também ama auto-conhecimento, saúde mental e principalmente: a causa feminista. E não sabe ser breve...