Treino Classificatório para Final da Copa Truck na “La capital de la velocidade” Beto Monteiro conquista pole decisiva

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Sábado dia 07, um dia que foi moldado pelo calor da Zona Sul de São Paulo e pelo esforço monstruoso que os caminhões da Copa Truck tiveram que desempenhar na ultima etapa da temporada realizada no Autódromo José Carlos Pace na capital paulistaniana ou como muito bem definiu nossos amigos da rádio uruguaia AutoMovilismo “la capital de la velocidad”.

Beto Monteiro (VW) conquista a pole com um espetacular tempo de 2:04,406, seguido de Roberval Andrade (MB), Paulo Salustino (VW), Wellington Cirino (MB), Felipe Giaffone (IVE), Renato Martins (VW), Leandro Totti (MB) e André Marques (MB).

Uma das grandes estrelas da competição a Debora Rodrigues e o seu caminhão Mercedes Bens rosa, diga-se de passagem um dos mais belos brutos em pista, porém Debora foi penalizada por dar uma volta a mais no terceiro treino livre, Rodrigues buscava uma excelente volta combinando com uma passagem tranquila pelo radar do qual a velocidade estabelecida é de 160km, assim Rodrigues iria para o treino classificatório buscando não uma, mais duas voltas voadoras uma vez que a sua melhor volta seria descartada, passando a valer para a classificação a sua segunda melhor volta.

lll Primeiro trecho do Quali

Caminhões em pista e logo vemos Luiz Lopes escapando enquanto Beto Monteiro marca a melhor volta em 2:04,641, seguido de Felipe Giaffone com 2:05,188.

Em sua primeira volta rápida Roberval Andrade de MB bate o tempo de Monteiro em 2:04,589 e se fixa na ponta da primeira parte do treino classificatório.

Com sete minutos para o final os primeiros colocados já recolhem para poupar equipamento no top qualify.

Renato Martins melhora o seu tempo e sobre para o sexto lugar com 2:05,961.

Debora Rodrigues fecha com 2:07,470, uma excelente que infelizmente não levará Debora para o Top Qualify.

Às 12:35 fecha a primeira parte do treino classificatório, e os oitos que vão ao Top Qualify são: Roberval Andrade (MB), Beto Monteiro (VW), Felipe Giaffone (IVE), Paulo Salustino (VW), Wellington Cirino (MB), Renato Martins VW, Leandro Totti (MB) e André Marques (MB).

lll Top Qualify

Os oito melhores começam a disputa pela pole.

Paulo Salustiano abre com 2:05,115, porém não a segura a melhor volta uma vez que ferozmente em seguida Beto Monteiro fecha com 2:04,406, deixando um desafio aos demais combatentes a bater essa marca, assim Roberval busca a ponta porém consegue o segundo melhor tempo e empurra Salustiano para terceiro com o tempo de 2:05,089.

Felipe Giaffone único piloto equipado com motor Iveco no Top Qualify não acerta uma boa volta e faz 2:22,405 sendo o oitava no Top, porém continua em pista buscando o melhor tempo conseguindo um honroso quinto lugar com 2:05,859, abaixo das expectativas do já consagrado piloto e comentarista, Leandro Totti, faz uma boa volta que o impede de residir na oitava posição com 2:06, 465, deixando a posição final para André Marques que lutou até o ultimo segundo pela melhor volta.

Bandeira quadriculada e Wellington Cirino sobe para quarto com 2:05,591.

Beto Monteiro é pole com a sua primeira e melhor volta com um impressionante 2:04,406 e fecha a temporada com a quinta pole, mostrando uma excelente fase do piloto.

Rubens Gomes Passos Netto

“Netto”, popularmente conhecido entre os imigrantes Guaxupeanos que tocam a zueira no pequeno município de São Paulo, gosta de comprar livros e outras bugigangas que orbitam o universo da Fórmula 1, já semeava a discórdia ao aceitar o rótulo de “nerd”, quando em terras tropicais, tal rotulo era algo, um tanto quanto pejorativo aos descendentes de primatas residentes nas regiões montanhosas produtoras de café, o que julgava ser maravilhoso, ainda mais sendo um apaixonado pela Fórmula 1, fã da McLaren por paixão e pela Ferrari por criação, já que nasceu em uma família descente de italianos produtores de café e não fabricantes de macarrão, na sua pacata opinião a melhor temporada foi a 2008, já que por um infortúnio reprodutivo de seus pais não conseguiu assistir a temporada de 1986, admira e muito o Emerson Fittipaldi, tem como o carro dos sonhos o McLaren MP4/4 e sonha em um dia ou noite pilotar em Spa e provar que as teorias que não levam a humanidade a lugar algum dos quais ele defende são mais úteis que um relógio digital, salvo se for para comer um pastel de camarão acompanhado de um chopp escuro.