ColunistasFórmula 1Post

Sainz luta até o final do GP da Inglaterra para conquistar a primeira vitória da carreira

Neste domingo (03) Carlos Sainz colocou o seu nome mais uma vez na história da Fórmula 1, o piloto espanhol venceu o GP da Inglaterra de 2022. Mesmo conquistando a pole, não foi uma corrida fácil para o piloto da Ferrari, Sainz passou por um longo desafio mental e negociações via rádio com o time buscando uma forma para conseguir se manter à frente de Charles Leclerc.

O início da prova também foi caótico, os acidentes que aconteceram após a largada, provocaram um longo período de paralisação. Zhou Guanyu bateu forte, foi um momento de apreensão, mas o piloto da Alfa Romeo está bem e após a avaliação médica foi liberado. Alexander Albon também precisou seguir para uma avaliação após a batida que lidou no início da prova.

Sainz perdeu a liderança da corrida nesta primeira largada, mas as posições originais precisaram ser reestabelecidas antes da prova ser reiniciada. Foi a oportunidade perfeita para Sainz segurar a primeira posição e ficar mais atendo as investidas de Max Verstappen. Passadas algumas voltas o holandês cometeu um erro, viu o piloto da Red Bull tomar a ponta, mas ainda tinha muita corrida pela frente. Max lidou com um furo de pneu e o seu carro ficou desequilibrado e ao perder performance na pista, a dupla da Ferrari saltou para a ponta.

Neste momento da prova Sainz passou por um jogo psicológico, a  Ferrari queria que ele acelerasse mais e Leclerc pedia a inversão das posições de forma insistente no rádio. Chegou um momento que o espanhol precisou ceder para que o monegasco evitasse os ataques, pois a preocupação da Ferrari mudou de direção. Lewis Hamilton entrou na equação, com o britânico virando voltas alucinantes e se aproximando da dupla da Ferrari.

Próximo das últimas dez voltas da corrida Esteban Ocon abandonou com problemas no motor, o Safety Car provocado pelo piloto francês, deu a oportunidade de uma prova Sprint ser realizada na pista. Charles Leclerc passou do ponto do pit-lane, enquanto a Ferrari teve a oportunidade de trocar os pneus de Carlos Sainz. O grid trocou os pneus, Leclerc ficou vendido com os compostos duros, o monegasco teve que lutar no braço pelo pódio, mas terminou a corrida na quarta posição.

Os últimos giros em modo Sprint garantiram à Carlos Sainz a vitória, o espanhol passou o seu companheiro de equipe e disparou na frente, deixando a disputa pelo segundo lugar acontecer na traseira do seu carro. Após 52 voltas o espanhol recebeu a bandeira quadriculada consagrando a sua primeira vitória.

Sergio Pérez que não estava se quer esperando um pódio neste domingo, após danificar o carro na largada, usou o Safety Car para pressionar Lewis Hamilton e Charles Leclerc. O mexicano não foi muito limpo em suas escolhas e está sendo investigado pós-corrida, mas cruzou a linha de chegada no segundo lugar. Lewis Hamilton que brigou por uma vitória e tinha feito uma excelente primeira largada, completou o pódio ficando com o terceiro lugar.

Fernando Alonso foi o quinto colocado, ganhando a posição de Lando Norris após as paradas nos boxes. Mesmo com problemas no carro Max Verstappen foi o sétimo colocado, resistindo as investidas de Mick Schumacher até o final. O piloto alemão da Haas conquistou os seus primeiros pontos neste domingo. Sebastian Vettel foi o nono colocado, seguido por Kevin Magnussen. A Haas que começou o fim de semana sem chances de pontos, se beneficiou de alguns abandonos, mas também da sua estratégia para chegar ao top-10.

Apenas catorze carros finalizaram a prova, Lance Stroll foi o décimo primeiro colocado, acompanhado por Nicholas Latifi que batalhou pelos seus primeiros pontos da temporada, seguido por Daniel Ricciardo e Yuki Tsunoda.

A Fórmula 1 retorna na próxima semana para realizar o GP da Áustria.

Saiba como foi o GP da Inglaterra

Antes do início do GP, Sebastian Vettel completou algumas voltas com o FW14B, carro que Niguel Mansell ganhou o seu título em 1992 com a Williams.

Após um sábado chuvoso, tudo indicava que o início da corrida seria em pista seca, mas as nuvens começavam a tomar conta do traçado.

Carlos Sainz se classificou na pole, surpreendendo Max Verstappen e Charles Leclerc, pois o espanhol guardou uma volta rápida para depois que o cronômetro indicasse o encerramento do Q3. Apenas Russell começou a prova com os pneus duros, Verstappen, Latifi, Albon, Magnussen e Vettel optaram pelos macios, enquanto os outros competidores usavam os pneus médios.

Com a largada autorizada, Sainz não conseguiu perdeu a ponta para Verstappen em instantes, o holandês tracionou melhor com os pneus macios. Hamilton também fez uma excelente largada e saltou para a terceira posição. A prova mal começou mas rapidamente a direção de prova optou pela bandeira vermelha. Albon, Russell, Tsunoda, Zhou e Ocon ficaram com os carros danificados após um incidente que ocorreu na largada.

George Russell que largou com os pneus duros, perdeu tração na largada, dessa forma o piloto britânico foi ultrapassado por Nicholas Latifi, na sequência Russell bate em Zhou Guanyu pois o piloto da Mercedes foi tocado por Pierre Gasly que tinha tracionado melhor. Após o toque em Zhou, o carro da Alfa Romeo acaba capotando.

O incidente de Tsunoda ocorreu após o piloto da AlphaTauri ser engolido pelo pelotão, como perdeu posições, seu carro foi atingido por Esteban Ocon, que na largada foi tocado por Alexander Albon, por conta de um toque sofrido por Sebastian Vettel.

Antes da prova recomeçar, o grid precisou ser arrumado, voltando para as posições originais da largada, pois não deu tempo dos pilotos completarem uma volta antes da bandeira vermelha ser estabelecida. Desta forma Sainz retornou para a primeira posição.

Mesmo em regime de bandeira vermelha, os carros que foram atingidos e conseguiram retornar sozinhos para o pit-lane conseguiram passar por reparos. Ocon teve a suspensão arrumada, enquanto o carro de Tsunoda recebeu uma nova asa dianteira.

O reestabelecimento da prova demorou, pois a polícia local estava também investigando uma tentativa de invasão à pista.

Quando a prova recomessou, Sainz, Verstappen, Leclerc, Pérez, Hamilton, Norris, Alonso, Bottas, Ricciardo, Magnussen, Schumacher e Stroll largaram com os pneus médios. O restante do pelotão estava com os pneus macios. Russell, Zhou e Albon estavam foram da prova.

Sainz conseguiu controlar a ponta, mesmo sofrendo os ataques de Verstappen. Na sequência Pérez toca em Leclerc, quase jogando o monegasco para fora. A asa dianteira do piloto mexicano ficou danifica. Hamilton não conseguiu repetir a grande largada que fez no começo da prova, mas permaneceu no sexto lugar. Destaque para Yuki Tsunoda que ganhou quatro posições após a largada, passando a ser o nono colocado. Latifi por outro lado despencou para o décimo primeiro lugar.

Após a quarta volta da prova ser completada, os dez primeiros eram: Sainz, Verstappen, Leclerc, Pérez, Norris, Hamilton, Gasly, Alonso, Tsunoda e Ocon. No quinto giro a direção de prova liberou o uso do DRS. Sainz tinha estabelecido 1s4 de vantagem para o piloto da Red Bull. Hamilton conseguia atacar Norris, fazendo o uso do DRS, mas Pérez também era atacado pelo piloto da McLaren.

Ainda na quinta volta Alonso fez a ultrapassagem em Pierre Gasly. No giro seguinte Pérez seguiu para os boxes, instalou uma nova asa dianteira, mas foi devolvido à pista com os pneus médios. Hamilton ultrapassou Norris por estar com um carro melhor e passou a buscar a posição de Leclerc.

Durante o oitavo giro Verstappen conseguiu reduzir a diferença para Sainz, andando à menos de um segundo do piloto espanhol. Os dez primeiros eram: Sainz, Verstappen, Leclerc, Hamilton, Norris, Alonso, Gasly, Tsunoda, Ocon e Latifi.

Durante a décima volta, Sainz cometeu um erro a perder a traseira do carro e extravasou os limites de pista. Verstappen ganhou a oportunidade de assumir a liderança da corrida. Leclerc começou a se aproximar do seu companheiro de equipe, enquanto Hamilton também já aparecia no visual. Tsunoda que brigava com Gasly pela sétima posição, foi fechado pelo companheiro de equipe e os dois carros rodaram.

Na décima terceira volta, Sainz se aproximou de Verstappen, pois o pneu traseiro do seu carro furou. O espanhol conseguiu recuperar a liderança, enquanto Leclerc se aproveitou para tomar a segunda posição. Hamilton era o terceiro colocado. Verstappen chegou aos boxes, fez a sua parada e retornou atrás de Fernando Alonso, ocupando o sexto lugar. O holandês informava que o seu carro estava com vários problemas e estava difícil de se manter na pista.

Na décima quinta volta Tsunoda foi responsabilizado pelo incidente com Gasly, sendo penalizado com cinco segundos. Neste momento da prova Leclerc se aproximou de Sainz, ganhando o direito de usar o DRS, para lutar pela primeira posição com o companheiro de equipe.

Conforme a corrida avançava, a Ferrari pediu para Sainz acelerar e manter a primeira posição, mesmo com Leclerc pedindo a inversão das posições. Letifi e Schumacher realizaram as suas paradas durante a vigésima volta. No giro seguinte foi a vez de Sainz realizar a sua parada obrigatória para instalar os pneus duros, retornando na terceira posição, à frente de Norris. Leclerc assumiu a liderança da prova, com Hamilton separado por pouco mais de dois segundos para o piloto da Mercedes.

Com o início das paradas, Ricciardo também foi chamado para os boxes na volta 21, enquanto Valtteri Bottas era obrigado a abandonar a prova com problemas no carro.

Hamilton seguia fazendo volta rápida atrás de volta rápida se dedicando a desafiar a dupla da Ferrari, fazendo um grande trabalho na pista. Ocon e Magnussen fizeram as suas trocas de pneus durante o giro 23.

Verstappen realizou mais uma parada na volta vinte quatro, enquanto Vettel ultrapassou o piloto holandês, se aproveitando do momento que o piloto da Red Bull foi devolvido para a pista com pneus duros e frios. Verstappen era o oitavo colocado e não tinha aderência nenhuma com os compostos que foram instalados.

Na volta 26, Leclerc passou pelo boxes trocando apenas os pneus, com a Ferrari optando por não fazer a substituição da sua asa dianteira. Hamilton liderava então a corrida, com mais de 17 segundos de vantagem para Sainz. Neste momento da prova os dez primeiros eram: Hamilton, Sainz, Leclerc, Norris, Alonso, Pérez, Vettel, Verstappen, Latifi e Ocon. O britânico da Mercedes informava que os seus pneus médios continuavam bons, desta forma poderia permanecer na pista.

Gasly foi orientado pela direção de prova para seguir aos boxes, pois seu carro precisava de reparos, entretanto, a AlphaTauri optou pelo abandono.

Chegando na volta 29, a Ferrari liberou Leclerc para disputar com Sainz, mas na sequência o time pediu para o piloto espanhol acelerar até 1m32s2, pois se não eles iriam optar pelas posições dos pilotos. Duas voltas depois o time fez a inversão das posições, Leclerc assumiu o segundo lugar. Hamilton permanecia na liderança. O monegasco então começou tentar reduzir a diferença para o britânico da Mercedes, mas Sainz conseguia se manter rodando abaixo de um segundo.

Na volta 34 Hamilton seguiu para os boxes, mas a parada foi ruim, retornando na terceira posição, com uma diferença de mais de 3 segundos para Sainz. Norris então fez a sua parada na volta 35, sendo devolvido para a pista na quinta posição, atrás de Pérez que ainda precisava realizar mais uma parada para usar um segundo tipo de pneus diferentes, seguindo a regra.

A nova disputa que acontecia na pista era travada entre Ocon e Verstappen, o piloto da Alpine buscava o oitavo lugar durante a volta 37. O francês estava liberado para usar o DRS e como Verstappen estava com o carro desequilibrado, a ultrapassagem foi inevitável. Sobrou para Mick Schumacher atacar Verstappen, brigando pela nona posição.

Hamilton então conseguia se aproximar de Sainz, com pouco mais de um segundo separando o piloto britânico do espanhol. Ocon ficou com o carro parado na Copse provocando então a entrada o Safety Car. Na volta 40, Sainz e Hamilton entraram nos boxes para substituir os pneus que usavam, por compostos macios. A Ferrari vacilou com Leclerc, pois o piloto ficou na pista. Pérez, Alonso, Vettel, Verstappen, Schumacher e Latifi   também trocaram os seus pneus, optando por compostos macios novos.. Apenas Leclerc permaneceu com os seus pneus antigos.

Sorte de Pérez, pois o piloto que fez uma prova de recuperação, conseguiu fazer sua troca obrigatória dentro da janela do Safety Car.

Norris levou um pouco mais de tempo para fazer a substituição do seu pneu, mas conseguiu retornar na sexta posição. Stroll também foi aos boxes antes do Safety Car deixar a pista.

A prova foi reestabelecida ao final da volta 42, como Sainz estava com os compostos mais novos, pediu para Leclerc não dificultar nessa relargada. Leclerc conseguiu manter a ponta, mas era atacado por Sainz, enquanto Pérez atacava Hamilton buscando o terceiro lugar, pois a Red Bull tinha chance de pódio nesta prova.

Sainz assumiu a ponta, colocando o carro lado a lado com Leclerc. Pérez então fez a ultrapassagem em Hamilton, mas o britânico ainda estava buscando uma forma para recuperar a terceira posição, se aproveitando do uso do DRS. Alonso segurava Norris, mantendo o piloto da McLaren no sexto lugar.

Por conta da disputa entre Pérez e Leclerc na volta 46, Hamilton saltou para o segundo lugar. Leclerc tentava resistir os ataques mesmo usando pneus mais velhos. Na sequência Pérez conseguiu fazer uma manobra em Hamilton, mas colocou o piloto da Mercedes para fora da pista, o mexicano ainda cortou os limites de pista. Por conta da disputa a direção de prova passou a investigar Pérez. Alonso se aproximou de Hamilton que retornou para a quarta posição.

Durante a volta 48, Hamilton assumiu a terceira posição, mas foi de forma momentânea pois o monegasco conseguiu recuperar mais uma vez a posição. Leclerc estava tendo problemas com os seus pneus duros, tentando fazer o possível para resistir as investidas dos rivais.

Restando duas voltas para o final da prova, os dez primeiros eram: Sainz, Pérez, Hamilton, Leclerc, Alonso, Norris, Verstappen, Schumacher, Vettel e Magnussen. Schumacher passou a atacar mais uma vez Verstappen, tentando angariar o sétimo lugar.

Nas últimas duas voltas, Alonso seguiu a sua perseguição em Leclerc, enquanto Verstappen era atacado por Schumacher.

Na volta 52 Carlos Sainz Jr. recebeu a bandeira quadriculada depois de uma corrida difícil, precisando negociar com a Ferrari em alguns momento da prova, em relação ao desempenho do seu companheiro de equipe para tentar manter a ponta. O Safety Car provocado por Ocon colaborou com a sua vitória.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!