ColunistasDestaquesFórmula 1Post

Raio-X do GP da Inglaterra – Primeira vitória de Sainz, mas corrida é marcada por acidente de Zhou e Albon

A Red Bull continua na liderança do Campeonato, mas no GP da Inglaterra foi a Ferrari que voltou a vencer e viu Carlos Sainz conquistar a sua primeira pole e vitória da carreira.

O fim de semana foi bem agitado, com um clima tipicamente inglês, pois a chuva apareceu na sexta-feira atrapalhando a coleta de dados do TL1, enquanto os times tiveram um breve momento em pista seca para realizar o TL2. O sábado contou com chuva durante a segunda sessão de atividades do dia, oferecendo uma boa dinâmica para a classificação, enquanto novamente a corrida no domingo foi disputada em pista seca.

A corrida foi bem movimentada, tivemos trocas de posição e mesmo com Carlos Sainz começando a prova da pole, engana-se quem pensou que seria fácil para o espanhol obter a sua primeira vitória.

Na Inglaterra os times optaram por levar algumas atualizações e para muitas esse é o último grande pacote da temporada, pois agora começará a segunda fase do campeonato voltada aos ajustes e apenas a introdução de peças que possam valorizar esse pacote que já está presente.

Antes de começar a esmiuçar o fim de semana das equipes neste texto, informo que tanto Zhou Guanyu, como Alexander Albon estão bem após o acidente que sofreram na largada. O piloto da Alfa Romeo foi atendido no hospital do autódromo e não precisou de atendimento externo, enquanto o piloto da Williams precisou de atendimento externo, mas já está confirmado para o GP da Áustria.

Agora confira o texto mencionando cada uma das equipes seguindo a ordem atual do Campeonato de Construtores.

RED BULL

Sergio Pérez se aproveitou o Safety Car provocado por Ocon para ter a chance de brigar por um pódio na Inglaterra – Foto: reprodução Red Bull

 

A Red Bull levou uma nova tampa de motor para o seu carro, fornecendo mais uma mudança ao RB18, a equipe também segue trabalhando no assoalho do carro, realizando as adequações necessárias para tornar a aerodinâmica do carro eficiente a cada nova prova.

A sexta-feira foi bem caótica para os times, pois no TL1 eles optaram por poupar os carros, completando voltas apenas de instalação por conta da chuva. Mas o TL2 foi realizando com grande movimentação, onde os times tinham muito trabalho a ser realizado, verificando as novas peças e a eficiência dos pneus.

Na classificação Max Verstappen dominou o Q1 e o Q2, sempre encontrando uma brecha para realizar um tempo melhor do que o da dupla da Ferrari. O piloto holandês foi aproveitando a evolução da pista e parecia imbatível, mas também cometeu erros. No Q3 o holandês rodou em 360° ao perder o controle do carro. Em alguns momentos parecia que ele se dava conta que não podia manter a constante aceleração, desta forma reduzia a velocidade no meio da volta.

Verstappen foi surpreendido por Carlo Sainz mais ainda conseguiu dividir a primeira fila na largada com o piloto da Ferrari. Na corrida o holandês fez uma excelente primeira largada, tomando a dianteira, mas para a segunda relargada o grid foi arrumado e Verstappen retornou para a segunda posição pois a primeira volta da prova não foi completada – valendo dessa fora a posição da volta anterior. Neste segundo reinício, o Max e Carlos estavam com os pneus médios, desta forma a disputa foi mais dura e direta, onde Sainz sustentou a liderança. Poucas voltas depois Verstappen conseguiu tomar a liderança da prova, mas foi surpreendido por um furo no pneu. A realidade é que o carro do holandês já estava danificado após a largada, ele encontrou uma peça de fibra de carbono do carro de Tsunoda, algo que danificou parte do seu assolho e fez o carro perder desempenho. Verstappen passou a reclamar muito do carro, mas conseguiu concluir a prova no sétimo lugar, depois de se defender das investidas de Mick Schumacher até a linha de chegada.

Sergio Pérez teve um fim de semana em que não estava se sentindo muito confortável com o carro, perdendo o TL1, o mexicano sentiu que as tarefas de avaliação que restaram, deixaram o restante do fim de semana muito caótico. Pérez se classificou no quarto lugar, mas em um conflito com Leclerc na largada, danificou a sua asa dianteira e precisou antecipar a parada.

O mexicano teve então que fazer uma prova de recuperação, mas como a Red Bull instalou outro jogo de pneus médios, o piloto ainda tinha uma parada obrigatória para ser realizada até o final da prova. Pérez que não tinha chance de pódio viu a sua sorte mudar com o Safety Car provocado pelo abandono de Esteban Ocon. O mexicano retornou para a pista com um novo jogo de pneus macios e após a relargada teve chances de brigar com Leclerc e Hamilton.

O piloto da Red Bull foi investigado por ter cortado a pista e empurrado Hamilton para fora do traçado, mas os comissários optaram por não realizar uma punição. Pérez cruzou a linha de chegada no segundo lugar, transformando um início de fim de semana ruim, em um bom resultado para o mexicano.

A Red Bull segue para etapa em casa com confiança, sabendo é possível ampliar a vantagem para a Ferrari. Neste momento do campeonato apenas três equipes estão na casa dos duzentos pontos. O time austríaco, obviamente vai batalhar por um pódio duplo correndo no Red Bull Ring no próximo fim de semana.

FERRARI

Sainz tem uma boa bagagem na Fórmula 1, mas de forma impressionante conquistou a sua primeira pole e primeira vitória com a Ferrari – Foto: reprodução Ferrari

A Ferrari também forneceu atualizações para F1-75 em Silverstone, com o objetivo de melhorar o desempenho do carro e enfrentar a Red Bull. O time italiano liderou o TL2 com Carlos Sainz, mas ainda era difícil depositar um pouco de fé no desempenho do carro. A Ferrari também aproveitou para fazer trocas pontuais no motor de Sainz, ainda dentro do limite do regulamento. O time voltou a apresentar problemas no motor, mas o restante do fim de semana foi um pouco mais tranquilo para a equipe italiana.

O personagem da Inglaterra sem dúvidas é Carlos Sainz, o espanhol conquistou a sua primeira pole da carreira, batendo o tempo estabelecido por Max Verstappen quando o cronômetro estava zerado. Sainz se aproveitou das condições de pista que foram mudando rapidamente para guardar uma boa volta para o final e superar os rivais. O espanhol ficou surpreso com a performance e resultado, quase não acreditando na pole conquistada.

Como disse no início do texto, talvez aquele que se basear apenas no resultado dessa prova, não compreenda que para Sainz vencer não foi tão simples assim. O piloto enfrentou Verstappen, mas também teve o seu companheiro de equipe como alguém disposto a ameaçar o seu resultado.

Pensando em campeonato, Charles Leclerc deveria terminar a prova na liderança ou ter um pouco mais de chances, principalmente com Max Verstappen enfrentando problemas, mas Sainz também merecia muito essa primeira vitória. O espanhol disse que essa foi uma das corridas mais difíceis mentalmente, pois além de lutar com o carro, também precisava pensar no que estava acontecendo na pista.

Leclerc em momento algum pensou em aliviar para o companheiro de equipe e eles tiveram que realizar uma inversão de posições, pois Leclerc estava com medo de Lewis Hamilton que tinha se aproximado dele.

O Safety Car na última fase da prova foi importante para Sainz, a Ferrari optou por ele na troca de pneus, pois não tinha como realizar um pit-stop duplo e o líder da prova é sempre o mais ameaçado. A Ferrari tinha a oportunidade neste fim de semana de conseguir bons pontos com os dois pilotos, então não arriscou. Sainz fez o possível para não atrapalhar Leclerc, mas com os pneus mais novos, era inevitável, o espanhol fez a ultrapassagem. Em Silverstone, em uma pista lendária Sainz conquista sua primeira vitória da carreira.

Sobre Leclerc, o monegasco não conseguiu nada do que esperava neste fim de semana, sem pole e sem vitória. Leclerc estava visivelmente frustrado pelo resultado da prova, principalmente após Sainz ser priorizado, mas ressalto mais uma vez que faltou um pouco de leitura de corrida para o piloto. Na largada o piloto comprou uma disputa com Sergio Pérez e ficou com a asa dianteira avariada, algo que também prejudicou um pouco o seu desempenho.

No trecho final da prova, mesmo sendo um dos poucos pilotos que não instalou os pneus macios, pois não pode fazer uma nova parada – Leclerc ainda desafiou os rivais, lutando bravamente até o final para permanecer no pódio. O monegasco conseguiu uma quarta posição, somando mais alguns pontos.

A Ferrari provavelmente não terá muitas chances até o final da temporada para recuperar a liderança do campeonato, mas por outro lado, a equipe italiana precisa se defender do time da Mercedes, pois a equipe alemã está se aproximando de forma sorrateira.

MERCEDES

A Mercedes parece que tem ainda mais potencial para incomodar a Ferrari pelo restante da temporada – Foto: reprodução Mercedes / Daimler

Após o encerramento do GP da Inglaterra, com os pilotos ainda na sala de pré-pódio, Calos Sainz disse para Lewis Hamilton: “vocês chegaram, né?”

Até este momento da temporada todos se questionavam sobre o potencial da Mercedes, obviamente vemos um time em ascensão, que com suas atualizações e ajustes tem ganhado cada vez mais terreno no grid. Na sexta-feira a Mercedes já tinha chamado a atenção com Lewis Hamilton, o carro não estava saltando como antes e os pilotos tiveram poucas reclamações para fazer. Também foi um momento para reaprender sobre Silverstone e buscar um novo traçado, por conta do comportamento diferente deste carro.

No sábado, ainda no TL3 foi interessante observar a forma como Lewis Hamilton estava trabalhando as suas voltas rápidas, o piloto inglês escolhia um setor para ir mais rápido, trabalhando eles de forma individual para encontrar o caminho da volta ideal. Para a classificação tudo se tornou uma grande loteria com todos tendo a chance de buscar um bom resultado na pista.

Os sorrisos de satisfação no box da Mercedes no sábado foram um ponto de atenção. Por outro lado, no domingo, a equipe alemã cometeu um grande erro. George Russell que se classificou na oitava posição largou com os pneus duros, obviamente o piloto não teria a mesma performance na largada quando comparado com os pilotos que começaram a corrida com os pneus médios e macios. Russell acabou obliterado por Pierre Gasly quando perdeu performance, o piloto da AlphaTauri tocou em Russell e em Zhou Guanyu, provocando aquele acidente terrível no começo da prova.

Russell foi muito nobre, deixou o carro e foi atrás do piloto da Alfa Romeo para saber como ele estava, na sequência o britânico correu aos boxes para alertar a equipe. Russell tinha pedido para o time de pista deixar o seu carro encostado, que ele viria buscar na tentativa de voltar com ele aos boxes e participar da prova. Infelizmente o seu carro acabou recolhido e ele ficou de fora da corrida.

Pelo erro da Mercedes, a equipe prejudicou a sequência de bons resultados de Russell na temporada, mas o piloto britânico ainda se culpou pelo erro que aconteceu durante a classificação e levou o time a optar por essa estratégia.

Sobre o fim de semana de Hamilton, parece que estão deixando-o ‘brincar’ um pouco mais com o W13. O inglês teve uma ótima reação na primeira largada, partindo para a terceira posição rapidamente. Como a volta foi anulada, Hamilton não conseguiu fazer uma segunda largada tão espetacular, mas durante a prova foi se aproximando da dupla da Ferrari, fazendo o time italiano quebrar a cabeça.

Hamilton tinha claras chances de vencer essa prova, o inglês trabalhou em uma ótima sequência de voltas rápidas e tinha um ritmo consistente. Infelizmente a forma como a prova foi encerrada não ajudou muito. Com Pérez tento a oportunidade de brigar pelo pódio, o mexicano não hesitou em mandar Hamilton para fora da pista e ainda faturou o segundo lugar, enquanto o piloto da casa ficou com o terceiro lugar e zangado com a atitude do adversário.

A Ferrari precisa se cuidar agora, pois mesmo a Mercedes apostando em não fornecer maiores atualizações para o W13, finalmente o carro está mais equilibrado e nessa sequência de provas realizadas em autódromos, provavelmente o time alemão contará com uma performance ainda mais forte.

MCLAREN

Com a proximidade de Alonso e Norris e o erro da McLaren, o piloto britânico fechou a prova atrás do piloto da Alpine – Foto: reprodução McLaren

Novamente esse foi um fim de semana de muita disparidade entre os companheiros de equipe. Andrea Stella acreditava na sexta-feira que o time estava no caminho certo, Lando Norris superou os problemas com o vento para acompanhar o pelotão da frente, enquanto Daniel Ricciardo ficou dentro do Top-10 no TL2.

Na classificação as diferenças entre Norris e Ricciardo voltaram a aparecer. O britânico conseguiu levar o carro ao top-10, permaneceu na pista completando voltas rápidas para acompanhar o pelotão. Por outro lado, Ricciardo teve mais um resultado ruim, onde foi atrapalhado pela chuva que piorou mais próximo ao final do Q2, já que não encontrou a volta ideal no início da sessão. A McLaren também precisou dar uma atenção aos testes em modo de simulação de corrida para compreender onde estava no grid.

Para a McLaren a classificação com chuva também foi uma boa oportunidade para avaliar o carro mais uma vez em pista molhada, agora com novas modificações.

Lando Norris fez uma boa prova, contanto com uma boa largada, o único grande problema foi a escolha da McLaren no Safety Car. A equipe priorizou a parada de Daniel Ricciardo que fez uma corrida com poucas chances de pontuar, mesmo com os diversos abandonos. Norris só foi chamado aos boxes na volta 40 e desta forma perdeu a posição para Fernando Alonso. O britânico precisou se contentar com sexto-lugar, após disputar em uma parte da prova o 4º lugar com Sergio Pérez.

Daniel Ricciardo lidou com um problema no DRS após a volta 31, dificultando ainda mais as suas tentativas de ultrapassagem. A McLaren vai analisar a prova do australiano para tentar evitar problemas nos próximos eventos.

Não foi neste evento que a McLaren foi ultrapassada pela Alpine, mas está vendo cada vez mais a Mercedes se distanciar na terceira posição, enquanto o time francês se aproxima para brigar pelo quarto lugar do campeonato de construtores.

ALPINE

Fernando Alonso supera Lando Norris nos boxes e aproveita para participar de disputa no final do GP da Inglaterra – Foto: reprodução Alpine

A Alpine mudou o seu visual para o GP da Inglaterra, apostando em pacote aerodinâmico que deixou o carro da equipe mais parecido com a Ferrari. O time francês está em processo de evolução e realmente tem crescido no grid. Eles também modificaram o assoalho do carro, trabalhando um outro nível do difusor, para ganhar mais desempenho.

Fernando Alonso segue apresentando um bom controle do seu carro, se esforçando para dividir as primeiras posições. O espanhol que foi um destaque na classificação realizada no Canadá na chuva, também teve um bom desempenho neste sábado, mas buscava uma posição melhor no Q3. Alonso conseguiu o direito de começar a corrida do sétimo lugar.

Na corrida o piloto espanhol conseguiu conservar a posição da largada e se beneficiou do abandono de George Russell, assim como o problema de Max Verstappen para ter um resultado melhor na prova. Alonso também contou com o erro de estratégia da McLaren em Safety Car para ganhar a posição de Lando Norris.

O saldo na prova foi bem positivo para o piloto espanhol, mas ainda não foi suficiente para que a Alpine ultrapasse a McLaren no Campeonato de Construtores. Outro grande ponto desse final de prova foi Fernando Alonso tentando participar do conflito que estava acontecendo entre Sergio Pérez, Charles Leclerc e Lewis Hamilton. O espanhol ainda deu o tom, cobrou uma melhor avaliação dos comissários para que apliquem punições de forma igual aos pilotos do grid.

Esteban Ocon teve um problema neste fim de semana, na classificação o seu motor passou por um problema de perda de energia, gerado por um problema na bateria. O francês ficou preso no Q2, mas estava otimista para a prova no domingo. Ocon figurou no top-10, mas um problema na bomba de combustível provocou o abandono do piloto na volta 38. Foi justamente esse abandono que provocou a entrada do Safety Car e uma modificação no andamento da prova.

Vale a menção ao grande trabalho realizado pela Alpine, Ocon também esteve envolvido em uma batida no início da corrida, o piloto ficou com a suspensão dianteira danificada, mas se arrastou até o pit-lane, lá a equipe fez a reconstrução do carro rapidamente e ele pode participar da prova.

ALFA ROMEO

Zhou Guanyu foi bem na classificação, mas lidou com um acidente pouco depois da largada. O piloto saiu bem do carro, conseguindo contar com a segurança dos novos carros de Fórmula 1, mas principalmente pelo uso do Halo – Foto: reprodução Alfa Romeo

A sexta-feira começou com Valtteri Bottas liderando o TL1, ainda que em uma situação atípica, onde a chuva tomou conta da sessão e os pilotos completaram poucas voltas. O restante do dia foi focado para avaliar o carro, mas os resultados não eram tão animadores, pois a equipe ainda precisava afinar os ajustes para o restante do fim de semana.

A classificação foi bem diferente para os pilotos, Zhou Guanyu avançou para o Q3, enquanto Valtteri Bottas mais uma vez teve dificuldade diante de uma pista molhada. A equipe comemorou o feito de Guanyu, mas também ficou feliz pela evolução que o piloto está tendo rapidamente no time.

A corrida foi um desastra para a equipe, Guanyu sofreu aquele forte acidente pós largada, quando Pierre Gasly tocou o seu carro. O piloto da Alfa Romeo ficou de cabeça para baixo, assim que o carro capotou. O Santo Antonio do carro que também é um item de proteção para os pilotos, ficou em frangalhos quando o carro bateu no chão. Guanyu contou com a proteção do halo e mesmo após o impacto que sofreu, o piloto deixou o circuito andando, sem precisar de um atendimento maior.

As imagens foram impactantes, sem dúvidas assustadoras e um lembrete de quantas vidas o halo salvou nestes últimos anos desde a sua introdução. Ver Zhou sair do carro ao final da pancada foi incrível, a segurança dos caros evoluíram bastante. O foco da equipe foi atestar que o piloto estava bem e isso importava muito mais do que um carro danificado.

Valtteri Bottas depois de uma classificação difícil e ver o seu companheiro passar por esse problema, não conseguiu ajudar o time na busca por pontos. O finlandês abandonou a corrida por conta de um problema no câmbio que custou o seu desempenho. O início da prova foi bom para Bottas, mas novamente o time encerrou uma corrida direto dos boxes.

ALPHATAURI

A AlphaTauri terminou fora dos pontos e as batidas que aconteceram no início da corrida acarretaram prejuízos aos carros do time italiano – Foto: reprodução AlphaTauri

A equipe italiana ainda está tentando se encontrar, o fim de semana não começou fácil para a equipe, as configurações testadas demonstravam que seria mais um fim de semana complicado para a AlphaTauri. Os pilotos precisavam lutar muito para ficar entre o top-10.

Na classificação com chuva e a possibilidade de embaralhar o grid, Yuki Tsunoda e Pierre Gasly ficaram presos no Q2. O piloto francês ressaltou mais uma vez que estava muito difícil guiar o carro da AlphaTauri.

Foi outro fim de semana para esquecer, Pierre Gasly esteve envolvido no incidente que fez Zhou Guanyu capotar. O piloto francês tentou ultrapassar Zhou e George Russell na largada, mas faltou espaço. O carro de Gasly ficou bem avariado e o piloto precisou abandonar a prova.

Tsunoda ainda tentou brigar por pontos, mas também estava com o carro danificado, por conta do incidente da largada e do toque se envolveu quando ocorreu a batida entre Sebastian Vettel e Alexander Albon.

Gasly até participou da relargada, mas um novo toque ocorreu, desta vez entre o piloto francês e o seu companheiro de equipe, no momento que eles brigavam pela sétima posição. Não era exatamente um fim de semana em que os pontos apareceriam com facilidade, mas a equipe estava próxima da zona de pontuação. Infelizmente os dois carros terminaram fora dos pontos.

Ao final desta prova a equipe disse que conversaria com os dois pilotos, principalmente para delimitar as disputas que eles podem travar na pista, principalmente quando estiverem próximos.

HAAS

A Haas pode comemorar a pontuação dupla durante o GP da Inglaterra – Foto: reprodução Haas

A Haas teve um fim de semana de altos e baixos, mas terminou da melhor forma possível, com a dupla de pilotos dentro da zona de pontuação. O time americano tem perdido terreno, principalmente com o atraso para a instalação das suas novas atualizações.

A classificação não foi fácil, mesmo com a chuva a dupla não conseguiu avançar para o Q2, Mick Schumacher ainda reclamou de um possível problema na direção. O TL3 até levantou as esperanças da equipe, pois Schumacher conseguiu um nono lugar, enquanto Kevin Magnussen foi o vigésimo, mas a realidade do time foi ocupar o final do pelotão para a largada.

Por outro lado, começar a corrida do final do pelotão deu a oportunidade a dupla fugir dos acidentes da largada e tentar um resultado melhor. Juntos Schumacher e Magnussen foram escalando o pelotão até chegar na zona de pontuação. O piloto alemão teve a oportunidade de buscar os seus primeiros pontos da carreira e ainda disputou diretamente com Max Verstappen ao final da prova, tentando negociar o sétimo lugar. O momento foi de muita festa, a Corinna, mãe de Mick estava nos boxes da Haas, assim como a Gina, sua irmã. Ao final da etapa foi um momento de muita comemoração, Gina até estourou um champanhe para comemorar os primeiros pontos de Mick na Fórmula 1.

Em termos de estratégia, com Mick a Haas trabalho com algo semelhante ao que foi feito para os pilotos que começaram a corrida à frente do alemão, mas para Magnussen as escolhas mudaram um pouco.

Só o fato de terminarem nos pontos, já foi algo relevante, os pontos conquistados garantiram que a Haas permaneça à da Aston Martin nos Construtores.

ASTON MARTIN

Uma das imagens mais emocionante do fim de semana, aconteceu após Vettel comemorar os primeiros pontos conquistados por Mick Schumacher – Foto: reprodução Aston Martin

A Aston Martin segue nesta luta de ter um campeonato mais regular, mas tem se tornando cada vez mais normal ver Sebastian Vettel e Lance Stroll ocupando o final do grid, ainda que o time tenha algum respiro nos treinos livres. No TL1 realizado no início de sexta-feira, a chuva que tomou conta do autódromo fez grande parte dos times permanecerem nos boxes. Quando a pista teria algum agito, Stroll provocou a bandeira vermelha na atividade e a sessão foi encerrada.

Com a fábrica do outro lado da rua, a Aston Martin é a equipe mais britânica que se poderia ter no grid. Os fortes ventos e a mudança de direção constante foram um problema para a equipe.

Na classificação os dois pilotos ficaram presos no Q1, pois não conseguiram desfrutar de mais uma sessão no molhado. O trânsito foi o problema para aferir as voltas, pois os carros que deixavam os boxes permaneciam mais tempo na pista e mesmo sendo uma pista larga, os pilotos encontravam outros competidores na pista. A Aston Martin até instalou um novo jogo de pneus intermediários para o final, mas Vettel ficou frustrado mais uma vez por não conseguir avançar ao Q2.

No dia do seu aniversário Sebastian Vettel terminou a prova no nono lugar, mas lidou com uma batida no início da prova, o piloto alemão acertou Alexander Albon após a largada, um efeito que foi desencadeado por conta da reação dos pilotos que tiveram à frente, depois de se deparar com o acidente de Zhou Guanyu.

A Aston Martin ainda está tentando aprender com as novas atualizações. Durante a corrida Vettel foi tentando escalar o grid. Assistiu de camarote a disputa de Mick Schumacher e Max Verstappen e ainda faturou pontos.

Lance Stroll ainda está tentando se encontrar com o carro, o piloto canadense terminou a prova na décima primeira posição, mas com uma possibilidade remota de obter pontos. O time saiu satisfeito com os pontos conquistados por Vettel, principalmente após a classificação caótica.

O ponto alto do final de semana de Sebastian Vettel foi ver o piloto guiando o FW14B da Williams.

WILLIAMS

Outra imagem impressionante foi a batida que Albon sofreu no pós-largada, mas assim como Zhou o tailandês está bem – Foto: reprodução Williams

A Williams levou atualizações apenas para o carro de Alexander Albon, prometendo fornecer o novo pacote para Nicholas Latifi no GP da França. Esse era um fim de semana importante para a Williams, principalmente para avaliar as modificações que tinha realizado no carro, mas só tiveram o TL2 e TL3 em pista seca para verificar as mudanças e a evolução aerodinâmica do carro, enquanto também se preparava para a classificação e corrida.

O tailandês fez boas sessões, se mostrou competitivo na chuva, mas não conseguiu repetir o bom desempenho na classificação. Como a equipe optou por realizar uma volta de resfriado do carro, as temperaturas dos pneus foram afetadas, desta forma o resultado foi prejudicado.

Na largada Albon foi tocado por Vettel, justamente por conta do acidente de Zhou que desencadeou o outro acidente no grid. O tailandês sofreu várias pancadas laterais no carro e precisou ser removido para o hospital, passando por uma avaliação melhor. Albon assim como Zhou ficou bem, graças a toda a segurança que os carros de F1 têm atualmente. O piloto poderá correr normalmente no GP da Áustria que será disputado na próxima semana.

Nicholas Latifi teve a oportunidade de brilhar neste fim de semana, o piloto realizou uma ótima classificação e mesmo com o carro defasado em atualização, o canadense seguiu para o Q2. Latifi fez uma impressionante primeira largada, mas não conseguiu repetir a dose na relargada. O canadense buscou os primeiros pontos do ano, mas não foi superado pela estratégia adotada por Haas e Aston Martin, além de faltar ritmo em seu carro.

Após passar pela avaliação médica, Albon informou que estava bem e o mais importante era que Zhou também tinha ficado bem.

Escute o nosso Podcast comentando sobre o GP da Inglaterra!

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!